Associação entre fadiga e fatores clínico-pessoais de pacientes com esclerose lateral amiotrófica

Lizianne Juline do Nascimento e Silva Martins, Nathalia Priscilla Oliveira Silva, Thaiana Barbosa Ferreira, Fabrícia Azevedo da Costa Cavalcanti

Resumo


Introdução: A fadiga progressiva e persistente na Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é um sintoma cujos mecanismos causais ainda não são bem documentados pela literatura. Objetivo: Investigar a fadiga muscular de pacientes portadores de ELA e sua relação com os fatores clínico-pessoais. Métodos: Realizou-se uma pesquisa transversal com 25 portadores de ELA. Os instrumentos de avaliação foram a Medida de Independência Funcional (MIF) e a Escala de Severidade de Fadiga (FSS). Resultados: A fadiga estava presente em 56% da amostra cujo tempo de doença era de 4,5 ±4,34 anos. Entretanto, não foi encontrada relação significativa entre a fadiga e os fatores clínicos e pessoais dos pacientes. Conclusões: Os resultados apontaram a presença de fadiga sem relação com os parâmetros investigados, mostrando esta como um fator complexo e independente a ser explorado de forma diferenciada e específica para cada portador de ELA.

Palavras-chave


Doenças neuromusculares; Esclerose amiotrófica lateral; Fadiga; Modalidade de fisioterapia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n4.4342

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.