GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: DIFICULDADES E POTENCIALIDADES EM UM CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL

Débora dos Santos Knopf, David Lorenzi Junior, Greice Eccel Pontelli, Jordana Marques Kneipp

Resumo


Este estudo tem por objetivo descrever as principais dificuldades e potencialidades observadas na gestão de resíduos sólidos no Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos (CIGRES). Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas e análise documental. Utilizou-se a técnica de análise de conteúdo. Os resultados apontaram dificuldades, potencialidades e alguns aspectos que precisam ser repensados na gestão dos resíduos sólidos. Por fim, constatou-se aspectos positivos em relação a preocupação com o tripé da sustentabilidade. Portanto, o estudo traz contribuições teóricas na temática da sustentabilidade e gestão de resíduos sólidos. Em relação às contribuições gerenciais, os resultados fornecem evidências empíricas acerca da gestão dos consórcios e o relacionamento com os municípios, sendo que os desafios e potencialidades podem ser explorados e desenvolvidos pelos gestores buscando o aprimoramento de práticas e rotinas organizacionais.

Palavras-chave


Gestão de Resíduos Sólidos. Municípios. Consórcio. Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, G. G. F. de., Silveira, R. C. E. da., & Engel, V. (2020). Coleta e reciclagem de resíduos sólidos urbanos: contribuição ao debate da Sustentabilidade Ambiental. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 12 (2). https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2020.v12i2.445

Alves, R. C. et al. (2020). A (in) viabilidade dos Consórcios Públicos Intermunicipais para Gestão de Resíduos Sólidos no Amazonas, Brasil. Research, Society and Development, 9 (11), e82191110582-e82191110582. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i11.10582

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. [Tradução de] Luís Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições, 70.

Brasil. (2010a, 2 de agosto). Lei nº 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Recuperado em 05 de outubro de 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm

Brasil. (2010b, 23 de dezembro). Decreto nº 7.404 de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010. Recuperado em 10 de janeiro de 2021, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7404.htm

Brasil. (2007, 17 de janeiro). Decreto nº 6.017 de 17 de janeiro de 2007. Regulamenta a Lei no 11.107, de 6 de abril de 2005, que dispõe sobre normas gerais de contratação de consórcios públicos. Recuperado em 10 de janeiro de 2021, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6017.htm

Calderan, T. B. (2013). Consórcio Público Intermunicipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Domésticos: um estudo de caso. Dissertação (Mestre em Ambiente e Desenvolvimento, na área de Concentração Espaço, Ambiente e Sociedade). Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento, do Centro Universitário Univates. Lajeado.

Calderan, T. B. (2018). Consórcios intermunicipais: condições e possibilidades de atendimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) a partir do princípio da visão sistêmica. Tese (Doutorado em Ambiente e Desenvolvimento). Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento, do Centro Universitário Univates. Lajeado.

CIGRES (2019). Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos. Plano Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. Recuperado em 25 de julho de 2019, de https://cespro.com.br/7711/2019_L1941.pdf

CIGRES (2012). Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos. Plano Regional de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos dos Municípios Integrantes do Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos. Recuperado em 30 de setembro de 2019, de http://www.cigres.com.br/portal/?mn=prgirs

Cetrulo, T. B. et al. (2018). Eficácia das políticas de resíduos sólidos em países em desenvolvimento: um estudo de caso no Brasil. Jornal de produção mais limpa, 205, 179-187. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2018.09.094

Deus, R. M. et al. (2020). A municipal solid waste indicator for environmental impact: Assessment and identification of best management practices. Journal of Cleaner Production, 242, 118433. http://dx.doi.org/10.1016/j.jclepro.2019.118433

Ferreira, C. F. A., & Jucá, J. F. T. (2017). Metodologia para avaliação dos consórcios de resíduos sólidos urbanos em Minas Gerais. Engenharia Sanitária e Ambiental, 22 (3), 513-521. https://doi.org/10.1590/S1413-41522017147551

Fidelis, R. et al. (2020). Socio-productive inclusion of scavengers in municipal solid waste management in Brazil: Practices, paradigms and future prospects. Recursos, Conservação e Reciclagem, 154, 104594. https://dx.doi.org/10.1016/j.resconrec.2019.104594

Gomes, A. P. et al. (2017). Panorama dos Consórcios Intermunicipais para Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio Grande Do Sul. In: II Simpósio Brasileiro de Desenvolvimento Territorial Sustentável. Paraná. Recuperado em 10 de janeiro de 2021, de http://www.ppgdts.ufpr.br/?page_id=1464

Heber, F., & Silva, E. M. (2014). Institucionalização da política nacional de resíduos sólidos: Dilemas e constrangimentos na região metropolitana de Aracaju (SE). Revista de Administração Pública, 48(4), 913-937. https://doi.org/10.1590/0034-76121537

IBGE. (2010). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado em 25 de outubro de 2019, de http://www.censo2010.ibge.gov.br

Jacobi, P. R., & Besen, G. R. (2011). Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, 25 (71), 135-158. https://doi.org/10.1590/S0103-40142011000100010

Leal, T. L. M. de C., & Sampaio, R. J. (2021). Gestão dos resíduos sólidos: o caso do consórcio de desenvolvimento sustentável do alto sertão na Bahia. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 13. https://doi.org/10.1590/2175-3369.013.e20180123

Liikanen, M. et al. (2018). Steps towards more environmentally sustainable municipal solid waste management–A life cycle assessment study of São Paulo, Brazil. Journal of Cleaner Production, 196, 150-162. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2018.06.005

Lisbinski, F. C. et al. (2020). A importância dos consórcios públicos na gestão dos resíduos sólidos urbanos: uma análise do consórcio intermunicipal CIGRES. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, 9 (2), 3-36. http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v9e220203-36

Luiz, G. de C. (2018). Política Nacional de Resíduos Sólidos: uma análise da gestão em municípios de pequeno porte. Dissertação (Mestrado em Gestão de Organizações Públicas). Programa de Pós-Graduação em Gestão de Organizações Públicas, da Universidade Federal de Santa Maria.

Penteado, C. S. G., & Castro, M. A. S. (2021). Efeitos de Covid-19 na gestão de resíduos sólidos urbanos: o que efetivamente pode ser feito no cenário brasileiro?. Recursos, Conservação e Reciclagem, 164, 105152. https://doi.org/10.1016/j.resconrec.2020.105152

Pereira, T. S., & Fernandino, G. (2019). Evaluation of solid waste management sustainability of a coastal municipality from northeastern Brazil. Ocean & Coastal Management, 179. https://doi.org/10.1016/j.ocecoaman.2019.104839

Saffer, M. et al. (2013). Boas práticas Brasil e Espanha sobre a gestão de resíduos sólidos urbanos com foco na coleta seletiva, reciclagem e participação dos catadores. Fundação Instituto para o Fortalecimento das Capacidades Institucionais – IFCI / Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento – AECID / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – MPOG, Editora IABS, Brasília.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. del. P. B. (2013). Metodologia da Pesquisa. 5. Ed. Porto Alegre: Penso.

SNIS (2019). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2018. Brasília. Recuperado em 20 de outubro de 2019, de http://www.snis.gov.br/diagnostico-residuos-solidos

Ventura, K. S., & Suquisaqui, A. B. V. (2020). Aplicação de ferramentas SWOT e 5W2H para análise de consórcios intermunicipais de resíduos sólidos urbanos. Ambiente construído, 20 (1), 333-349. https://doi.org/10.1590/s1678-86212020000100378

Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e método. 5.ed. Porto Alegre: Bookman.

Zago, V. C. P., & Barros, R. T. V. (2019). Gestão dos resíduos sólidos orgânicos urbanos no Brasil: do ordenamento jurídico à realidade. Eng Sanit Ambient, 24 (2), 219-228. https://doi.org/10.1590/S1413-41522019181376




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.2022.20776

Direitos autorais 2022 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2022 Todos os direitos reservados.

Este obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional