Redes de colaboração científica e análise de políticas públicas desportivas locais no Brasil e em Portugal

Edmilson Santos dos Santos, Maria José Carvalho

Resumo


Objetivo do estudo: O presente trabalho buscou identificar os pesquisadores e os padrões de colaboração na produção científica associada à participação do poder local na oferta de políticas públicas de desporto no Brasil e em Portugal.

Metodologia/abordagem: O procedimento metodológico envolveu revisão sistemática e análise bibliométrica da produção dos pesquisadores. Por último, analisamos as relações entre os atores e as redes de colaboração. Para localização dos trabalhos, utilizamos o Portal Periódicos Capes, que disponibiliza diferentes bases de dados com textos publicados pelos principais editores do mundo, distribuídos em todas as áreas do conhecimento. As redes de colaboração foram observadas via coautorias.

Originalidade/relevância: O poder local no Brasil e em Portugal tem promovido importantes políticas públicas desportivas. No entanto, a análise desta produção, principalmente de forma comparativa entre os dois países, ainda não foi realizada.

Principais resultados: É perceptível o esforço na consolidação da agenda através do aumento do trabalho ao longo do tempo, dos grupos de pesquisadas envolvidos e do número de parcerias interinstitucionais e internacionais. No entanto, a existência de betweenness centrality dificulta a consolidação dessa agenda de pesquisa.

Contribuições teóricas/metodológicas: Promove a discussão da relação entre a produção científica na área de políticas públicas municipais no Brasil e em Portugal e a construção de redes de colaboração.


Palavras-chave


Políticas Públicas; Desporto; Agenda de Pesquisa; Produção Acadêmica

Texto completo:

PDF

Referências


Amaral, S. C. F., & Pereira, A. P. C. (2009). Reflexões sobre a produção em políticas públicas de educação física, esporte e lazer. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 31(1), 41-56.

Amaral, S. C. F., Ribeiro, O. C. F., & Silva, D. S. (2014). Produção científico-acadêmica em Políticas Públicas de Esporte e Lazer no Brasil. Motrivivência, 26(42), 27-40.

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em questão, 12(1), 11-32.

Arretche, M. (2003). Dossiê agenda de pesquisa em políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18(51), 7-9.

Balancieri, R., Bovo, A., Kern, V., Pacheco, R. & Barcia, R. (2005). A análise de redes de colaboração científica sob as novas tecnologias de informação e comunicação: um estudo na Plataforma Lattes. Ciência da Informação, 31(1), 64-77.

Barra, A. D. O., Silva, S. A. P. D. S., & Vitorino, M. R. (2017). Panorama dos grupos de pesquisa em políticas públicas de esporte e lazer no Brasil presentes no diretório de grupos de pesquisa do CNPQ. Licere, 20(1), 38-59.

Bastos, F.C. (2003). Administração Esportiva: área de estudo, pesquisa e perspectivas no Brasil. Motrivivência, (20-21), 295-306.

Bulgacov, S., & Verdu, F. C. (2001). Redes de pesquisadores da área de administração: um estudo exploratório. Revista de Administração Contemporânea, 5(SPE), 163-182.

CAPES. Portal.periódicos.capes. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2019.

Caregnato, S. E. (2011). Google Acadêmico como ferramenta para os estudos de citações: Avaliação da Precisão das Buscas por Autor. Ponto de Acesso, 5(3), 72-86.

Castro, S. B. E., de Lima Moro, N. R. N., da Silveira, L. R. T., & Mezzadri, F. M. (2012). O estado da arte em políticas sociais de esporte e lazer no Brasil (2000-2009). Pensar a Prática, 15(2), 531-545.

Gatti, B. A. (2005). Formação de grupos e redes de intercâmbio em pesquisa educacional: dialogia e qualidade. Revista Brasileira de Educação, 30, 124-132.

Gazda, E., & Quandt, C. O. (2010). Colaboração interinstitucional em pesquisa no Brasil: tendências em artigos na área de gestão da inovação. RAE-eletrônica, 9(2).

Giustini D. & Barsky E. (2005). A look at Google Scholar, PubMed, and Scirus: comparisons and recommendations. Journal of the

Canadian Health Libraries Association, 26(3), 85-89.

Gregori Júnior, F. G., de Godoy, M. F., & Gregori, F. F. (2012).

Proposta de um índice cientométrico individual, com ênfase na ponderação positiva da participação do primeiro autor: índice H-FAC. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular/Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, 27(3), 370-376.

Hoekman, R, Jan-Willem van der Roest & Hugo van der Poel (2018) From welfare state to participation society? Austerity measures and local sport policy in the Netherlands, International Journal of Sport Policy and Politics, 10(1), 131-146.

Januário, C. (2010) Políticas públicas desportivas: estudo centrado nos municípios da área metropolitana do Porto. Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Kocian, R. C., & da Silva, C. L. (2016). Políticas públicas e os equipamentos esportivos de lazer: produção acadêmica de 2008 a 2014. Licere, 19(3), 185-206.

Kuhn, T. (1976), A estrutura das revoluções científicas. São Paulo, Perspectiva.

Maia, M. D. F. S., & Caregnato, S. E. (2008). Co-autoria como indicador de redes de colaboração científica. Perspectivas em Ciência da Informação, 13(2), 18-31.

Onofre, T., Colângelo, J. V. M., & Lino, W. (2019). Balanço bibliométrico da produção científica em políticas públicas de lazer-Brasil 2012/2017. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 27(1), 164-176.

Paipe, G. P. (2017). Políticas públicas desportivas. Estudo centrado em municípios de Moçambique. (Tese Doutorado). Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Petroianu, A. (2003). Critérios quantitativos para analisar o valor da publicação de artigos científicos. Rev Assoc Med Bras, 49(2), 173-6.

Ramchandani, G., Shibli, S., & Kung, S. P. (2018). The performance of local authority sports facilities in England during a period of recession and austerity. International Journal of Sport Policy and Politics, 10(1), 95-111.

Reid, G. (2018). Managing budget cuts in Edinburgh’s sport and recreation services: progressive localism in a resilient local authority? International Journal of Sport Policy and Politics, 10(1), 113-129.

Reis, E. (2000). Reflexões leigas para a formulação de uma agenda de pesquisa em políticas públicas. Red Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18 (51): 21-30.

Sampaio, R. F. & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(1), 83-89.

Santos, A. L. F., Batista, M. C. A. & Araújo, A. V. (2007). A produção do conhecimento em política pública para educação física, esporte e lazer: o GTT 10 em Pernambuco. In Anais do XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (pp 1-10). Recife.

Santos, E. S. & Freitas, A. L. C. (2015). O direito ao desporto: justiça social e políticas públicas. Direitos Fundamentais & Justiça, 9, 139-157.

Santos, E. S., Milani, F. G., Reverdito, R. S. & Starepravo, F. A. (2019). O financiamento do esporte e do lazer pelos municípios do estado do Mato Grosso de 2005 A 2008. Licere, 22(1), 49-69.

Silva, E. L. (2002). Rede científica e a construção do conhecimento. Informação & Sociedade, 12(1).

Soares, G. A. D., Souza, C. P. R. D., & Moura, T. W. D. (2010). Colaboração na produção científica na Ciência Política e na Sociologia brasileiras. Sociedade e Estado, 25(3), 525-538.

Sousa, D. P., Gabriel, B. J., Antunes, A. C., Pedroso, B., de Oliveira Junior, C. R., & de Freitas Jr, M. A. (2016). As produções do periódico “Pensar a Prática” que relacionaram os seus objetos às políticas públicas de esporte e lazer (1998-2015). Pensar a

Prática, 19(3), 612-626.

Starepravo, F. A., Afonso, G., & Ferreira, A. L. P. Produção do GTT de políticas públicas no XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte: possibilidades teóricas de análise das políticas públicas de esporte e lazer. In Anais 1º Encontro da ALESDE (pp 1-8). Curitiba.

Shultz, M. (2007). Comparing test searches in PubMed and Google Scholar. Journal of the Medical Library Association, 95(4), 442.

Watanabe, E. A., Gomes, A. O., & Hoffmann, V. E. (2013). Cooperação entre grupos de pesquisa em estratégia no Brasil. Revista Ibero Americana de Estratégia, 12(1), 84-106.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v9i4.16461

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2020 Todos os direitos reservados.