COVID-19: efeitos e implicações ocorridos no turismo da rota das emoções localizada no nordeste do Brasil

Henrique César Melo Ribeiro, Antônia Amanda Alves Pereira Moreira

Resumo


Objetivo do estudo: Estudar os efeitos e as implicações ocorridas no destino turismo da Rota das Emoções localizada no Nordeste do Brasil em decorrência da pandemia do COVID-19.

Metodologia/abordagem: Metodologicamente, utilizou-se a abordagem qualitativa, mediante o método do estudo de caso múltiplo em três Empresas de Passeio (receptivos) que compõem a Rota das Emoções, Ceará, Maranhão e Piauí (uma empresa em cada estado).

Originalidade/Relevância: O presente estudo enfoca o turismo da Rota das Emoções sob a óptica do COVID-19, tema este delicado que abrange, ainda hoje, a saúde humana e das empresas em todo o mundo. E que neste estudo buscou contemplar informações para a academia no que concerne especificamente o setor do Turismo do Nordeste do Brasil.

Principais resultados: Apontam os efeitos e as implicações que a pandemia do COVID-19 trouxe para a Rota da Emoções nas empresas objeto de estudo, e, consequentemente para empresas parceiras que fazem parte desse citado clusters. Conclui-se que as empresas investigadas sofreram impacto direto da pandemia, impactando em seus clientes, parceiros, receitas, resultados.

Contribuições teóricas/metodológicas: Enfatiza o tema do setor do Turismo do Nordeste do Brasil, a Rota das Emoções, e os efeitos e implicações que o citado setor sofreu em decorrência da pandemia da COVID-19.

Contribuições sociais/para a gestão: Contempla informações sobre o COVID-19, que é um tema de saúde pública que influenciou de maneira macro a sociedade, sobretudo no que concerne ao setor do Turismo da Rota das Emoções.


Palavras-chave


Turismo; COVID-19; Rota das emoções; Nordeste.

Texto completo:

PDF

Referências


Acter, T., Uddin, N., Das, J., Akhter, A., Choudhury, T. R., & Kim, S. (2020). Evolution of severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2) as coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic: A global health emergency. Science of the Total Environment, 730, 1-19.

Aguiar, E. P. S., & Melo, S. M. C. de. (2020). Turismo e inovação territorial: Um olhar na perspectiva gastronômica. Research, Society and Development, 9(7), 1-20.

Barreto, R. de O.; Paula, A. P. P. de. (2014). "Rio da Vida Coletivo": empoderamento, emancipação e práxis. Revista de Administração Pública, 48(1), 111-130.

Baggio, R. (2020). Tourism destinations: A universality conjecture based on network science. Annals of Tourism Research, 82, 1-23.

Barros, T. F., & Campomar, M. C. (2018). O trade marketing e suas atividades: estudo de casos no setor farmacêutico. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 7(3), 297-313.

Bezerra, A. C. V., Silva, C. E. M. da, Soares, F. R. G., & Silva, J. A. M. da. (2020). Fatores associados ao comportamento da população durante o isolamento social na pandemia de COVID-19. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 2411-2421.

Carbone, F. (2020). Tourism Destination Management Post COVID-19 Pandemic: a new humanism for a Human-Centred Tourism (Tourism 5.0). World Tourism, Health Crisis and Future: Sharing Perspectives, 43-55.

Castro, J. M. de, Diniz, D. M., Duarte, R. G., Dressler, M., & Carvalho, R. B. de. (2013). Fatores determinantes em processos de transferência de conhecimentos: um estudo de caso na Embrapa Milho e Sorgo e firmas licenciadas. Revista de Administração Pública, 47(5), 1283-1306.

Castro, M. de, Bulgacov, S., & Hoffmann, V. E. (2011). Relacionamentos interorganizacionais e resultados: estudo em uma rede de cooperação horizontal da região central do Paraná. Revista de Administração Contemporânea, 15(1), 25-46.

Cepeda, G., & Martin, D. (2005). A review of case studies publishing in Management Decision 2003-2004: guides and criteria for achieving quality in qualitative research. Management Decision, 43(6), 851-876.

Coelho, M. de F., & Mayer, V. F. (2020). Gestão de servi ços pós-covid: o que se pode aprender com setor de turismo e viagens? Revista Eletrônica Gestão & Sociedade, 14(39), 3698-3706.

Costa, H. A., Nascimento, E. P. do, Hoffmann, V. E., & Silva, D. L. B. da. ¿Por qué cooperan las micro y pequeñas empresas turísticas? Estudios y Perspectivas en Turismo, 26(4), 781-803.

Cunha, L. T. da, Sá de Abreu, M. C., & Cruz, L. B. (2015). Visão comparativa das estratégias climáticas adotadas por multinacionais do setor de alumínio no Canadá e no Brasil. Gestão & Produção, 22(3), 495-507.

Durante, D. G., Veloso, F. R., Machado, D. Q., Cabral, A. C. A., & Santos, S. M. (2019). Aprendizagem organizacional na abordagem dos estudos baseados em prática: revisão da produção científica. Revista de Administração Mackenzie, 20(2), 1-28.

Farzanegan, M. R., Gholipour, H. F., Feizi, M., Nunkoo, R., & Andargoli, A. E. (2020). International tourism and outbreak of coronavirus (covid-19): a cross-country analysis. Journal of Travel Research, 1-6.

Figueira, L. M., Baptista, C., Santos, N., & Dionísio, M. (2020). Turismo e Crise Sanitária Mundial: um olhar sobre a adaptação resiliente. World Tourism, Health Crisis and Future: Sharing Perspectives, p. 119-140, 2020.

Freitas, A. F. de, & Freitas, A. F. de. (2013). Análise institucional de mudanças organizacionais em um sistema cooperativo de crédito solidário em Minas Gerais. Revista de Administração Pública, 47(4), 999-1019.

Froehlich, C. (2014). Sustentabilidade: Dimensões e métodos de mensuração de Resultados. Revista de Gestão do Unilasalle, 3(.2), 155-168.

Garkalins, C. (2020). O caminho da sustentabilidade pós-coronavirus. Recuperado em:

Godoy, A. S. (2006). Estudo de caso qualitativo. In C. K. Godoi, R. B. S. Melo, & A. B Silva (Org.), Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos (pp. 115-146). São Paulo: Saraiva.

Gomes, E. L., Gândara, J. M., & Ivars-Baidal, . A. (2017). É importante ser um destino turístico inteligente? A compreensão dos gestores públicos dos destinos do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 11(3), 503-536.

Gossling, S., Scott, D., & Hall, C. M. (2020). Pandemics, tourism and global change: a rapid assessment of COVID-19. Journal of Sustainable Tourism, 1-20.

Gouvêa, M. A., Onusic, L. M., & Mantovani, D. M. N. (2016). Qualidade e lealdade ao curso no ensino superior. Revista de Administração da UFSM, 9(1), 26-45.

Hall, C. M., Scott, D., & Gössling, S. (2020). Pandemics, transformations and tourism: be careful what you wish for. Tourism Geographies: An International Journal of Tourism Space, Place and Environment, 1-22.

Karim, W., Haque, A., & Anis, Z. (2020). The Movement Control Order (MCO) for COVID-19 crisis and its impact on tourism and hospitality sector in Malaysia. International Tourism and Hospitality Journal, 3(2), 1-7.

Khan, N., Hassan, A. U., Fahad, S., & Naushad, M. (2020). Factors affecting tourism industry and its impacts on global economy of the world. Available at SSRN 3559353, 1-32.

Kuwahara, K., Kuroda, A., & Fukuda, Y. (2020). COVID-19: Active measures to support community-dwelling older adults. Travel Medicine and Infectious Disease.

Lacruz, A. J., Américo, B. L., & Carniel, F. (2017). Teoria ator-rede em estudos organizacionais: análise da produção científica no Brasil. Cadernos EBAPE.BR, 15(3), 574-598.

Lima, D. L. F., Dias, A. A., Rabelo, R. S., Cruz, I. D. da, Costa, S. C., Nigri, F. M. N., & Neri, J. R. (2020). COVID-19 no estado do Ceará, Brasil: comportamentos e crenças na chegada da pandemia. Ciência & Saúde Coletiva, 25(5), 1575-1586.

Manchein, C., Brugnago, E. L., Silva, R. M. da, Mendes, C. F. O., & Beims, M. W. (2020). Strong correlations between power-law growth of COVID-19 in four continents and the inefficiency of soft quarantine strategies. arXiv:2004.00044, 2(8), 1-10.

Marivate, V., & Combrink, H. M. (2020). A Framework for sharing publicly available data to inform the COVID-19 Outbreak in Africa: A South African case study. arXiv:2004.04813v1 [cs.CY].

Mazaro, R. M., & Varzin, G. (2008). Modelos de competitividad para destinos turísticos en el marco de la sostenibilidad. Revista de Administração Contemporânea, 12(3), 789-809.

Melo, R. de S., Monteiro, M. do S. L., & Brito, A. S. (2018). Desenvolvimento turístico e sustentabilidade na unidade de conservação APA do Delta do Parnaíba (PI). Revista Brasileira de Ecoturismo, 11(3), 335-361.

Menegaki, A. N. (2020). Hedging feasibility perspectives against the COVID-19 in the international tourism sector. Recuperado em: < file:///C:/Users/hcmri/Downloads/preprints202004.0536.v1%20(2).pdf>.

Mercado, L. P. L. (2016). Metodologias de ensino com tecnologias da informação e comunicação no ensino jurídico. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 21(1), 263-299.

Miles, M. B., & Huberman, M. A. (1994). Qualitative data analysis: an expanded sourcebook. Sabe: Thousand Oaks.

Munck, L., Munck, M. G. M., & Souza, R. B. de. (2011). Gestão de pessoas por competências: análise de repercussões dez anos pós-implantação. Revista de Administração Mackenzie, 12(1), 4-52.

Nicola, M., O´Neill, N., Sohrabi, C., Khan, M., Agha, M., & Agha, R. (2020). Evidence based management guideline for the COVID-19 Pandemic - review article. International Journal of Surgery.

Oliveira, L. A. de, & Arantes, R. de A. (2020). Neighborhood effects and urban inequalities: the impact of Covid‐19 on the periphery of Salvador, Brazil. City & Society.

Paiva Júnior, F. G. de, Leão, A. L. M. de S., & Mello, S. C. B. de. (2011). Validade e confiabilidade na pesquisa qualitativa em administração. Revista de Ciências da Administração, 13(31), 190-209.

Rey, F. G. (2005). Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

Ribeiro, H. C. M., & Forte, S. H. A. C. (2019). A Média de Utilização das Estratégias pelos Programas de Stricto Sensu das Instituições do Brasil da Área de Administração Pública e de Empresas Ciências Contábeis e Turismo frente aos Cenários Prospectados para o Período de 2019 a 2030. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 18(4), 535-555.

Ribeiro, H. C. M. (2014). O envolvimento da governança corporativa, sob a ótica da teoria dos stakeholders, na gestão e no controle das entidades esportivas. Tese (Doutorado em Administração), UNINOVE, São Paulo.

Romão, F. M. da S. (2020). O impacto do COVID-19 no Turismo Receptivo – a Perspectiva da HighSun DMC. World Tourism, Health Crisis and Future: Sharing Perspectives, p. 57-63, 2020.

Santos, F. R. dos, Ribeiro, L. C. de S., & Silveira, E. J. G. da. (2018). Caracterização das atividades turísticas nos municípios brasileiros em 2015. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 12(2), 65-82.

Santos, M. C. dos, Ribeiro, H. C. M. (2016). Vantagem competitiva no turismo à luz de sua produção acadêmica. Revista Eletrônica de Administração e Turismo, 8(4), 831-850, 2016.

Sarquis, A. B., Pizzinatto, N., Giuliani, A. C., & Pontes, A. S. M. (2015). Estratégias de marketing: Estudo no setor de agências de viagens e turismo. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 9(2), 298-320.

Sayfullaev, J. (2020). Theoretical aspects of international tourism and its role in the global economy. Academicia: An International Multidisciplinary Research Journal, 10(3), 162-169.

Senhoras, E. M., & Nascimento, F. L. (2020). COVID-19: Enfoque Gerenciais na Saúde (Vol. 72). EdUFRR.

Sheresheva, M. Y. (2020). Coronavirus and tourism. Population and Economics, 4(2), 72-76.

Silva, D. L. B. da, Hoffmann, V. E., & Costa, H. A. (2020). Confiança em redes de cooperação do turismo: análise de seu papel e elementos vinculados em Parnaíba, Piauí, Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 14(2), 9-29.

Soares, T. C., & Mazon, G. (2020). As ações de turnaround como possibilidade para o declínio organizacional em tempos de covid-19. REUNA, 25(2), 70-84, 2020.

Sohn, A. P., Silvestrini, C., Fiuza, T. F., & Limberger, P. F. (2017). Os elementos que caracterizam o Cluster Turístico em Balneário Camboriú, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 11(1), 154-174.

Souza, M. C. da C. (2021). O Estado e o turismo no Brasil: análise das políticas públicas no contexto da pandemia da COVID-19. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 15(1). 1-13.

Souza, M. M. P. de, & Carrieri, A. de P. (2011). Racionalidades no fazer artístico: estudando a perspectiva de um grupo de teatro. Revista de Administração de Empresas, 51(4), 382-395.

Trigo, L. G. G. (2020). Viagens e turismo: dos cenários imaginados às realidades disruptivas. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 14(3), 1-13.

Vieira, D. P., Hoffmann, V. E., & Alberton, A. (2018). Investimentos públicos, competitividade e desenvolvimento: um estudo em destinos turísticos brasileiros. Revista de Administração Pública, 52(5), 899- 917.

Volpi, Y. D., & Paulino, S. R. (2019). A sustentabilidade em meios de hospedagem: enfoque na materialidade dos serviços. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 52, 386- 410.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos (4a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Zhai, Y., & Du, X. (2020). Mental health care for international chinese students affected by the COVID-19 outbreak. The lancet. Psychiatry, 7(4), 22.

Zhan, Q. Y., Niu, Y. N., Zhang, H. H., Zhang, S. H., Liu, H. Y., Dong, J. W., & Li, H. J. (2019). The Overview of Global Development and Control of COVID-19. ICSES Transaction on Evolutionary and Metaheuristic Algorithms, 10(150), 1-10.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v10i2.18419

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional