Roteiro turístico temático de direito romano

Aline Vieira Malanovicz

Resumo


Resumo

Objetivo do estudo: Propor um Roteiro Turístico Temático de Direito Romano, pensado como complemento do ensino de Direito Romano em uma viagem de estudos.
Metodologia/abordagem: O método baseou-se em pesquisa bibliográfica sobre produtos turísticos culturais, Direito Romano e atrativos da época romana, seguidos da associação de atrativos e temas em um roteiro, bem como da avaliação temática, didática e comercial sobre sua viabilidade.
Originalidade/Relevância: o estudo se insere em uma lacuna teórica, em que se destaca a relevância de se estudar o turismo temático, pois assuntos como esse impactam o setor e proporcionam perspectivas econômicas, sociais e projetos governamentais.
Principais resultados: o roteiro turístico temático de Direito Romano inclui locais em que o Direito Romano foi aplicado e se desenvolveu, como Roma, Pompeia, Ostia, Verona, várias cidades na Gália Romana (atual França), Éfeso, Pérgamo e Istambul (antiga Constantinopla). Infere-se que o roteiro apresenta validação preliminar temática, didática e comercial. Contribuições teóricas/metodológicas: a pesquisa propõe um roteiro temático, assunto sobre o qual há relativa escassez de artigos, e abre a possibilidade de roteiros planejados no âmbito do tema “Direito Romano” alavancarem pesquisas futuras com foco em cada linha do Direito.
Contribuições sociais/para a gestão: a proposta de realização de um roteiro temático de Direito Romano junto aos atrativos pesquisados apresenta amplo potencial de exploração como produto turístico cultural, especialmente para os estudos de Direito, oferecendo o expressivo benefício da experiência vivencial memorável in loco.

 


Palavras-chave


Roma Antiga; Turismo histórico cultural; Roteiro turístico temático; Direito romano.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrukiu, A. M. G., Iha, A. Y., Silva, D. R., & Nitsche, L. B. (2015). Reminiscências de Guerra em Curitiba, Paraná, Brasil: proposta de um roteiro turístico local. Cultur, 9(2), 151-173. http://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/571

Anjos, G. S., Lima, A. E. F. (2017). Turismo Religioso: um estudo sobre a demanda de roteiro turístico das igrejas católicas do centro de Fortaleza-Ceará-Brasil. Conexões Ciência e Tecnologia. 11(5), 78-89. https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i5.1270

Bahl, M. (2004). Viagens e Roteiros turísticos. Curitiba, PR: Protexto.

Bahl, M., Nitsche, L. B. (2012). Roteiros e itinerários turísticos como elementos dinâmicos no desenvolvimento regional do turismo. In S. P. Ramos (Ed.), Planejamento de roteiros turísticos (pp. 37-54). Porto Alegre, RS: Asterisco.

Brambatti, L. (2002). Roteiros de turismo e patrimônio histórico. Porto Alegre, RS: EST.

Cisne, R. de N. C. (2011). Por um pensar complexo do turismo: o roteiro turístico sob a lógica dos fluxos. Revista do Programa de Pós-graduação em Turismo, 3(3). http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/946

Cisne, R. de N. C.; & Gastal, S. (2009). A produção acadêmica sobre Roteiro Turístico: um debate pela superação. In Universidade Anhembi Morumbi (Eds.) Anais do VI Seminário da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo (p. 1-12). São Paulo, SP. Recuperado em 27 fevereiro, 2022, de https://www.anptur.org.br/anais/anais/files/6/109.pdf

Costa, W. F., Tito, A. L. de A., Brumatti, P. N. M., & Alexandre, M. L. de O. (2018). Uso de instrumentos de coleta de dados em pesquisa qualitativa: um estudo em produções científicas de turismo. Turismo – Visão e Ação, 20(1), 2-28. https://doi.org/10.14210/rtva.v20n1.p02-28

Dencker, A. de F. M. (2016). Pesquisa em Turismo: planejamento, métodos e técnicas. 9. ed. São Paulo, SP: Futura.

Digesto de Justiniano, liber primus: introdução ao direito romano. (2013). 7. ed. São Paulo, SP: Revista dos Tribunais.

Ferreira, L., Aguiar, L., & Pinto, J. (2012). Turismo cultural, itinerários turísticos e impactos nos destinos. Cultur, 6(2), 109-126. periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/287

Figueira, L. M. (2013). Manual para elaboração de roteiros de turismo cultural. IPTomar. Recuperado em 27 fevereiro, 2022, de www.cda.ipt.pt/download/ebooks/Manual_Roteiros_CESPOGA2013.pdf

Folha de S. Paulo. (2009). Guia Visual: Itália. (Eyewitness Travel Guide: Italy).

Folha de S. Paulo. (2004). Guia Visual: Turquia. (Eyewitness Travel Guide:Turkey).

Folha de S. Paulo. (2007). Guia Visual: França. (Eyewitness Travel Guide: France).

Fonseca Filho, A. da S. (2008). Turismo e Cultura: uma proposta de roteiro turístico para a Estância Turística de São Pedro-SP. Revista Eletrônica de Turismo Cultural, 2(1), 1-20. Recuperado em 27 fevereiro, 2022, de www.academia.edu/462336/Turismo_e_Cultura_uma_proposta_de_roteiro_turistico

Fontenelle, G. (2016). 7 lugares fora do óbvio para entender o Império Romano em Roma. Recuperado em 27 fevereiro, 2022, de https://viagemeturismo.abril.com.br/blog/viagem-no-tempo/

Gaius. (2004). Institutas do Jurisconsulto Gaio. São Paulo: RT.

Gil, A. C. (2019). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 7. ed. São Paulo, SP: Atlas.

Grivot, D. C. H. (2016). Ainda é importante estudar direito romano? Atitude: revista de divulgação científica da Faculdade Dom Bosco, 10(21), 50-55. Recuperado em 27 de fevereiro, 2022, biblioteca.faculdadedombosco.edu.br:8081/pergamumweb/vinculos/000001/0000106.pdf

Grivot, D. C. H. Plano de Ensino da Disciplina Direito Romano. Porto Alegre, RS: Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre.

Ignarra, L. R. (2003). Fundamentos do Turismo. 2. ed. São Paulo, SP: Thomson.

Kings and Things. (2018). 5 Incredibly Well Preserved Roman Buildings. Recuperado em 27 fevereiro, 2022, de https://www.youtube.com/watch?v=HPzgGW6Cfsk

Korstanje, M. E. (2015). Problemas de campo en los estudios turísticos. Revista Turismo: Estudos & Práticas, 4(2), 19-34. Recuperado em 27 de fevereiro, 2022, de https://geplat.com/rtep/index.php/tourism/article/view/79

Liebs, D. (2017). Perante os juízes romanos: processos célebres da Roma antiga. (Traduzido por Márcio Flavio Mafra Leal). São Paulo, SP: Saraiva.

Malanovicz, A. V. (2019). Levantamento Filmográfico sobre Direito Romano. Recuperado em 27 de fevereiro, 2022, de https://www.recantodasletras.com.br/trabalhos-academicos-de-direito/6759659

Malanovicz, A. V. (2020). Direito Romano in Streaming. Romanitas: Revista de Estudos Grecolatinos, 16, 274-294. https://doi.org/10.17648/rom.v0i16.31428

Malanovicz, A. V. (2021). Produção Audiovisual como Prática Inovadora na Apresentação de Plano de Ensino de Disciplina. In Luz, T. R. (Ed.). Coletânea Especial de Engenharia de Produção (pp. 287-298). Itajubá, MG: Kreatik.

Moesch, M. (2000). A produção do saber turístico. São Paulo, SP: Contexto.

Moreira Alves, J. C. (2021). Direito Romano. 20. ed. rev. Rio de Janeiro: Forense.

Nacata Júnior, E. K. (2012). O Programa de Estudos de Justiniano para as Escolas de Direito do Império Bizantino. R. Fac. Dir. Univ. São Paulo, 106/107, 677-719. Recuperado em 27 de fevereiro, 2022, de https://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67962

Nascimento, I. L. B., & Nóbrega, W. R. M. (2016). Turismo e desenvolvimento local: um ensaio sobre o corredor cultural de Mossoró. TURyDES Revista de Investigación en Turismo y desarrollo local, 20. Recuperado em 27 de fevereiro, 2022, de https://www.eumed.net/rev/turydes/20/crescimento.html

Palma, R. F. (2016). História do Direito. 6. ed. São Paulo, SP: Saraiva.

Pereira, T., & Limberger, P. F. (2020). Turismo Cemiterial: estudo sobre as experiências no Cemitério da Consolação a partir do Tripadvisor. REUNA, 25(1), 1-19. http://dx.doi.org/10.21714/2179-8834/2020v25n1p1-19

Pereiro Perez, X. (2002). Itinerários turístico-culturais: análise de uma experiência em Chaves. In Actas do 3º Congresso de Trás-os-Montes. Bragança, Portugal: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Rodriguez, M. (2003). Preservar e consumir: patrimônio histórico e turismo. In FUNARI, P., PINSKY, J. (Eds). Turismo e patrimônio cultural (p.17). 3. ed. São Paulo, SP: Contexto.

Santos, L. L. G., Santos, C. A. J., & Campos, A. C. (2012). Regionalização do turismo no Brasil e a descentralização do turismo no estado de Sergipe: o caso do roteiro cidades históricas. In Anais do XII Colóquio Internacional de Geocrítica. Bogotá: Universidade Nacional da Colômbia.

Sebrae. (2014). Roteiros de Turismo. Brasil: SEBRAE.

Silva, V., & Oliveira, C. (2015). Atividade turística na cidade do recife: levantamento e diagnóstico de sítios arqueológicos. Revista Arqueologia Pública, 9(2), p. 3-18. https://doi.org/10.20396/rap.v9i2.8642864

Souza, F. (Ed). (2015). Investigação qualitativa: inovação, dilemas e desafios. Aveiro: Ludomedia.

Tabata, R. (2007). Tematic Itenaries: An Approach to Tourism Product Development. Manoa, HI: University of Hawaii.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v11i2.19024

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional