Avaliação do uso de contraceptivo de emergência em distintas regiões de São Paulo

Geisa Pereira dos Santos, Jaqueline Rocha Borges dos Santos

Resumo


Introdução: A contracepção de emergência (pós-coito) pode ser utilizada por mulheres após uma relação sexual desprotegida. Todavia, é usada de maneira descontrolada por adolescentes e adultas. Objetivo: Desse modo, objetivou-se identificar o perfil das consumidoras de contraceptivos de emergência. Método: Farmacêuticos de trinta farmácias de pequeno, médio e grande porte nas regiões: norte, leste, oeste e centro de São Paulo foram entrevistados. Três marcas diferentes do fármaco levonorgestrel foram consideradas quanto ao consumo, por ordem decrescente de preço, respectivamente: A, B e C. Resultados: Verificou-se que 87% dos farmacêuticos apontaram que as jovens são as principais usuárias do fármaco. A procura por orientação farmacêutica atingiu 73%; em contrapartida, o medicamento foi comercializado sem prescrição médica. Apenas em 16% das farmácias houve relatos de ocorrência de reações adversas. Embora a marca B tenha sido a mais comercializada (44%), houve diferenças de consumo por custo versus perfil socioeconômico nas regiões estudadas. Conclusão: O estudo mostrou a necessidade de programas educativos sobre contracepção de emergência.

Palavras-chave


Anticoncepção pós-coito; Educação em saúde; Orientação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i2.2337

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.