Avaliação da resistência isométrica dos músculos do tronco em adolescentes de diferentes idades e sexos

Valéria Mayaly Alves de Oliveira, Natália Barros Beltrão, Ana Carolina Rodarti Pitangui, Arley Ribeiro de Castro, Marco Aurélio de Valois Correia Júnior, Rodrigo Cappato de Araújo

Resumo


Introdução: A associação entre dor lombar e a baixa resistência dos músculos estabilizadores do tronco tem sido documentada entre adolescentes. Objetivo: Avaliar o tempo de resistência isométrica dos estabilizadores do tronco em adolescentes. Métodos: Adolescentes (n=520), entre 10 e 19 anos, foram submetidos a quatro testes de resistência do tronco com registro da manutenção em segundos. A classificação qualitativa do desempenho foi feita por meio de médias, mínimos, máximos e quartis. Para comparação entre idades e sexos e a interação desses fatores utilizou-se Anova two-way com pós-teste Bonferroni. Resultados: O sexo masculino apresentou melhor desempenho nos testes (p≤ 0,003) e este aumento foi proporcional à idade. A presença de interação entre os dois fatores para os testes em extensão e flexão demonstra que o desempenho difere entre sexos e idades. Conclusão: O sexo e a idade influenciam no desempenho dos testes de resistência muscular do tronco em adolescentes.

Palavras-chave


Adolescente; Dorso; Resistência física.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n2.5452

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.