Auditoria de saúde e segurança ocupacional em uma empresa do setor cerâmico no estado do Amazonas/Brasil

Thaís Mendes Repolho, Moisés Andrade Coelho

Resumo


Este trabalho objetiva conduzir uma auditoria de saúde e segurança ocupacional em uma empresa do setor cerâmico no estado do Amazonas. Com relação à abordagem do problema, este estudo caracteriza-se como quantitativo e exploratório no que tange os objetivos. A técnica de pesquisa utilizada foi o estudo de caso em uma empresa do setor cerâmico localizada no estado do Amazonas. Entre os principais resultados estão análise mais aprofundada das atividades desenvolvidas na empresa, identificando os fatores de riscos nos diferentes setores, identificando padrões mais positivos e negativos, podendo assim verificar se estão de acordo com o que está estabelecido. A relevância do estudo reside na aplicação de um instrumento que possibilita identificar os principais fatores de risco relacionados à saúde e segurança ocupacional.


Palavras-chave


Ergonomia; Auditoria de saúde e segurança ocupacional; Normas regulamentadoras; Setor cerâmico; Amazonas.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Abrahão, J.; Sznelwar, L. I. ; Silvano, A.; Samet, M. ; & Pinho, D. (2009). Introdução à Ergonomia: da Prática à Teoria. São Paulo: Edgard Blucher.

Barrat, M.; Choi, T. Y.; & Li, M. (2011). Qualitative case studies in operations management: trends, research outcomes and future research implications. Journal of Operations Management, 29 (4), 329-342.

Baxter, P.; & Jack, S. (2008). Qualitative case study methodology: study design and implementation for novice researchers. The Qualitative Report, 13 (4), 544-559.

Béguin, P. (2007). O ergonomista, ator da concepção. In: FALZON, Pierre. Ergonomia – Editora Blucher.

Benbasat, I.; Goldstein, D. K.; & Mead, M. (1987). The case research strategy in studies of information systems. MIS Quarterly, 11 (3), p. 369-386.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 33, de 27 de outubro de 1983. NR-4 – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT, Brasília, DF, 31 out. 1983.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 8, de 23 de fevereiro de 1999. NR-5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, Brasília, DF, 24 fev. 1999.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 25, de 15 de outubro de 2001. NR-6 - Equipamento de Proteção Individual – EPI, Brasília, DF, 17 out. 2001.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 24, de 29 de dezembro de 1994. NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO, Brasília, DF, 30 dez. 1994.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 12, de 06 de junho de 1983. NR-8 - Edificações, Brasília, DF, 14 jun. 1983.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 25, de 29 de dezembro de 1994. NR-9 - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, Brasília, DF, 30 dez. 1994.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria 197, de 17 de dezembro de 2010. NR12 - Segurança no trabalho em máquinas e equipamentos, Brasília, DF, 24 dez. 2010.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 12, de 06 de junho de 1983. NR-14 - Fornos, Brasília, DF, 06 jun. 1983.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 3.214, de 08 de junho de 1978. NR15 - Atividades e operações insalubres, Brasília, DF, 06 jul. 1978.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n° 3.751, de 23 de novembro de 1990. NR-17 – Ergonomia, Brasília, DF, 26 nov. 1990.

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria 221, de 06 de maio de 2011. NR-23 – Proteção contra incêndios, Brasília, DF, 10 mai. 2011.

Bureau Internacional do Trabalho. (2009). Introdução à saúde e segurança do trabalho. Genebra: ILO.

Castro, T.; Okawa, C. (2016). Auditoria de segurança e saúde do trabalho em uma indústria de alimentos do estado do Paraná. Revista Produção Online, 16 (2), 678-704.

Chibinski, M. (2011). Introdução à segurança do trabalho. Curitiba: Instituto Federal Paraná.

Daniellou, F.; Béguin, P. (2007). Metodologia da ação ergonômica: abordagens do trabalho real. In: Falzon, P. Ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher.

Daniellou, F. (2007). A ergonomia na condução de projetos de concepção de sistemas de trabalho. In: Falzon, P. Ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher.

Dul, J.; & Weerdmeester, B. (2004). Ergonomia Prática. 2ª ed. rev e ampl. – São Paulo: Edgard Blucher.

Falzon, P. (2007). Ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher.

Ferreira, L.; & Peixoto, N. (2012). Segurança do Trabalho I. Rio Grande do Sul: Colégio Técnico Industrial de Santa Maria.

Guérin, F. et al. (2001). Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo: Blucher: Fundação Vanzolini.

Iida, I. (2005). Ergonomia: projeto e produção. 2ª edição rev. e ampl. – São Paulo: Edgard Blucher.

IEA – International Ergonomics Association. (2018). What is ergonomics? Retrieved from: https://www.iea.cc/whats/index.html.

Kvale, S. (1996). Interviews: an introduction to qualitative research interviewing. London: Sage.

Lamonde, F. (2007). As prescrições dos ergonomistas. In: Falzon, P. Ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher.

Marconi, M. A.; & Lakatos, E. M. (1996). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, analise e interpretação de dados. 3. Ed. São Paulo: Atlas.

McCutcheon, D. M.; & Meredith, J. R. (1993). Conducting case study research in operations management. Journal of Operations Management, 11 (3), 239-256.

Miguel, P. A. C. (Org.). (2012). Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier: ABEPRO.

Oliveira, J. C. (2003). Segurança e saúde no trabalho: uma questão mal compreendida. São Paulo em Perspectiva, 17(2), 03-12.

Rocha, G. C. (2004). Trabalho, saúde e ergonomia: relação entre aspectos legais e médicos. São Paulo: Juruá.

Ruiz, V. S.; Araújo, A. L. L. (2012). Saúde e segurança e a subjetividade no trabalho: os riscos psicossociais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37 (125), 170-180.

Servo, L. M. S.; Salim, C. A.; Chagas, A. M. R. (2011). Saúde e segurança no trabalho no Brasil: os desafios e as possibilidade para atuação do executivo federal. In: Chagas, A. M. R.; Salim, C. A.; Santos, L. M (Org.). 2011. Saúde e segurança no trabalho no Brasil: aspectos institucionais, sistemas de informação e indicadores. Brasília: IPEA.

Silva, E.; & Menezes, E. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. Florianópolis: UFSC.

Vergara, S. C. (2009). Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas.

Voss, C.; Tsikriktsis, N., & Frohlich, M. (2002). Case research in operations management. International Journal of Operations & Production Management, 22 (2), 195–219.

Yin, R. K. (1994). Case Study Research, Design and Methods. 2nd ed. Newbury Park: Sage Publications.




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.v18n4.13731

Direitos autorais 2020 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2020 Todos os direitos reservados.