Um estudo sobre as condições de trabalho e layout industrial para a realização de mudanças em uma oficina de componentes ferroviários da MRS logística

Josemar Coelho Felix, Leandro César Mol Barbosa, Afonso Flavio De Assis Valente

Resumo


Este artigo apresenta uma proposta de mudanças no projeto da oficina de recuperação parcial de truques e testes de partículas magnéticas da Gerência de Manutenção-MG da MRS Logística, de forma a melhorar as condições de trabalho e garantir a segurança, eficiência produtiva, controle de custo e a satisfação do trabalhador. Esta pesquisa considerada participativa, analisou a situação do ambiente e criou ações com fundamentos bibliográficos sobre gestão de projeto, layout e unidade produtiva. A construção da caracterização do caso e compreensão dos aspectos locais, permitiu contextualizar qualitativamente a empresa, a área analisada, seus processos e as particularidades do grupo de trabalho. Isso possibilitou entender os riscos e classificá-los de acordo com cada modificação necessária. Com o término da pesquisa e realização das intervenções, verificou-se a necessidade da elaboração de um material para orientar a montagem de ambientes na empresa. 


Palavras-chave


Layout; MRS Logística; Ambiente Produtivo; Ferrovia; Manutenção.

Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque, S. (2018). A influência do Espaço construído no ambiente de trabalho/estudo. 85 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de Produção, IFMG-Campus Congonhas, 2018.

Andreto, L (2005). Influência do espaço construído na produtividade:Avaliação baseada na ergonomia do ambiente construído e na psicologia dos espaços de trabalho. Tese de Doutorado. Dissertação. PPGEP-UFPE, Recife.

Argoud, A. (2007). Procedimento para projeto de arranjo físico modular em manufatura através de algoritmo genético de agrupamento. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

Baio, C., Falce, D., Rodrigues, M., Ludwig, V. (2016). Gerenciamento de Projetos: Diretrizes MRS. Juiz de Fora: Diretoria de Finanças e Desenvolvimento.

Bem, A. (2013). Análise do processo produtivo e proposta de melhorias no arranjo físico e no processo produtivo de uma indústria de mosaicos: um estudo de caso. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Brasil. Ministérios dos Transportes. Contrato de Concessão Que Entre Si Celebram A União, Por Intermédio Entre O Ministério dos Transportes, e A Empresa Mrs Logística S. A.,Para Exploração e Desenvolvimento do Serviço Publico de Transporte Ferroviário de Carga na Malha Sudeste. nº 37115342/0001-67. Diário Oficial da União. Brasília, Disponível em: https://www.mrs.com.br/wp-content/uploads/2014/07/Contrato-de-Concess%C3%A3o-MRS-Log%C3%ADstica.pdf. Acesso em: 11 maio 2019.

Brasília. (2015).DNIT. Histórico Ferroviário. Disponível em: https://189.9.128.64/ferrovias/historico/historico#wrapper. Acesso em: 21 jun. 2018.

Costa, F.(2016).Estudo da resposta dinâmica de truques ferroviários através de instrumentação de trilho e comparação com resultados de simulação dinâmica de vagões. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Juiz de Fora.

Costa, M., Silva, R., Ferreira, M., Ramos Filho., A. (2017). Mudança de Cultura Organizacional Top-Down: um estudo de caso. Revista de Administração da UNIFATEA, v. 13, n. 13.

Cruz, F. ( 2013) Scrum e PMBOK unidos no Gerenciamento de Projetos. Brasport.

Cubas, K., Figueiredo, T. (2015). H (app) Y:Gestão criativa da felicidade uma ferramenta para gerenciar o capital psicológico nas organizações. TCC(Especialização), Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Favaretto, P., Kurek, J., Gomes, A. Caibre, D., Pandolfo, A. (2011). Projeto de Layout Industrial para uma Empresa do Ramo Meta-Mecânico com Base nos Princípios da Produção Enxuta. Revista Ciências Exatas e Naturais, v. 13, n. 1.

Franco, F. (2015).Partículas magnéticas. UNICAMP. Campinas: Slides. 42 slides, color.

Freitas,N. (2015) FUNDAMENTOS DE VAGÕES MRS. Juiz de Fora: s.n., (Apostila para Treinamento e desenvolvimento de funcionários da MRS Logística.).

Gama,P., Jacubavicius,C., FormigonI,A.(2015). Proposta de controle de escopo por meio da estrutura analítica do projeto (eap): estudo de caso. Sadsj -south American Development Societyjournal, São Paulo, v. 1, n. 1.

Gil, A. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. - São Paulo: Atlas.

Highsmith, J. (2004). Agile project management:Creating innovative products. Redwood City.

Kardec, A., Nascif,J.(2001). Manutenção-função estratégica.Qualitymark Editora Ltda.

Lang, A. (2007). As ferrovias no Brasil e avaliação econômica de projetos: uma aplicação em projetos ferroviários. Dissertação (Mestrado em transportes), Universidade de Brasília, Brasília.

Machline, C. (1990) Manual de Administração da Produção. 9ª ed. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas.

Masculo, F., Vidal, M. (2011). Ergonomia: trabalho adequado e eficiente. Elsevier Brasil.

Méxas, M. P., Correa, M. P. Q., de Castro, J. F. T., Drumond, G. M., & Costa, H. G. (2019). É possível uma metodologia de gerenciamento de projetos mais leve e menos burocrática?. Revista GEPROS, 14(1), 300.

Miguel, P.(2012). Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. Elsevier.

MRS Logística. Quem Somos. (2014). Disponível em: https://www.mrs.com.br/empresa/quem-somos/. Acesso em: 11 maio 2019.

Neumann, C., Fogliatto, F.(2013) Sistemática para avaliação e melhoria da flexibilidade de layout em ambientes dinâmicos. Gestão e Produção, v. 20, n. 2, p. 235-254.

Neves, H. C. C., Souza, A. C. S., Medeiros, M., Munari, D. B., Ribeiro, L. C. M., & Tipple, A. F. V. (2011). Segurança dos trabalhadores de enfermagem e fatores determinantes para adesão aos equipamentos de proteção individual. Rev Latino-Am. Enfermagem, 19(2), 354-361.

Pache, R., Silva, V. B., dos Santos, L. A., Garlet, E., & Godoy, L. P. (2015). Princípios da manufatura enxuta como proposta para arranjo físico na indústria de transformação de termoplásticos. Engevista, 17(4), 507-524.

PMI. (2013). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos (Guia PMBOK®). Project Management Institute, Quinta Edição.

Prodanov, C., Freitas, E. (2003). Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale.

Rodrigues, M. L., Malheiros, T. F., Fernandes, V., & Dagostin Darós, T. (2012). A percepção ambiental como instrumento de apoio na gestão e na formulação de políticas públicas ambientais. Saúde e sociedade, 21, 96-110.

Salles JR, C. A., Soler, A. M., Valle, J. D., & Rabechini Jr, R. (2006). Gerenciamento de riscos em projetos. Rio de Janeiro: FGV.

Slack, N., Chambers, S., Johnston, R. (2009). Administração da Produção. Tradução: Henrique Luiz Corrêa. 3ª ed. São Paulo: Atlas.

Sotille, M. (2015). Gerenciamento do escopo em projetos. Editora FGV.

Tortorella, G., Fogliatto, F. (2008). Planejamento sistemático de layout com apoio de análise de decisão multicritério. Produção, v. 18, n. 3, p. 609-624.

Valle, A. (2015) Fundamentos do gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro. Editora FGV.

Zanella, L. (2006). Metodologia da pesquisa. SEAD/UFSC.




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.2021.17873

Direitos autorais 2021 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2022 Todos os direitos reservados.

Este obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional