CONTRIBUIÇÃO DOS PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA COMO INSTRUMENTO PARA O FORTALECIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL E PRÁTICAS DE COLETA SELETIVA: uma análise bibliométrica

Franciele Stoffel Viña, Liane Mahlmann Kipper, Jorge André Ribas Moraes

Resumo


Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) necessitam de uma gestão adequada, por ser um tema complexo que envolve o cuidado com o meio ambiente e a saúde da população. O objetivo da pesquisa é mapear a evolução do conceito de ponto de entrega voluntária (PEV) e suas relações com o processo de reciclagem dos RSU; avaliar como a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) contribuiu para a disseminação das Cooperativas de Materiais Recicláveis e como a gestão municipal pode utilizar os PEVs como instrumentos para o fortalecimento das práticas da coleta seletiva no Brasil. A gestão municipal, utilizando os 16 indicadores selecionados, poderá estruturar PEVs, atendendo a PNRS, e qualificar a gestão dos RSU. Essa ação contribuirá para melhorar a qualidade de vida dos catadores de materiais recicláveis, elevará a educação ambiental de toda a população afetada e reduzirá desperdícios de materiais que podem ser reintroduzidos na cadeia de produção e consumo.

Palavras-chave


Pontos de entrega voluntária; Gestão Municipal; Reciclagem; Coleta Seletiva; Cooperativas

Texto completo:

PDF

Referências


Alvarez, J. L., Larrucea, M. A., Quero, S. F. C., & Valle, A. J. del (2008). Optimizing the collection of used paper from small businesses through GIS techniques: The Leganés case (Madrid, Spain). Waste Management, 28(2), 282-293. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.wasman.2007.02.036

Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais-ABRELPE, (2019). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019. Disponível: https://abrelpe.org.br/panorama/.

Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais-ABRELPE, (2020). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2020. Disponível: https://abrelpe.org.br/panorama/. Acesso em: 10 abr. 2021.

Batista, T. A., Oliveira, J. A., & Oliveira, L. D. P. D. S. de (2016). A gestão de resíduos sólidos como instrumento de promoção social. Linguagem Acadêmica, 6(3), 9-28. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://goo.gl/Uj22eA

Besen, G. R. (2011). Coleta seletiva com inclusão de catadores: construção participativa de indicadores e índices de sustentabilidade. Tese de doutorado, Faculdade de Saúde Pública da USP, São Paulo, SP, Brasil. Disponível: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/190333/mod_resource/content/1/GinaRizpahBesen.pdf

BRASIL. [Constituição (2010)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 2010.

BRASIL. Ministério das Cidades. SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2011 (2011) Brasília: MCIDADES. SNSA, 2013. Disponível em: http://www.snis.gov.br.

Bringhenti, J. R. (2004). Coleta seletiva de resíduos sólidos urbanos: aspectos operacionais e da participação da população. Tese de doutorado, Faculdade de Saúde Pública da USP, São Paulo, SP, Brasil. Disponível: https://www.researchgate.net/profile/Wanda-Maria-Guenther/publication/266471400_COLETA_SELETIVA_DE_RESIDUOS_SOLIDOS_URBANOS_ASPECTOS_OPERACIONAIS_E_DA_PARTICIPACAO_DA_POPULACAO_ORIENTADOR_PROF_a_DR_a/links/56699bd008aea0892c49ad0c/COLETA-SELETIVA-DE-RESIDUOS-SOLIDOS-URBANOS-ASPECTOS-OPERACIONAIS-E-DA-PARTICIPACAO-DA-POPULACAO-ORIENTADOR-PROF-a-DR-a.pdf

Campani, D. B. (2012). Indicadores socioambientais como instrumento de gestão na coleta seletiva de resíduos sólidos urbanos. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil. Disponível: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/61921

Cobo, M. J., López‐Herrera, A. G., Herrera‐Viedma, E., & Herrera, F. (2012). SciMAT: A new science mapping analysis software tool. Journal of the American Society for Information Science and Technology, 63(8), 1609-1630. Recuperado em 22 julho, 2021, de https://doi.org/10.1002/asi.22688

Duarte, A. C. L. et al. (2012). Análise preliminar da sustentabilidade da coleta seletiva doméstica em município baiano. In: CONGRESSO INTERAMERICANO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 33., Salvador. Anais... Rio de Janeiro: ABES; AIDIS, 2012. 1 CD-ROM.

Fagury, S. C., & Grande, F. M. (2007). Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD)-aspectos gerais da gestão pública de São Carlos/SP. Exacta, 5(1), 35-45. Recuperado em 15 julho, 2021, de https://www.redalyc.org/pdf/810/81050104.pdf

Fechine, R., & Moraes, L. R. S. (2014). Indicadores de sustentabilidade como instrumentos para avaliação de programas de coleta seletiva de resíduos sólidos urbanos e sua aplicação na cidade de Salvador-BA. Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais, 2(1), 87-104. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://periodicos.ufba.br/index.php/gesta/article/viewFile/9223/8532

Feo, G. de, & Polito, A. R. (2015). Using economic benefits for recycling in a separate collection centre managed as a “reverse supermarket”: A sociological survey. Waste Management, 38, 12-21. Recuperado em 26 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.wasman.2015.01.029

Ferreira, V. A., & Tambourgi, E. B. (2009). A importância do gerenciamento de resíduos sólidos urbanos. Exacta, 7(2), 157-164. Recuperado em 22 junho, 2021, de https://doi.org/10.5585/exacta.v7i2.1633

Furstenau, L. B., Sott, M. K., Kipper, L. M., Machado, E. L., Lopez-Robles, J. R., Dohan, M. S., Cobo, M. J., Zahid, A., Abbasi, Q. H., & Imran, M. A. (2020). Link between sustainability and industry 4.0: trends, challenges and new perspectives. Ieee Access, 8, 140079-140096. Recuperado em 29 junho, 2021, de https://doi.org/10.1109/ACCESS.2020.3012812

Gularte, L. C. P., Bortoluzzi, S. C., Lima, J. D. de, Pinto, M. A. N., & Santos Goffi, A. dos (2018). Análise bibliométrica e sistêmica da literatura sobre viabilidade econômica-financeira, gestão e sustentabilidade da reciclagem de resíduos da construção civil. Exacta, 16(4), 45-58. Recuperado em 16 julho, 2021, de https://doi.org/10.5585/exactaep.v16n4.7436

Haupt, M., Waser, E., Würmli, J. C., & Hellweg, S. (2018). Is there an environmentally optimal separate collection rate?. Waste management, 77, 220-224. Recuperado em 13 julho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.wasman.2018.03.050

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional do Saneamento Básico-IBGE (2008). Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA. (2010). Pesquisa sobre pagamento por serviços ambientais urbanos para gestão de resíduos sólidos. Disponível: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=8858

Islam, M. T., Dias, P., & Huda, N. (2020). Waste mobile phones: A survey and analysis of the awareness, consumption and disposal behavior of consumers in Australia. Journal of Environmental Management, 275, 111111. Recuperado em 15 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2020.111111

Kaseva, M. E., & Gupta, S. K. (1996). Recycling—an environmentally friendly and income generating activity towards sustainable solid waste management. Case study—Dar es Salaam City, Tanzania. Resources, conservation and recycling, 17(4), 299-309. Recuperado em 06 julho, 2021, de https://doi.org/10.1016/S0921-3449(96)01153-6

Kerber, J. C., Souza, H. R. A. D., Hassemer, M. E. N., & Bouzon, M. (2020). Preliminary study for implementation of voluntary delivery points of expanded polystyrene: a case in southern Brazil. Production, 30. Recuperado em 15 julho, 2021, de https://doi.org/10.1590/0103-6513.20190069

Kipper, L. M., Mahlmann, C. M., & Rodríguez, A. L. (2009). Ações estratégicas sistêmicas visando à integração da cadeia produtiva e de reciclagem de plásticos. Revista Produção Online, 9(4). Recuperado em 05 junho, 2021, de https://doi.org/10.14488/1676-1901.v9i4.348

Lawrence, K., Cooper, V., & Kissoon, P. (2020). Sustaining voluntary recycling programmes in a country transitioning to an integrated solid waste management system. Journal of environmental management, 257, 109966. Recuperado em 22 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2019.109966

Lee, C. H., Chang, S. L., Wang, K. M., & Wen, L. C. (2000). Management of scrap computer recycling in Taiwan. Journal of hazardous materials, 73(3), 209-220. Recuperado em 13 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/S0304-3894(99)00191-0

Lima, R. M. S. R. (2006). Implantação de um programa de coleta seletiva porta a porta com inclusão de catadores: estudo de caso em Londrina – PR. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, Brasil. Disponível: http://www.uel.br/pos/enges/dissertacoes/29.pdf

Maiello, A., Britto, A. L. N. P., & Valle, T. F. (2018). Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Revista de Administração Pública, 52, 24-51. Recuperado em 15 julho, 2021, de https://doi.org/10.1590/0034-7612155117

Milanez, B. (2002). Resíduos sólidos e sustentabilidade. Princípios, indicadores e instrumentos de ação. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brasil.

Noehammer, H. C., & Byer, P. H. (1997). Effect of design variables on participation in residential curbside recycling programs. Waste Management & Research, 15(4), 407-427. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://doi.org/10.1006/wmre.1996.0096

Nolan, J. M. (2017). Environmental policies can buttress conservation norms. Society & Natural Resources, 30(2), 228-244. Recuperado em 22 junho, 2021, de https://doi.org/10.1080/08941920.2016.1209266

Oliveira, E. F. T. D., & Gracio, M. C. C. (2011). Indicadores bibliométricos em ciência da informação: análise dos pesquisadores mais produtivos no tema estudos métricos na base Scopus. Perspectivas em Ciência da Informação, 16, 16-28. Recuperado em 05 julho, 2021, de https://doi.org/10.1590/S1413-99362011000400003

Oliveira, R. B. de, & Paschoalin, J. A., Filho (2016). Mapa interativo para a localização de pontos de entrega voluntária de resíduos recicláveis na cidade de São Paulo. Exacta, 14(2), 163-172. Recuperado em 15 julho, 2021, de https://doi.org/10.5585/exactaep.v14n2.6169

Organização das Nações Unidas-ONU (2017). REPORT OF THE UNITED NATIONS CONFERENCE ON THE HUMAN ENVIRONMENT. Disponível: http://www.un-documents.net/aconf48-14r1.pdf

Organisation for Economic Co-Operation and Development - OECD (1993). OECD core set. Paris: Organization for Economic Co-operation and Development.

Park, S., & Berry, F. S. (2013). Analyzing effective municipal solid waste recycling programs: the case of county-level MSW recycling performance in Florida, USA. Waste management & research, 31(9), 896-901. Recuperado em 03 julho, 2021, de https://doi.org/10.1177%2F0734242X13495725

Paschoalin, J. A., Filho, Frasson, S. A., Camelo, D. G., Melo Conti, D. de, & Cortese, T. T. P. (2021). Usinas de reciclagem de entulho e os entraves existentes no setor da construção civil: uma pesquisa exploratória. Exacta, 19(1), 52-72. Recuperado em 16 julho, 2021, de https://doi.org/10.5585/exactaep.v19n1.10318

Ribeiro, H., Jacobi, P. R., Besen, G. R., Günther, W.M.R.; Demajorovic, J., & Viveiros, M. (2009). Coleta Seletiva com inclusão social: cooperativismo e sustentabilidade. (1.ed.). São Paulo: Annablume.

Ridley-Duff, R., & Bull, M. (2019). Understanding Social Enterprise: Theory and Practice. London: SAGE Publications Ltd.

Santiago, L. S., & Dias, S. M. F. (2012). Matriz de indicadores de sustentabilidade para a gestão de resíduos sólidos urbanos. Engenharia Sanitária e Ambiental, 17, 203-212. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://www.scielo.br/j/esa/a/HkLj9SJQVjtjZ4hcTnHDCCC/?lang=pt&format=pdf

Santiago, C. D. (2016). Planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos: desafios na implementação da política nacional de resíduos sólidos na bacia hidrográfica Tietê Jacaré–SP. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brasil. Disponível: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8042

Saphores, J. D. M., Nixon, H., Ogunseitan, O. A., & Shapiro, A. A. (2006). Household willingness to recycle electronic waste: an application to California. Environment and Behavior, 38(2), 183-208. Recuperado em 17 junho, 2021, de https://doi.org/10.1177%2F0013916505279045

Saphores, J. D. M., Ogunseitan, O. A., & Shapiro, A. A. (2012). Willingness to engage in a pro-environmental behavior: An analysis of e-waste recycling based on a national survey of US households. Resources, conservation and recycling, 60, 49-63. Recuperado em 22 junho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.resconrec.2011.12.003

Scopus (2021). Discover why the world's leading researchers and organizations choose Scopus. Recuperado em 22 junho, 2021, de https://www.elsevier.com/solutions/scopus?dgcid=RN_AGCM_Sourced_300005030

Sidique, S. F., Lupi, F., & Joshi, S. V. (2013). Estimating the demand for drop-off recycling sites: A random utility travel cost approach. Journal of environmental management, 127, 339-346. Recuperado em 22 julho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2013.05.001

Singhirunnusorn, W., Donlakorn, K., & Kaewhanin, W. (2012). Contextual factors influencing household recycling behaviours: A case of waste bank project in Mahasarakham Municipality. Procedia - Social and Behavioral Sciences 36, 688–697. Recuperado em 15 julho, 2021, de https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2012.03.075

Soares D. G., Barbosa, C. J., Vieira, E. R., Silva, A. F. (2020). Cooperativa de catadores e logística reversa: um estudo de caso na cidade de Goiânia, Goiás. Recuperado em 20 junho, 2021, de https://doi.org/10.37423/2020.edcl191

Solihin, M., Muljono, P., & Sadono, D. (2018). Sustainable waste management through trash bank in Ragajaya Village, Bogor Regency, West Java Province, Indonesia. International Journal of Progressive Sciences and Technologies, 9(2), 190–198. Recuperado em 05 julho, 2021, de http://dx.doi.org/10.52155/ijpsat.v9.2.506

Vining, J., Linn, N., & Burdge, R. J. (1992). Why recycle? A comparison of recycling motivations in four communities. Environmental management, 16(6), 785-797. Recuperado em 25 junho, 2021, de https://doi.org/10.1007/BF02645669




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.2022.20732

Direitos autorais 2022 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2022 Todos os direitos reservados.

Este obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional