Agenda 2030: alinhamento dos projetos estratégicos dos tribunais de justiça aos objetivos de desenvolvimento sustentável

Alan Bandeira Pinheiro, Beatriz Gomes de Oliveira Menezes, Leonel Gois Lima Oliveira, Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro

Resumo


O estudo tem por objetivo investigar o alinhamento dos objetivos de desenvolvimento sustentável no escopo dos projetos estratégicos dos tribunais estaduais do Brasil. Foram coletadas informações de 521 projetos e em seguida foi atribuída uma pontuação para cada projeto de acordo com os 17 ODS da Agenda 2030. A coleta de dados foi realizada por meio da consulta de páginas oficiais dos tribunais estaduais e a análise de dados foi realizada conforme a técnica de análise documental dos portfólios de projetos. Os achados da pesquisa demonstraram que tribunais de justiça de estados como Acre, Rio Grande do Sul, Paraíba e Paraná tem tido um maior alinhamento dos projetos estratégicos aos ODS. Na prática, isso significa que os projetos desses tribunais tendem a ter maior relação com os ODS. Em contrapartida, tribunais dos estados de Alagoas e Goiás, os projetos estratégicos tendem a não tratar de questões ambientais e sociais.

 


Palavras-chave


Desenvolvimento sustentável; Agenda 2030; Tribunais estaduais; Projetos estratégicos

Texto completo:

PDF

Referências


Azevedo, D. B., Pedrozo, E. Á., & Malafaia, G. C. (2012). Diálogos entre stakeholders: uma proposta para o agronegócio brasileiro. Revista Administração Em Diálogo, 14(2), 76–101. doi:https://doi.org/10.20946/rad.v14i2.12807

Badia, F., Bracci, E., & Tallaki, M. (2020). Quality and diffusion of social and sustainability reporting in Italian public utility companies. Sustainability (Switzerland), 12(11), 1–17. doi:https://doi.org/10.3390/su12114525

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo (2. ed.). Lisboa: Edições 70.

CNJ – Conselho Nacional de Justiça (2020). Meta 9 do Poder Judiciário brasileiro. Brasília: CNJ. Recuperado em 18 de janeiro, 2022 de https://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/agenda-2030/meta-9-do-poder-judiciario/.

Crane, B. (2020). Revisiting Who, When, and Why Stakeholders Matter: Trust and Stakeholder Connectedness. Business and Society, 59(2), 263–286. doi:https://doi.org/10.1177/0007650318756983

da Silva Filho, C. F., Carvalho de Benedicto, S., Sugahara, C. R., Vieira da Silva, L. H., Mercadante Viotti, R., & Conti, D. D. M. (2021). Análise das Ações de Responsabilidade Social nos Setores Metalúrgico e de Mineração no Brasil. Revista Administração Em Diálogo - RAD, 23(2), 27–41. doi:https://doi.org/10.23925/2178-0080.2021v23i2.49160

Donaldson, T., & Preston, L. E. (1995). The Stakeholder Theory of the Corporation: Concepts, Evidence, and Implications. The Academy of Management Review, 20(1), 65. doi:https://doi.org/10.2307/258887

Dotto, M. D. R., Feltrin, T. S., Denardin, A. C. M., & Ruiz, L. de M. (2019). Sustentabilidade em organizações públicas : estudo de uma instituição federal de ensino Brasileira. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 8(2), 235–259. doi:https://doi.org/10.5585/geas.v8i2.1090

Freeman, R. E. (1984). Strategic management: a stakeholder approach (1 ed.). Boston: Pitman/Ballinger.

Fritz, S., See, L., Carlson, T., Haklay, M. (Muki), Oliver, J. L., Fraisl, D., Mondardini, R., Brocklehurst, M., Shanley, L. A., Schade, S., Wehn, U., Abrate, T., Anstee, J., Arnold, S., Billot, M., Campbell, J., Espey, J., Gold, M., Hager, G., … West, S. (2019). Citizen science and the United Nations Sustainable Development Goals. Nature Sustainability, 2(10), 922–930. doi:https://doi.org/10.1038/s41893-019-0390-3

Góes, H. A. de A., Reis, G. G., & Abib, G. (2020). Quando a teoria dos stakeholders encontra a teoria da justificação : uma proposta de interseção. Cadernos EBAPE, 19(4), 901–917. doi:https://doi.org/10.1590/1679-395120200179

Hawrysz, L., & Foltys, J. (2016). Environmental aspects of social responsibility of public sector organizations. Sustainability (Switzerland), 8(1), 1–10. doi:https://doi.org/10.3390/su8010019

Mascena, K. M. C. de, Fischmann, A. A., & Boaventura, J. M. G. (2018). Priorização de Stakeholders em Empresas que Divulgam Relatórios GRI no Brasil. Brazilian Business Review, 15(1), 17–32. doi:https://doi.org/10.15728/bbr.2018.15.1.2

Moyer, J. D., & Hedden, S. (2020). Are we on the right path to achieve the sustainable development goals? World Development, 127, 104749. doi:https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2019.104749

Oliveira, A. G., Carvalho, H. A., & Corrêa, D. P. (2013). Governança Pública E Governabilidade: Accountability E Disclosure Possibilitadas Pela Contabilidade Aplicada Ao Setor Público Como Instrumento De Sustentabilidade Do Estado. Revista de Educação e Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 7(1), 91–104. doi:https://doi.org/10.17524/repec.v7i1.256

Oliveira, L. G. L, Nogueira, J. M. M., Pontes, D. S., & Silva Filho, J. C. L. da (2014). A gestão ambiental no Poder Judiciário: estudo exploratório de um tribunal de justiça. Revista de Administração, Ciências Contábeis e Sustentabilidade (Reunir), 4(2), 113-133. doi:https://doi.org/10.18696/reunir.v4i2.208

Pinheiro, A. B., da Silva Filho, J. C. L., & Moreira, M. Z. (2021). Institutional drivers for corporate social responsibility in the utilities sector. Revista de Gestão, 28(3), 186–204. doi:https://doi.org/10.1108/rege-08-2019-0088

Pinheiro, A. B., Sampaio, T. S. L., Guimarães, D. B., & Rebouças, S. M. D. P. (2021). Effect of the Cultural System on Corporate Social Responsibility Disclosure in the Energy Sector. Contabilidade Vista e Revista, 32(3), 217–241. doi:https://doi.org/https://doi.org/10.22561/cvr.v32i3.6924

Ricci, P., & Fusco, F. (2016). Social Reporting in the Italian Justice System: Milan Court Experience. Public Integrity, 18(3), 254–268. doi:https://doi.org/10.1080/10999922.2016.1139524

Roma, J. C. (2019). Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e sua Transição para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ciência e Cultura, 71(1), 33–39. doi:https://doi.org/http://dx.doi.org/10.21800/2317-66602019000100011

Sachs, J. D. (2012). From millennium development goals to sustainable development goals. The Lancet, 379(9832), 2206–2211. doi:https://doi.org/10.1016/S0140-6736(12)60685-0

Sachs, J. D., Schmidt-Traub, G., Mazzucato, M., Messner, D., Nakicenovic, N., & Rockström, J. (2019). Six Transformations to achieve the Sustainable Development Goals. Nature Sustainability, 2(9), 805–814. doi:https://doi.org/10.1038/s41893-019-0352-9

Silva, E. O. da, & Silva, M. C. da. (2018). Avaliação da transparência das informações disponibilizadas nos portais eletrônicos (websites) dos Tribunais de Contas brasileiros com o suporte da teoria dos stakeholders. Perspectivas Contemporaneas, 14(3), 34–52. https://search.ebscohost.com.sbproxy.fgv.br/login.aspx?direct=true&db=edb&AN=134903710&lang=pt-br&site=eds-live

Silva, F. C., Shibao, F. Y., Dos Santos, M. R., & Barbieri, J. C. (2020). Análise De Stakeholders Em Indústria Do Setor Plástico: Uma Aplicação Da Norma Abnt Nbr Iso 14001:2015. Revista de Gestão Social e Ambiental, 13(2), 40–57. doi:https://doi.org/10.24857/rgsa.v13i2.1828

Soares, R. A., Pinheiro, A. B., Abreu, M. C. S. de, & Marino, P. D. B. L. P. (2018). Efeito do sistema financeiro na evidenciação socioambiental de empresas em países emergentes e desenvolvidos. Enfoque: Reflexão Contábil, 37(2), 21–35. doi:https://doi.org/10.4025/enfoque.v37i2.34035

Sousa, P. F. C., Gomes, M. T. U., Zanoni, L. O. T. C., Alves, C. M. P., Cardoso, V., Moraes, A. de, & Soares, I. V. P. (2019, agosto). Inovação, inteligência e indicadores do Poder Judiciário para o desenvolvimento sustentável. In. Anais do Enconto de Administração da Justição, 2, 1-16, Brasília, DF.

Souza, P. De, & Pfitscher, E. D. (2013). Gestão e Sustentabilidade Ambiental: Estudo Em Um Órgão Público Do Estado De Santa Catarina. Revista Contabilidade e Controladoria, 5(3), 8–32. doi:https://doi.org/10.5380/rcc.v5i3.30134

Stafford-Smith, M., Griggs, D., Gaffney, O., Ullah, F., Reyers, B., Kanie, N., Stigson, B., Shrivastava, P., Leach, M., & O’Connell, D. (2017). Integration: the key to implementing the Sustainable Development Goals. Sustainability Science, 12(6), 911–919. doi:https://doi.org/10.1007/s11625-016-0383-3

Teixeira, M. G. C., & Moraes, I. B. de. (2013). O diálogo com stakeholders na teoria e na prática: análise da relação de uma empresa pública do setor industrial com seus stakeholders, para a construção de uma política de responsabilidade social. Revista de Administração Da UFSM, 6, 211–228. doi:https://doi.org/10.5902/198346598636

Thomann, E., & Maggetti, M. (2020). Designing Research With Qualitative Comparative Analysis (QCA): Approaches, Challenges, and Tools. Sociological Methods and Research, 49(2), 356–386. doi:https://doi.org/10.1177/0049124117729700

Vieira, S. F. A., Costa, B. K., & Boaventura, J. M. G. (2011). Análise de stakeholders aplicada em órgãos públicos: o caso da Secretaria de Estado do Turismo do Paraná. Revista de Ciências Da Administração, 13(31), 81–110. doi:https://doi.org/10.5007/2175-8077.2011v13n31p81

Viana, V. M. da, Santos, M. dos, & Cabral, A. C. de A (2021, October). Agenda 2030 no Poder Judiciário: ações dos Tribunais em prol do desenvolvimento sustentável. In Proceedings of the Administration of Justice Meeting. 4, 1-19. Lisbon.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v13i2.21500

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista de Gestão e Projetos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
www.revistagep.org

GeP – Revista Gestão e Projetos ©2022 Todos os direitos reservados

Esta obra está licenciada com uma licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional