Análise de Riscos pelo Uso de Métodos Ágeis na Gestão de Projetos de Desenvolvimento de Software

Autores

  • Leonardo Rocha de Oliveira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
  • Geraldo Santoro Gomes Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
  • Fernando Policarpo de Lima Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

DOI:

https://doi.org/10.5585/gep.v5i2.255

Palavras-chave:

Projetos de Desenvolvimento de Software, Métodos Ágeis para Gestão de Projetos de Software, Riscos em Projetos de Software.

Resumo

Métodos Ágeis (MA) têm promovido melhorias em diversos aspectos da gestão de projetos de desenvolvimento de software. No entanto, sua aplicação envolve riscos, que podem ser maiores em certas organizações ou contextos de projetos de software. O objetivo deste trabalho é analisar os principais riscos pela utilização de MA em empresas desenvolvedoras de software. O trabalho foi desenvolvido como pesquisa exploratória e qualitativa, com entrevistas abertas e semiestruturadas, com líderes de projetos de software. Resultados do trabalho mostram que diferentes tipos de riscos e impactos podem ocorrer em projetos ágeis. No entanto, as conclusões indicam que são apenas duas as principais causas de riscos: (i) engajamento de clientes e (ii) experiência e conhecimento com práticas ágeis.

Biografia do Autor

Leonardo Rocha de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGAd) da PUCRS. Áreas de interesse para pesquisa incluem Gestão de Projetos de TI, Governança de TI e Segurança da Informação.

Geraldo Santoro Gomes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Mestre em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGAd) da PUCRS. Áreas de interesse para pesquisa incluem Gestão de Projetos de TI, Terceirização de projetos de TI, Governança de TI e Segurança da Informação.

Fernando Policarpo de Lima, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Aluno de Graduação em Engenharia de Produção na Faculdade de Engenharia da PUCRS. Áreas de interesse para pesquisa incluem Gestão de Projetos de TI, Terceirização de projetos de TI e Segurança da Informação.

Referências

Albino, R. D., Souza, C. A. D., & Prado, E. P. V. (2014, Janeiro/Abril). Benefícios alcançados por meio de um modelo de gestão ágil de projetos em uma empresa de jogos eletrônicos. Revista de Gestão e Projetos, 5.

Alliance, A. (2001). Principles: The Agile Alliance. Retrieved Feb 1, 2011, from http://www.agileallieance.org/principles.html

Beck, K. (2001). Manifesto for Agile Software Development. Retrieved Nov 1, 2011, from http://agilemanifesto.org/

Beck, K. (2004). Extreme Programming explained: embrance change. EUA: Addison-Wesley.

Boehm, & Turner, R. (2003). Balancing Agility and Discipline: A Guide for the Perplexed. EUA: Addison-Wesley.

Cockburn, A. (2002). Agile software development. EUA: Addison-Wesley.

Cohn, M. (2005). Agile Estimating and Planning. EUA: Prentice Hall.

Cooper, D., & Schindler, P. (2004). Método de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman.

Fowler, M. (2005). The New Methodology. Retrieved Feb, 2011, from http://www.martinfowler.com/articles/newMethodology.html#PredictiveVersusAdaptive

Highsmith, J. (2004). Agile software development ecosystems. EUA: Addison-Wesley.

Hiranabe, K. (2008). Kanban Applied to Software Development: from Agile to Lean. Retrieved Mar, 2011, from http://www.infoq.com/articles/hiranabe-lean-agile-kanban

Jones, C. (2007). Estimating Software Costs : Bringing Realism to Estimating: Bringing Realism to Estimating: Mcgraw-hill.

Jørgensen, M. (2002). A review of studies on expert estimation of software development effort. The Journal of Systems and Software, 70(2), 37-60.

Jørgensen, M., & Shepperd, M. (2007). A Systematic Review of Software Development Cost Estimation Studies. Software Engineering, IEEE Transactions on, 33(1), 33-53. doi: 10.1109/TSE.2007.256943

Keith, C., & Cohn, M. (2008). How to Fall With Agile: Twenty Tips to Help You Avoid Success. Retrieved Mar, 2011, from http://www.mountaingoatsoftware.com/articles/40-how-to-fail-with-agile

Kerzner, H. R. (2009). Project Management: A Systems Approach to Planning, Scheduling, and Controlling (10ª ed.): Wiley.

Kniberg, H. (2007). Scrum and XP from the Trenches: How We Do Scrum. EUA: C4Media Inc.

Larman, C., & Basili, V. R. (2003). Iterative and Incremental Development: A Brief History. Computer, 36, 47-56.

Malhotra, N. K. (2006). Pesquisa de Marketing: Uma Orientação. Porto Alegre: Bookman.

Mølkken-Østvold, K., & Jørgensen, M. (2005). A comparison of software project overruns - flexible versus sequential development models. Software Engineering, IEEE Transactions on, 31(9), 754-766. doi: 10.1109/TSE.2005.96

Paetsch, F., Eberlein, A., & Maurer, F. (2003). Requirements Engineering and Agile Software Development. In: Proceedings of the Twelfth International Workshop on Enabling Technologies: Infrastructure for Collaborative Enterprises. IEEE Computer Society, 308-324.

PMI. (2009). Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (4ª ed.). EUA: Project Management Institute.

Poppendieck, M., & Poppendieck, T. (2006). Implementing Lean Software Development: From Concept to Cash. EUA: Addison-Wesley Professional.

Schwaber, K. (2004). Agile Project Management with Scrum. EUA: Microsoft Press.

Schwaber, K. (2010). Control Chaos. Retrieved Mar, 2011, from http://www.controlchaos.com

Sheffield, J., & Lemétayer, J. (2013). Factors associated with the software development agility of successful projects. International Journal of Project Management, 31(3), 459-472. doi: Doi 10.1016/J.Ijproman.2012.09.011

Waters, K. (2007). Agile Software Development Made Easy. Retrieved Mar, 2011, from http://www.agile-software-development.com/2007/09/disadvantages-of-agile-software.html

Downloads

Publicado

2014-08-01

Como Citar

Oliveira, L. R. de, Gomes, G. S., & Lima, F. P. de. (2014). Análise de Riscos pelo Uso de Métodos Ágeis na Gestão de Projetos de Desenvolvimento de Software. Revista De Gestão E Projetos, 5(2), 90–101. https://doi.org/10.5585/gep.v5i2.255

Edição

Seção

Artigos