Análise da inadimplência em um programa sócio-torcedor: o uso do credit scoring como ferramenta de gestão esportiva

Vitor Borges Monteiro, Pedro Luiz Valls Pereira

Resumo


Objetivo do estudo: Os programas de fidelização de torcedores são exemplos de como os clubes adaptaram ferramentas bem-sucedidas do mundo corporativo para impulsionarem suas marcas, visando uma alternativa perene de receitas. Porém, o ambiente de volatilidade passional dos torcedores se torna um desafio na gestão esportiva. Dessa forma, o objetivo do trabalho consiste em implementar uma metodologia de Credit Scoring para avaliar o comportamento de inadimplência em um programa de sócios.
Metodologia/abordagem: O Credit Scoring é tradicionalmente difundido nas instituições bancárias para estudar o comportamento de inadimplência dos clientes, utilizando perfis cadastrais e de relacionamento para atribuir scores que mensuram o risco de inadimplência.
Originalidade/relevância: Entender o comportamento do torcedor se torna fundamental para o gestor implementar medidas promocionais que visem potencializar a fidelização.
Principais resultados: Os resultados apontam que os sócios com planos mais caros, idades mais elevadas, mesma cidade da realização dos jogos e proximidade ao estádio tem suas probabilidades de inadimplência reduzidas de forma significativa. Mesmo se tratando de um ambiente de maioria masculina, o sexo feminino se apresenta como um perfil de menor probabilidade de inadimplência. O fato do titular da conta de sócio possuir dependentes vinculados reduz a probabilidade de inadimplência, contrapondo-se à literatura de Credit Scoring bancário, onde o número de dependentes aumenta a probabilidade de inadimplência.
Contribuições teóricas/metodológicas: O trabalho utiliza técnicas de georreferenciamento para calcular a distância de cada sócio para o estádio, e utiliza técnica de estimação do Credit Scoring em dois estágios, com a base de perfis ativos e inativos.

 


Palavras-chave


Programa de fidelização; Sócio torcedores; Futebol; Inadimplência; Credit scoring.

Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque, P. H. M., Medina, F. A. S., & Silva, A. R. D. (2017). Regressão Logística Geograficamente Ponderada Aplicada a Modelos de Credit Scoring. Revista Contabilidade & Finanças, 28, 93-112.: https://doi.org/10.1590/1808-057x201703760

Azevedo, A. G. D. (2013). O desenvolvimento de estratégia do programa Sócio-torcedor relacionado com a visão Gerencial do futebol profissional no Distrito Federal. (Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília). https://repositorio.unb.br/handle/10482/14362

Bandarra, T. M. D. S. (2017). Sport Club Internacional: uma análise de seus torcedores com uma abordagem de CRM. (Trabalho de conclusão de curso, Universidade Federal do Rio Grande do Sul). https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/170502

Biscaia, R., Ross, S., Yoshida, M., Correia, A., Rosado, A., & Marôco, J. (2016). Investigating the role of fan club membership on perceptions of team brand equity in football. Sport Management Review, 19(2), 157-170. https://doi.org/10.1016/j.smr.2015.02.001

Bücker, M., van Kampen, M., & Krämer, W. (2013). Reject inference in consumer credit scoring with nonignorable missing data. Journal of Banking & Finance, 37(3), 1040-1045. https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2012.11.002

Carvalho, W. G., Molletta, S. R., Stinghen, F. M., & Knaut, C. M. F. (2013). Estudo sobre a satisfação do sócio-torcedor do Paraná Clube. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, 3. https://doi.org/10.51995/2237-3373.v11i1e110011

Chen, M. C., & Huang, S. H. (2003). Credit scoring and rejected instances reassigning through evolutionary computation techniques. Expert Systems with Applications, 24(4), 433-441. https://doi.org/10.1016/S0957-4174(02)00191-4

Cunha, Michele Aparecida. (2021). Finanças e Regionalidade: um modelo de Credit Scoring com uso da Regressão Logística Geograficamente Ponderada no Programa Minha Casa Minha Vida em Minas Gerais. 2021. 95 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2021. DOI http://doi.org/10.14393/ufu.di.2021.73

DeSarbo, W. S. (2010). A spatial multidimensional unfolding choice model for examining the heterogeneous expressions of sports fan avidity. Journal of Quantitative Analysis in Sports, 6(2). https://doi.org/10.2202/1559-0410.1232

Derbaix, C., & Decrop, A. (2011). Colours and scarves: an ethnographic account of football fans and their paraphernalia. Leisure Studies, 30(3), 271-291. https://doi.org/10.1080/02614367.2010.527356

Dinh, T. H. T., & Kleimeier, S. (2007). A credit scoring model for Vietnam's retail banking market. International Review of Financial Analysis, 16(5), 471-495. https://doi.org/10.1016/j.irfa.2007.06.001

Fleury, F. A., Brashear-Alejandro, T., & Feldmann, P. R. (2014). Considerações teóricas acerca do composto de marketing esportivo. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review, 3(1), 01-11. https://doi.org/10.5585/podium.v3i1.82

Gomes, E. F. C. (2014). O que se pode extrair da média de público histórica do clube. Almanaque do Ferrão. https://almanaquedoferrao.net/2014/11/26/o-que-se-pode-extrair-da-media-de-publico-historica-do-ferrao/

Greene, W. (1998). Sample selection in credit-scoring models. Japan and the world economy, 10(3), 299-316. https://doi.org/10.1016/S0922-1425(98)00030-9

Greene, W. H. (2003). Econometric analysis. Pearson Education India.

Hamil, S., Walters, G., & Watson, L. (2013). The model of governance at FC Barcelona: balancing member democracy, commercial strategy, corporate social responsibility and sporting performance. Who Owns Football? 143-172. Routledge. https://doi.org/10.1080/14660971003780446

Khemais, Z., Nesrine, D., & Mohamed, M. (2016). Credit scoring and default risk prediction: A comparative study between discriminant analysis & logistic regression. International Journal of Economics and Finance, 8(4), 39. https://doi.org/10.5539/ijef.v8n4p39

Leal, D. (2011). Vasco luta contra inadimplência de 83% dos sócios. Portal Lance. https://www.lance.com.br/todos-esportes/vasco-luta-inadimplencia-socios.html

Lei nº 9.615, de 24 março de 1998. Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9615consol.htm

Lei nº 10.671, de 15 de maio de 2003. Dispõe sobre o Estatuto de Defesa do Torcedor e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.671.htm

Li, Z., Tian, Y., Li, K., Zhou, F., & Yang, W. (2017). Reject inference in credit scoring using semi-supervised support vector machines. Expert Systems with Applications, 74, 105-114. https://doi.org/10.1016/j.eswa.2017.01.011

Llopis-Goig, R. (2012). From “socios” to “hyper-consumers”: an empirical examination of the impact of commodification on Spanish football fans. Soccer & Society, 13(3), 392-408. https://doi.org/10.1080/14660970.2012.655508

Macri, M. (2011). Pasión y gestión: Claves del ciclo Macri en Boca. Aguilar.

Moreira, M. V., & Hijós, N. (2013). Clubes deportivos, fútbol y mercantilización: los casos de Boca Juniors e Independiente en la Argentina. Question, 1(37), 149-162. https://www.perio.unlp.edu.ar/ojs/index.php/question/article/view/1728/1473

Mulheres são menos inadimplentes do que homens. (2016). Consumidor Moderno. https://www.consumidormoderno.com.br/2016/03/08/mulheres-sao-menos-inadimplentes-do-que-homens/

Pereira, G. H. D. A. (2004). Modelos de risco de crédito de clientes: Uma aplicação a dados reais. (Dissertação de doutorado, Universidade de São Paulo). https://doi.org/10.11606/D.45.2004.tde-28122004-224257

Ribeiro, L. C. (2012). Futebol: por uma história política da paixão nacional. História: Questões & Debates, 57(2). http://dx.doi.org/10.5380/his.v57i2.30570

Rosolino, T. (2020). As dívidas dos times brasileiros: veja ranking com balanço dos maiores clubes. Portal Terra. https://www.goal.com/br/not%C3%ADcias/as-dividas-dos-times-brasileiros-veja-ranking-com-balanco/14a81mxtoco6i1irhwp9kec53x

Silva Leal, G., Furin, L. M., Conejero, M. A., André, P., & Bougleux, V. (2017) Programas Sócio-Torcedor no Brasil-Análise comparativa entre clubes selecionados e o Volta Redonda Futebol Clube. Revista Gestão e Negócios do Esporte.

Souza Dias, P., Monteiro, P. R. R., & Ribeiro, E. M. S. (2019). Aplicação de Redes Bayesianas para análise de programas sócio torcedor. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 13(2), 49-66. https://doi.org/10.12712/rpca.v13i2.27526

Thomas, L. C. (2000). A survey of credit and behavioural scoring: forecasting financial risk of lending to consumers. International journal of forecasting, 16(2), 149-172. https://doi.org/10.1016/S0169-2070(00)00034-0

Umbelino, W. L., Silva, R. B., Ponte, V. M. R., & Lima, M. C. (2019). Disclosure em Clubes de Futebol: Estudo sobre os Reflexos da Lei do PROFUT. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 7(1), 112-132. https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-1001.2019v7n1.38074

Xavier, F. (2010). O Programa “Sócio-Torcedor” do Sport Club Internacional. Aurora. Revista de Arte, Mídia e Política, (9), 128-138. https://revistas.pucsp.br/aurora/article/view/3788

Yang S, Yu SL(K), Bruwer J. (2017) The effectof relational benefits in loyalty programmes: Evidence from Chinese milk formula customer clubs. J Consumer Behav.2018;1–10. https://doi.org/10.1002/cb.1705




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v11i1.20124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional