¿Profissional do sexo ou "vítima perfeita"? Limites de acesso à justiça

Valentina Montoya

Resumo


O anti-tráfico a nível mundial tem alimentado a abolição da prostituição no interior dos Estados, do ponto de vista da "vítima perfeita". Essa visão elimina qualquer possibilidade de prostitutas da agência, sem observar as nuances da realidade. A partir da descrição teórica das diferentes perspectivas sobre a prostituição eo impacto destas perspectivas no acesso à justiça, neste artigo proponho defender uma perspectiva pró-trabalho sobre a prostituição. Isto, a fim de reivindicar a agência e promover o acesso efectivo à justiça para os trabalhadores do sexo, atravessando o repugnância e vergonha que os exclua da sociedade e da justiça.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v11v1.3582

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Prísma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Prísma Jurídico ©2020 Todos os direitos reservados.