Os serviços de saúde e a autogestão da saúde dos usuários de plano público e de plano privado

Roberto Vilmar Satur, Adriana de Fátima Valente Bastos, Nelsio Rodrigues de Abreu

Resumo


Apresenta resultados de uma pesquisa que buscou compreender o nível de consciência das pessoas sobre questões de saúde em geral, especialmente no que trata da sua própria autogestão em prol de sua saúde, bem como sua satisfação com os serviços profissionais recebidos. A amostra extraída inclui estudantes universitários de instituições públicas e privadas da grande João Pessoa/PR, usuários do sistema de saúde público e privado. A pesquisa foi qualiquantitativa, com pesquisa de campo e a amostra passou de 400 respondentes. Como principais resultados se pode observar que os respondentes têm consciência da importância tanto de fazer sua autogestão em saúde como de ter acesso a serviços de saúde de qualidade. Todavia, percebeu-se que existe um grande gap de comprometimento prático das pessoas como cocriadoras de seu cuidado em saúde, bem como um grande gap apontando deficiência nos serviços de saúde prestados. Não se percebeu grande diferença de consciência e comportamento entre usuários do SUS comparado a usuários de planos de saúde privado. Igualmente ambos apontaram insatisfação (gap) nos serviços de saúde recebidos. Conclui-se que é urgente que os profissionais de saúde e as instituições que trabalham com serviços de saúde percebam que o usuário não pode ser mais considerado um ser passivo e pacífico, e sim um ator ativo e que pode, em muito, ajudar na sua autogestão em saúde, como corresponsável pelo sua melhoria. Mas para isso ele precisa confiar e ter o respaldo dos prestadores de serviços de saúde que lhe deem mais autonomia, segurança e acompanhamento.

Palavras-chave


Autogestão em saúde; Profissionais de saúde; Satisfação com serviços de saúde; Serviços de saúde; Cocriação de valor em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Anderson, L.; Ostrom, A. L.; Corus, C.; Fisk, R. P.; Gallan, A. S.; Giraldo, M.; Mende, M.; Mulder, M.; Rayburn, S. W; Rosenbaum, M. S.; Shirahada, K. & Williams, J. D. (2013). Transformative service research: an agenda for the future. Journal Of Business Research, v. 66, n. 8, p. 1203–1210, August 2013.

Bastos, A. F.; Satur, R. V.; Abreu, N. R. A. & Santos, C. W. (2017). Qualidade nos serviços de saúde: percepção dos usuários de serviços do SUS. 3º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde: Estado e Democracia - O SUS Como Direito Social. (Anais,...) Natal, 01 A 04 Maio 2017.

Lèvy, P. Inteligência colectiva: por una antropología del ciberespacio. Washington (USA): Editeur, 2004.

Mccoll-Kennedy, J. R.; Vargo, S. L.; Dagger, T. S.; Sweeney, J. C. & Kasteren, Y. V. (2012). Health care customer value cocreation practice styles. Journal of Service Research. 000(00) 1-20, 1 May 2012

Michie, S.; Miles, J.; Weinman, J. (2003). Concepts Of Trust Among Patients With Serious Illness. Patient Education And Counseling, 51 (3), 197-206. 2003.

Satur, R. V.; Santos, C. W.; Abreu, N. R. & Bastos, A. F. (2017). Saúde cuidada, vida conservada: avaliação dos usuários de serviços de plano privado de saúde. Congresso Internacional de Qualidade em Serviços e Sistemas de Saúde - Qualihosp 2017: Inovação para Qualidade e Sustentabilidade na Saúde. EAESP/FGV, São Paulo: 21 e 22 de Março de 2017. (Pôster)

Solomon, M. R.; Surprenant, C.; Czepiel, J. A. & Gutman, E. G. A. (1985). Role Theory Perspective On Dyadic Interactions: The Service Encounter. Journal of Marketing, v. 49, n. 1, p. 99-111, Winter 1985.




DOI: https://doi.org/10.5585/rgss.v9i2.14681

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Gestão em Sistemas de Saúde

 

Revista de Gestão em Sistemas de Saúde (RGSS)
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.