Avaliação de ciclo de vida dos sistemas construtivos de uma unidade habitacional de interesse social

Marianne Di Domênico, Thaísa Leal da Silva, Lauro André Ribeiro

Resumo


Objetivo: O artigo tem como objetivo avaliar os sistemas construtivos de uma habitação de interesse social e apontar os impactos ambientais resultantes dos processos produtivos e de manutenção dos materiais de construção adotados.

Metodologia: A metodologia utilizada para atingir os resultados desejados, foi realizada seguindo as diretrizes da NBR 14040 (ABNT 2009a) e NBR 14044 (ABNT 2009b), adotando-se um estudo de caso para identificação e quantificação dos materiais. O escopo abrange os impactos incorporados nos materiais de construção, analisando as etapas de extração da matéria-prima, produção, transporte até a obra, manutenção e substituição de materiais.

Relevância: Devido à crescente conscientização acerca dos impactos ambientais resultantes das atividades humanas, torna-se evidente a importância de estudos para a avaliação da participação do setor da construção civil em relação a essa problemática. Neste contexto, é importante a adoção de novas ferramentas para analisar os materiais empregados em edificações, visando subsidiar a busca por estratégias de mitigação de impactos futuros.

Resultados: Os resultados demonstraram que a etapa de manutenção detém as maiores contribuições de impactos referentes aos sistemas analisados. Em relação aos sistemas construtivos, o sistema de paredes foi o elemento com a maior concentração dos impactos em comparação aos demais sistemas analisados.

Contribuições sociais / para a gestão: Por se tratar de uma ferramenta de gestão ambiental, a Avaliação de Ciclo de Vida permite que profissionais possam obter informações pertinentes acerca dos impactos de materiais e sistemas construtivos para desenvolver e gerenciar edificações menos impactantes ambientalmente.


Palavras-chave


Impactos ambientais; Habitação de interesse social; Sistemas construtivos; Materiais de construção; Avaliação do Ciclo de Vida.

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


Agopyan, V., & Jonh, V. M. (2011). O Desafio da Sustentabilidade na Construção Civil. Série Sustentabilidade (Vol. 5). São Paulo: Ed. Blucher.

Anicer, (2012). Análise comparativa do ciclo de vida de paredes construídas com blocos cerâmicos, blocos de concreto e concreto armado moldado in loco. Rio de Janeiro, Brasil.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2013). NBR 15575-1: edificações habitacionais: desempenho: Parte 1: Requisitos gerais. Rio de janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2009). NBR 14044: Gestão Ambiental – Avaliação do Ciclo de Vida – Requisitos e orientações. Rio de Janeiro, 2009.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2014). NBR 14040: Gestão Ambiental – Avaliação do Ciclo de Vida – Princípios e estrutura. Rio de Janeiro.

Atmaca, A., & Atmaca, N. (2015). Life cycle energy (LCEA) and carbon dioxide emissions (LCCO2A) assessment of two residential buildings in Gaziantep, Turkey. Energy And Buildings, 102, 417-431.

Bento, R. C. (2016). Análise do desempenho ambiental de estruturas de concreto armado: uso da avaliação do ciclo de vida (ACV) no processo decisório do dimensionamento. (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Carlos, SP.

Braga, N. K. M. (2018). Potencial de aquecimento global de paredes de concreto a partir da avaliação do ciclo de vida. (Dissertação de Mestrado) Faculdade de Tecnologia, Universidade de Brasília, Brasília, DF.

Bribián, I. Z., Capilla, A. V., & Usón, A. A. (2011). Life cycle assessment of building materials: Comparative analysis of energy and environmental impacts and evaluation of the eco-efficiency improvement potential. Building And Environment, 46(5), 1133-1140.

Caixa Econômica Federal (CEF). Selo Casa Azul: Boas práticas para habitação mais sustentável. São Paulo: Páginas e Letras Editora e Gráfica, 2010. Disponível em http://www.labeee.ufsc.br/projetos/manual-selo-casa-azul-caixa. Acesso em: 8 outubro 2021.

Caldas, L.R., Sposto, R.M., Pires, A.C., & Paulsen J.S. (2016). Sustentabilidade na Construção Civil. Sustentabilidade em Debate, 7(2), 238-256, 2016.

Castro, A. L., Silva, F. B., Arduin, R.H., Oliveira, L. A de., & Becere, O.H. (2015). Análise da viabilidade técnica da adaptação de dados internacionais de inventário de ciclo de vida para o contexto brasileiro: um estudo de caso do concreto para paredes moldadas no local. Anais... Bonito, MS: IBRACON.

CEN - European Committee for Standardization. (2013). EN 15.804:2012+A1:2013 - Sustainability of construction works - Environmental product declarations - Core rules for the product category of construction products. Luxemburg: Publications Office of the European Union.

Chehebe, J. R. (1997). Análise do Ciclo de vida de produtos: ferramenta gerencial da ISO 14000. Rio de Janeiro: Qualitymark, CNI.

CNI - Confederação Nacional de Indústrias. (2017). Construção Sustentável: A mudança em curso. Brasília.

Crivelaro, M., & Pinheiro, A. C. F. B. (2016). Materiais de Construção – Série Eixo. 2ªed. São Paulo: Editora Érica.

ECOINVENT. (2020) Glossary of Ecoinvent Terminology. Disponível em: https://www.ecoinvent.org/support/glossary/glossary.html Acesso em: 20 maio 2020.

Grünberg, P. R. M., Medeiros, M. H. F., & Tavares, S. Fernando. (2014). Certificação ambiental de habitações: comparação entre leed for homes, processo aqua e selo casa azul. Ambiente & Sociedade, 17, 195-214.

Klöpffer, W. (2012). The critical review of life cycle assessment studies according to ISO 14040 and 14044: rigin, purpose and practical performance. The International Journal Of Life Cycle Assessment, Heidelberg, 1-7.

ILCD - Institute for Environment and Sustainability - European Commission Joint Research Centre. (2011). International Reference Life Cycle Data System (ILCD).

Martins, M. S., Romanini, A., Mussi, A. Q., & Folle, D. (2013). Projeto de habitações flexíveis de interesse social. Oculum Ensaios – Revista de Arquitetura e Urbanismo PUC. Campinas.

Montes, M. A. T. (2016). Abordagem integrada no ciclo de vida de habitações de interesse social considerando mudanças climáticas. (Tese doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Morales, M., Moraga, G., Kirchheim, A. P., & Passuello, A. (2019). Regionalized inventory data in LCA of public housing: a comparison between two conventional typologies in southern Brazil. Journal Of Cleaner Production, 238.

OPENLCA. Disponível em: https://www.openlca.org/. Acesso em: 10 maio 2020.

Oyarzo, J., & Peuportier, B. (2014). Life cycle assessment model applied to housing in Chile. Journal of Cleaner Production, 69, 109-116.

Pedroso, G. M. (2015). Avaliação do Ciclo de Vida Energético (ACVE) de sistemas de vedação de habitações. (Tese de doutorado). Universidade de Brasília, Brasília, DF.

Passuello, A.C.B., Oliveira, A. F. de., Costa, E. B. fa., & Kirchheim, A. P. (2014). Aplicação da Avaliação do Ciclo de Vida na análise de impactos ambientais de materiais de construção inovadores: estudo de caso da pegada de carbono de clínqueres alternativos. Ambiente Construído, 14(4), 7-20.

Petrovic, B., Myhren, Jonn A., Zhang, X., Wallhagen, M., & Eriksson, O. (2019). Life Cycle Assessment of Building Materials for a Single-family House in Sweden. Energy Procedia, 158, 3547-3552.

Saade, M. R. M., Silva, M. G da., Silva, V. G., Franco, H. G., Schwamback, D., & Lavor, B. (2014). Material eco-efficiency indicators for Brazilian buildings. Smart And Sustainable Built Environment, 3(1), 54-71.

SEO, E.S.M., KULAY, L. A. (2006). Avaliação do ciclo de vida: Ferramenta gerencial para tomada de decisão. InterfacEHS. Revista de gestão integrada em saúde do trabalho e meio ambiente.

Silva, G. A., Brãscher, M., Lima, J. A. O., & Lamb, C.R. (2015). Avaliação do ciclo de vida: ontologia terminológica. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict, Brasília.

SINAPI (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil), 2017. Caixa Econômica Federal, Disponível em: https://www.caixa.gov.br/site/ Acesso em: 19 Nov. 2019

Souza, D.M., Lanfontaine, M., Charron-Doucet, F., Bengoa, X., Chappert, B., Duarte, F., & Lima, L. (2015). Comparative Life Cycle Assessment of ceramic versus concrete roof tiles in the Brazilian context. Journal of Cleaner Production, 89, 165-173.

Souza, D.M., Lanfontaine, M., Charron-Doucet, F., Chappert, B., Kicak, K., Duarte, F., & Lima, L. (2016). Comparative life cycle assessment of ceramic brick, concrete brick and cast-in-place reinforced concrete exterior walls. Journal of Cleaner Production, 137, 70-82.

Sposto, R. M., & Paulsen, J. S. (2014). Energia Incorporada em Habitações de Interesse Social na fase de pré-uso: O caso do programa minha casa minha vida no Brasil. Oculum Ensaios. Revista de Arquitetura e Urbanismo, Campinas, 11 (2), p. 39-50.

Tavares, S. F. (2006). Metodologia de análise do ciclo de vida energético de edificações residências brasileiras. 2006. (Tese de Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

WMO. World Meteorological Organization (2011). Scientific Assessment of Ozone Depletion: 2010. Geneva: World Meteorological Organization.




DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v10i1.20442

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade

Journal of Environmental Management & Sustainability

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade ©2021 Todos os direitos reservados.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional