Análise crítica da medida socioeducativa de internação nos casos de atos infracionais graves

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/2023.25381

Palavras-chave:

medida socioeducativa, internação, crianças e adolescentes, atos infracionais, reforma legislativa

Resumo

O trabalho analisa a insuficiência da medida socioeducativa de internação nos casos mais graves, como o ato infracional equiparado ao crime de homicídio doloso e aos crimes hediondos e equiparados, quando praticados com violência ou grave ameaça. O objetivo do artigo é promover uma análise das medidas socioeducativas na atualidade, visando atualizá-la e compatibilizá-lo com a gravidade das infrações praticadas levadas a efeito pelos adolescentes. Assim, o artigo é de natureza exploratória, pautado em revisão bibliográfica e se desenvolve com o uso do método dedutivo, baseado em pesquisa bibliográfica. Com isso, ao final, diante da evolução tecnológica, da aceleração do desenvolvimento de crianças e adolescentes, bem como do aumento da gravidade de atos infracionais praticados busca-se a necessária reforma do Estatuto da Criança e do Adolescente para adequá-lo à realidade atual no tocante às medidas socioeducativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Fernando Vidal de Souza, Universidade Nove de Julho (Uninove) / São Paulo (SP)

Pós-doutor (CES Universidade de Coimbra e UFSC). Mestre e Doutor em Direito (PUC-SP). Especialista em Ciências Ambientais (USF). Bacharel em Direito e Filosofia (PUCCAMP). Professor do PPDG da UNINOVE. Promotor de Justiça (MPSP).

João Carlos Saud Abdala Filho, Universidade Nove de Julho (Uninove) / São Paulo (SP)

Mestre em Direito (Uninove). Especialista em Direito Processual Civil (UNIDERP). Bacharel em Direito (FDF). Juiz de Direito (TJSP). Ex-Procurador do Município de São Carlos/SP.

Referências

ALMEIDA, Candido Mendes de. Ordenações Filipinas - Livros IV e V. Edição reprodução “fac-simile” de 1870. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

AMIN, Andréa Rodrigues. Evolução histórica do direito da criança e do adolescente. In: MACIEL, Katia Regina Ferreira Lobo Andrade (Coord.). Curso de Direito da Criança e do Adolescente – Aspectos Teóricos e Práticos. 15. ed. São Paulo: SaraivaJur, 2023.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 28.abr.2023.

BRASIL. LEI nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 29.abr.2023.

BRASIL. LEI nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12594.htm. Acesso em: 29.abr.2023.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei nº 2517 de 4 de agosto de 2015. Disponível em: https://www.camara.leg.br/propostas-legislativas/1594911. Acesso em: 25.abr.2023.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei nº 661 de 02 de março de 2021. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2271755. Acesso em: 25.abr.2023.

BRASIL. Presidência da República. Levantamento Nacional do Atendimento Socioeducativo ao Adolescente em Conflito com a Lei – 2009. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/crianca-e-adolescente/SinaseLevantamento2009.pdf. Acesso em: 27.abr.2023.

BRASIL. Levantamento Anual Sinase 2017. Brasília: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/crianca-e-adolescente/LevantamentoAnualdoSINASE2017.pdf. Acesso em: 27.abr.2023.

BRUNO, Aníbal. Direito Penal – Parte Geral – Tomo II. 5ª. ed., Forense: Rio de Janeiro, 2005.

CARVALHO, Marcio Pinto de. Execução de medidas socioeducativas. 2. ed. Rio de Janeiro: Processo, 2020.

IPEC: 2 em cada 3 brasileiros defendem redução da maioridade penal. G1. 13.set.2022. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2022/09/13/ipec-2-em-cada-3-brasileiros-defende-reducao-da-maioridade-penal.ghtml Acesso em: 27.abr.2023.

LIBERATI, Wilson Donizeti. Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente. 12. ed. São Paulo: Malheiros, 2015.

MORAES, Bianca Mota de; RAMOS, Helane Vieira. A prática do ato infracional. In: MACIEL, Katia Regina Ferreira Lobo Andrade (Coord.). Curso de Direito da Criança e do Adolescente – Aspectos Teóricos e Práticos. 15. ed. São Paulo: SaraivaJur, 2023.

PASCUIM, Luiz Eduardo. Menoridade Penal. Curitiba: Juruá, 2006.

PIERANGELLI. José Henrique. Códigos Penais do Brasil – Evolução Histórica. 1ª ed. Bauru: Jalovi, 1980.

TAVARES, José de Farias. Direito da Infância e da Juventude. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

Downloads

Publicado

27.12.2023

Como Citar

VIDAL DE SOUZA, José Fernando; SAUD ABDALA FILHO, João Carlos. Análise crítica da medida socioeducativa de internação nos casos de atos infracionais graves. Prisma Juridico, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 249–273, 2023. DOI: 10.5585/2023.25381. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/prisma/article/view/25381. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos