Relevance of Strategic Planning in the Decision-Making Process of Accounting Service Companies: A Fuzzy Analysis

Guilherme Freitas Keller, Ângela Rozane Leal de Souza, Alice Munz Fernandes, Cassiane Oliveira Velho

Abstract


Purpose: To identify the strategic actions that should be prioritized by the small accounting service companies of Porto Alegre/RS in the decision making process to maximize the possibility of achieving the strategic objectives.

 

Method: Exploratory and descriptive qualitative research consisting of two steps. Initially, semi-structured interviews were conducted with managing partners of four accounting service companies in order to identify predominant elements of strategic planning, through content analysis operationalized with the aid of QSR NVivo 11 software. Later, the results provided subsidies for the second one. This stage sought to analyze the degree of relevance of its strategic actions in relation to the objectives through the Fuzzy Analysis made possible by the Matlab R2012 software.

 

Originality/Relevance: Use of a methodology not usually employed in the area of applied social sciences to understand a phenomenon with consolidated theoretical support.

 

Results: Six latent strategic objectives were identified: improving internal controls and improving processes; restructure the company; promote the brand; be a reference in quality and sustainability; increase revenues, and; maintain or improve the technical level of employees. It was found that there are a greater number of variables concerning the external environment than the internal one, and not all the actions that the accountig service companies take are sufficiently pertinent to achieve the strategic objectives satisfactorily.

 

Theoretical/methodological contributions: Use of complementary research methods to understand a phenomenon that, although contributing to the decision making process of organizations, is generally not implemented by accounting service companies, especially small ones.


Keywords


SWOT Analysis; Strategic Priorities; Management Tools

References


Amaral, C.C.N. (2004). O planejamento estratégico para uma instituição de contabilidade: um estudo de caso. 2004. 104 f. Dissertação (Mestrado profissionalizante em Engenharia) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Andion, M.C. & Fava, R. (2003). Gestão empresarial / Fae School. Curitiba: Associação

Franciscana de Ensino Bom Jesus.

Atkinson, A.A., Kaplan, R.S., Matsumura, E.M. & Young, S.M. (2015). Contabilidade Gerencial: informação para tomada de decisão e execução da estratégia. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Atrill, P. & Mclaney, E. (2014). Contabilidade Gerencial para tomada de decisão. 1. ed. São Paulo: Saraiva.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Barney, J.B. & Hesterly, W.S. (2011). Administração estratégica e vantagem competitiva. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Barney, J. (1991). Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, 17(1), 99-120.

Belloni, A.J.P. (2016). Sistema híbrido Fuzzy e AHP para análise de modelo de negócios baseado em Business Model Canvas e SWOT. 2016. 116 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Tecnologias, Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento.

Cãmpanha, F.D.R. (2009). A fidelização de clientes como um recurso estratégico: um estudo exploratório em empresas prestadoras de serviços na Grande São Paulo. 2009. 113 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas, Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Cardoso, O.O. (2006). Comunicação empresarial versus comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Revista de Administração Pública, 40(6), 1123-1144.

Cavalcante, A.M.M.A., Araújo, F.A.M., Soares, J C. & Gomes, R.L.R. (2019). Planejamento estratégico, uma ferramenta para comunicar os objetivos organizacionais. Observatorio de la Economía Latinoamericana, 4.

Chenci, G.P., Rignel, D.G.S. & Lucas, C.A. (2011). Uma introdução à lógica Fuzzy. Revista Eletrônica de Sistemas de Informação e de Gestão Tecnológica, 1(1), 17-28.

Conselho Federal de Contabilidade. (2017). Profissionais Ativos nos Conselhos Regionais de Contabilidade agrupados por Categoria -06/12/2017.

______. (2012). Resolução CFC nº 1.390, de 30 de março de 2012. Dispõe sobre o registro cadastral das organizações contábeis. Brasília: D.O.U., 2012.

______. (2010). Resolução CFC nº 1.307, de 09 de dezembro de 2010. Altera dispositivos da Resolução CFC nº 803/96, que aprova o Código de Ética Profissional do Contabilista. Brasília: D.O.U.

______. (1996). Resolução CFC nº 803, de 10 de outubro de 1996. Aprova o Código de Ética Profissional do Contador – CEPC. Brasília: D.O.U.

Cunha, M.L. (2007). Planejamento estratégico nas organizações contábeis: uma pesquisa exploratória. 2007. 176 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP, São Paulo.

Denzin, N. & Lincoln, Y. (2005). Introduction: the discipline and practice of qualitative research. In: The Sage handbook of qualitative research. 3. ed. Thousand Oaks: Sage.

El-Kouba, A., Roglio, K.D., Del Corso, J.M. & Silva, W.V. (2009). Programas de desenvolvimento comportamental: influências sobre os objetivos estratégicos. Revista de Administração de Empresas, 49(3), 295-308.

Espín, R., Becker, J.L. & Vanti, A.A. (2005). Sistemas inteligentes de información para la planificación estratégica: un estudio de caso en empresa de comercio exterior. Santiago del Chile: Cladea.

Farias, W. L. (2016). O uso de ferramentas de marketing como estratégia competitiva para escritórios de contabilidade. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia de Ciências Contábeis) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Figueiredo, S. & Fabri, P.E. (2000). Gestão de empresas contábeis. São Paulo: Atlas.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Armed.

Fraga, R.V. & Silva, C.E. (2010). Balanced Scorecard: Planejamento Estratégico no contexto das organizações do terceiro setor. Revista Brasileira de Administração Científica, 1(1), 5-31.

Freut, J.C.A. (2005). Planejamento estratégico nas organizações prestadoras de serviços contábeis. 2005. 17 f. Artigo Científico (Especialização em Controladoria) – Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

Gibbs, G. (2009). Analysing Qualitative Data. Series: The SAGE Qualitative Research Kit. London: Sage.

Hatefi, S.M. (2018). Strategic planning of urban transportation system based on sustainable dimensions using an integrated SWOT and Fuzzy COPRAS approach. Global Journal of Environmental Science and Management, 4, 99-112.

Kaplan, R.S. & Norton, D.P. (1997). A estratégia em ação. 24. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lima, H.A. & Gomes Filho, A.S. (2019). Marketing Contábil: um Estudo em Escritórios de Contabilidade do Município de Icó, Ceará-Brasil. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 13(43), 62-75.

Marcial, E.C. (2011). Análise estratégica: estudos de futuro no contexto da inteligência competitiva. Brasília: Thesaurus.

Matos, J.G.R., Matos, R.M.B. & Almeida, J. R. (2007). Análise do ambiente corporativo: do caos organizado ao planejamento estratégico das organizações. São Paulo: Editora E-papers.

Mintzberg, H. (2004). Ascensão e queda do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman.

Miranda, R.C.R. (1999). O uso da informação na formulação de ações estratégicas pelas empresas. Ciência da Informação, 28(3), 286-292.

Nguyen, H.T. & Walker, E.A. (2000). A first course in Fuzzy Logic. 2. ed. Boca Raton: Chapman & Hall/CRC.

Oliveira, D.P.R. (2014). Planejamento estratégico: conceitos, métodos e práticas. 32. ed. São Paulo: Atlas.

Oncay, C.V., Souza, A.R.L. & Behr, A. (2016). Aplicação do Balanced Scorecard em um escritório contábil de pequeno porte no Sul do Brasil. Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul,161, 28-49.

Pereira, M.C.C.O. (2005). Empresa de serviços contábeis: condicionantes estratégicas para uma atuação empreendedora. Revista Pensar Contábil, 7(29), 1-14.

Pesic, D.P., Pesic, A., Ivkovic, S.& Apostolovic, D. (2015). Fuzzification of the ‘tows’ strategic concept: a case study of the magneti marelli branch in the Serbian automotive industry. South African Journal of Industrial Engineering, 26, 203-207.

Pettigrew, A.M. (1977). Strategy formulation as a political process. International Studies of Management & Organization, 7(2), 78-87.

PQCRS. (2018). O que é o PQC. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2018.

Rodrigues, T. (2015). Proposta de modelo cognitivo para estruturar atividades-chave do planejamento estratégico do produto no Fuzzy Front-End. 2015. 118 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal do Paraná.

Santos, E.S., Maia, N.C.S., Souza, F.M.A. & Visentin, I.C. (2019). Estratégias de marketing no contexto da contabilidade. Humanidades e Tecnologia (FINOM), 1(16), 191-228.

Saraiva, E.V. & Carrieri, A.P. (2007). A construção de estratégias corporativas sob a perspectiva não determinística. Revista de Administração de Empresas, 6(2), 1-24.

Sganzela, R.(2016). Principais percepções das empresas contábeis após a obtenção da certificação de qualidade. 135 f. Dissertação (Mestrado em Controladoria Empresarial) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

Shaw, I.S. & Simões, M.G. (1999). Controle e modelagem Fuzzy. São Paulo: Edgard Blucher.

Silva, R.A.C. (2005). Inteligência Artificial aplicada a ambientes de engenharia de software: uma visão geral. INFOCOMP, 4(4),27-37.

Silveira, H. (2011). SWOT. In: Tarapanoff, K. (org.). Inteligência organizacional e competitiva.Brasília. Editora UNB.

Thimoteo, T. (2010). Estratégia competitiva para pequenas empresas de contabilidade. 2010. 75 f. Monografia (Especialização em Controladoria e Gestão Estratégica de Negócios) – Integração Escola de Negócios, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Vanti, A.A., Lindstaedt, A.R.S., Miotto, G.R., Pugues, L.M. & Muraro, M.(2007). Controladoria utilizando a lógica fuzzy no auxílio à empresa para a definição das prioridades do planejamento estratégico: um estudo em uma empresa de turismo. Revista de Administração Mackenzie, 8, 31-58.

Vieira, R.T. & Petri, S.M. (2014). A contribuição do Balanced Scorecard na gestão estratégica de um escritório de contabilidade. Pensar Contábil, 16(60), 4-13.

Wildemuth, B.M. (1993). Post-positivist research: two examples of methodological pluralism. Library Quarterly, 63(4), 450-468.

Yin, R.K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Zadeh, L. (1965). A. Fuzzy sets. Information and Control, 8, 338-353.




DOI: https://doi.org/10.5585/riae.v18i4.16200

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2019 Iberoamerican Journal of Strategic Management

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM)
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE)
e-ISSN: 2176-0756
https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=riae

Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM) © 2021 All rights reserved.

Is this work licensed with a License
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional