Imperialismo dos Direitos Humanos: Reificação e Retórica – Estudo Acerca da Usina de Belo Monte

João Adolfo Ribeiro Bandeira, Cristovão Teixeira Rodrigues Silva

Resumo


A partir da análise dos princípios da universalização e relativização dos Direitos Humanos discute-se a construção da usina de Belo Monte e de seus desdobramentos enquanto marco do desenvolvimento capitalista. Utiliza-se a metodologia de estudo de caso e revisão bibliográfica, por meio do método de abordagem Dialético. O marco teórico referencial é a problemática da imposição de Direitos Humanos enquanto espectro de desenvolvimento, indo de encontro a princípios específicos da autodeterminação dos povos, direito das minorias e respeito à dignidade humana, visto os transtornos causados destacadamente às populações ribeirinhas e aos grupos indígenas da região atingida pela construção da hidrelétrica. O cerne da pesquisa encontra-se no problema de qual modelo de desenvolvimento seguir tendo com parâmetros a liberdade e cidadania, e a quem este desenvolvimento servirá.

Palavras-chave


Direitos Humanos; Belo Monte; Imperialismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/rtj.v2i2.98

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 João Adolfo Ribeiro Bandeira, Cristovão Teixeira Rodrigues Silva



Revista Thesis Juris

e-ISSN: 2317-3580
http://revistartj.org.br

Revista Thesis Juris ©2020 Todos os direitos reservados.