Mapeamento de teses e dissertações em pesquisas acadêmicas

Luiz Ademir Bassani

Resumo


Diante de um grande número de teses e dissertações que versam sobre educação, verifica-se, a carência de maior aprofundamento e discussão quando temos a intenção de analisá-las por temas no intento de produzir uma pesquisa. Assim, compilar tais produções requer descrições minuciosas acerca do caminho metodológico, explicitando critérios de busca, escolha e sistematização das produções acadêmicas. O objetivo deste texto é descrever os principais procedimentos utilizados em um mapeamento de teses e dissertações, o qual é caracterizado como estudo secundário, pois revisa estudos primários referentes a uma questão de pesquisa específica com o objetivo de integrar/ sintetizar as evidências. A construção do presente trabalho se deu por meio da busca de referências sobre mapeamento sistemático, em comparação com outros métodos de pesquisa e, por fim, apresentando um exemplo de estudo, ao descrever o árduo processo de escolha dos descritores, dos motores de busca e das referências utilizadas para fazer a análise, elementos que podem ser ajustados de acordo com os objetivos e temas escolhidos pelos pesquisadores


Palavras-chave


pesquisa acadêmica; mapeamento; análise de conteúdo

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTTI, A. J. O método nas ciências sociais. In: ALVES-MAZZOTTI, A. J.; gewandsznajder, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. p. 109-187.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASSANI, Luiz Ademir. Tendências de grupos colaborativos que estudam matemática no ensino funda-mental expressas em teses e dissertações defendidas entre 2001 e 2017. 2020. 144f. Dissertação (Mes-trado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Centro de Ciências Hu-manas e Sociais Aplicadas, Campinas, 2020.

BUFREM, L.; PRATES, Y. O saber científico registrado e as práticas de mensura¬ção da infor-mação. Ciência da Informação, v. 34, n. 2, maio/ago. 2005. Disponível em:. Acesso em: 20 fev. 2021

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

FABBRI, S. P. F. et al. Externalising tacit knowledge of the systematic review process. Software, IET, v. 7, n. 6, p. 298–307, December 2013. ISSN 1751-8806.

FIORENTINI, Dário. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In:

BORBA, M. C.; ARAÚJO, J. L. (Orgs.). Pesquisa qualitativa em educação matemática. Belo Horizon-te: Autêntica, 2004.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. 3. ed. Brasília: Líber Livro, 2008.

FULLAN, Michael. La gestión basada en el cero; el olvido de lo fundamental. Revista de educación num. 504 (1994, págs. 147.161)

GARNICA, A.V.M. A Experiência do Labirinto: Metodologia, História Oral e Educação Mate-mática. ED. UNESP. São Paulo. 2008.

GATTI, Bernardete. A.; BARRETTO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: UNESCO, 2011.

GUERRA, Isabel C. Pesquisa Qualitativa e Análise de Conteúdo. Editora Princípia: Estoril, 2006, 1ª ed.

Hargreaves, A. y McMillan, B. La balcanización de la enseñanza. Uma colaboración que divide. In: Hargreaves, A. Profesorado, cultura y postmodernidad. Morata, Madrid, 1999.

KITCHENHAM, B. Procedures for Performing Systematic Reviews. Joint Technical Report Software Engineering Group, Keele University (TR/SE-0401), United Kingdom and Empirical Software Engineering, National ICT Australia Ltd, Australia) 2004.

KHAN, B. H. Discussions of e-learning dimensions. Online Journal of Education, Technology and Politics, 2001.

KRIPPENDORFF, Klaus. Metodologia de análisis de contenido: teoria y practica. Barcelona, Edici-ones Paidós, 1990.

NORONHA, Daisy Pires; FERREIRA, Sueli Mara S. P. Revisões de literatura. In: CAMPEL-LO, Bernadete Santos; CONDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite (orgs.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

PETERSEN, K., FELDT, R., MUJTABA, S., et al. Systematic mapping studies in software engineering. In: 12th International Conference on Evaluation and Assessment in Software Engineering, v. 17. Sn, 2008.

RAMOS, Pedro Henrique Conilh de Beyssac. Suporte ao mapeamento sistemático: um apoio à pes-quisa bibliográfica. 2016. 147 f. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-graduação em Enge-nharia de Sistemas e Computação, COPPE. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de janeiro, RJ. 2016.

SAVIANI, Dermeval. História das Ideias Pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

VOSGERAU, Dimeire. Sant’Anna. Ramos.; ROMANOWSKI, Joana Paulin. Estudos de revi-são: implicações conceituais e metodológicas, Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 14, n. 41, p. 165-189, jan./abr. 2014.

WENGER, E. C. Communities of practice: learning, meaning, and identity. Cambridge: University Press, 1998.

VOSGERAU, D. S. R.; ROMANOWSKI, J. P. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Rev. Diálogo Educ., v. 14, n. 41, p. 165-189, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v21n2.21849

Direitos autorais 2022 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional