Avaliação da maturidade das ferramentas lean: estudos de casos múltiplos em indústrias da microrregião de Passos/MG

José da Silva Ferreira Junior, Francielle da Silva Leandro, Caroline Oliveira Teixeira, Talita Nunes de Araújo

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o nível de maturidade do Sistema Toyota de Produção em três indústrias da microrregião de Passos/MG, utilizando para tanto um estudo de caso múltiplo com a aplicação de questionário aos gestores. Para validação da pontuação aferida, foi executada também visita dentro das indústrias para observações e também entrevistas não-estruturadas com os colaboradores. Como resultados, obteve-se o nível de maturidade das ferramentas Lean de 1,48, 2,35 e 1,49, respectivamente para um laticínio, um frigorífico e uma indústria hospitalar da região, em uma escala de 0 a 5. Também foram sugeridas melhorias baseadas na literatura e nas três piores notas obtidas pelo questionário, como por exemplo: o estudo de tempos e métodos no primeiro objeto de estudo para melhoria no trabalho padronizado; a padronização de bocais, ferramentas e vasilhames para evitar falhas em processos no frigorífico; e a execução de previsão de compras para melhoria da cadeia de fornecedores na última empresa. Como contribuição científica, nota-se ao final do artigo que, mesmo sem possuir a implantação correta do lean, as ferramentas podem vir a ser aplicadas nas indústrias e obter bom retorno.

Palavras-chave


Ferramentas da produção enxuta; Laticínio; Frigorífico; Indústria hospitalar.

Texto completo:

PDF

Referências


Andere, G. (2012). Implantação de técnicas de redução do tempo de setup e de sustentabilidade das melhorias obtidas: um caso de aplicação. Trabalho de Conclusão de Curso, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, Brasil. Disponível em: http://www.tcc.sc.usp.br/tce/disponiveis/18/180830/tce-07012013-141337/publico/Andere_Guilherme.pdf

Benato, G. L. (2009). Horizontalização dos estoques de matéria prima e componentes: um estudo de caso numa empresa de manufatura enxuta do ramo automotivo. Dissertação de Mestrado, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, Brasil. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18140/tde-26012010-104105/en.php

Corrêa, H. L., & Corrêa, C. A. (2013). Administração de Produção e Operações (2a ed.). São Paulo: Ed. Atlas.

DATAVIVA. On-line. Disponível em: http://dataviva.info/pt/location/4mg070310/opportunities?menu=activities-space-scatter&url=scatter%2Frais%2F4mg070310%2Fall%2Fall%2Fcnae%2F%3Fcolor%3Dcolor%26controls%3Dtrue%26depth%3Dcnae_1%26y%3Dcbo_diversity_eff%26x%3Ddistance%26size%3Dnum_jobs

Deus, A. D., & Lacerda, D. P. (2010, outubro) Uma análise do sistema toyota de produção em um ambiente de manufatura JIS (Just in Sequence): estudo de caso. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, São Carlos, SP, Brasil, 15. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2010_TN_STP_113_745_14770.pdf

Fernandes, S. F. (2014) Desenvolvimento de ferramentas de apoio multicritério à decisão em problemas de localização. Tese de Doutorado, Faculdades de Ciências Departamento de Estatística e Investigação Operacional, Universidade de Lisboa, UL, Lisboa, Portugal. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/10603

LEAN ENTERPRISE INSTITUTE. (2016). Léxico Lean: glossário ilustrado para praticantes do pensamento lean. São Paulo: Lean Institute Brasil.

Kosaka, G. (2019). Fluxo Contínuo. Artigos Lean Institute Brasil. Disponível em: https://www.lean.org.br/artigos/366/fluxo-continuo.aspx

Liker, J. K., & Meier, D. (2007). O modelo Toyota: Manual de aplicação. Porto Alegre: Bookman.

Lima, D. F. S., Alcantara, P. G. F., Santos, L. C., Silva, L. M. F., & Silva, R. M. (2016). Mapeamento do fluxo de valor e simulação para implementação de práticas lean em uma empresa calçadista. Produção Online, 16(01), p. 366-392. Disponível em: https://www.producaoonline.org.br/rpo/article/view/2183/1391

Lozano, H. D. C., Guerra-Loji, S., Vargas-Alvarado, M. A. V., Rosa, L. M. V., & Vazques-Hernandez, J. (2019) Lean manufacturing maturity model for an automotive cluster: A case study in Mexico. 4th North American IEOM Conference. IEOM 2019. Disponível em: https://pure.udem.edu.mx/en/publications/lean-manufacturing-maturity-model-for-an-automotive-cluster-a-cas

Maasouman, M. A., & Demirli, K. (2016). Development of a lean maturity model for operational level planning. The International Journal of Advanced Manufacturing Technology, 83, P. 1171-1188. https://doi.org/10.1007/s00170-015-7513-4. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s00170-015-7513-4

Miguel, P. A. C., Fleury, A., Mello, C. H. P., Nakano, D. N., Turrioni, J. B., Lee Ho, L., Morabito, R., Martins, R. A., & Ureza, V. (2010). Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. Rio de Janeiro: Elsevier.

Monden, Y. (1997). Toyota Production System: an integrated approach to just-in-time (3a ed.). Geórgia: Institute of Industrial Engineers.

Nagy, T. K., Pacianotto, G., Bernardes, S. C. B., Cabral, F. R., & Netto, C. A. A. (2018, outubro). Aplicação de redes neurais em redes de suprimento: uma revisão bibliográfica. Anais eletrônicos do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Sergipe, Alagoas, Brasil, 38. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STP_258_481_36216.pdf

Nogueira, L. J. M. (2010). Melhoria da Qualidade através de Sistemas Poka-Yoke. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto, Portugal. Disponvel em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/59614/1/000141304.pdf

Ohno, T. (1997). O Sistema Toyota de Produção – além da produção em larga escala. Porto Alegre: Artes Médicas.

Oliveira, F. S., Mendes, L. D. S., & Costa, R. A. (2018, novembro). Implantação do sistema de produção enxuta em uma indústria de autopeças utilizando a metodologia lean manufacturing. Anais eletrônicos do Simpósio de Engenharia de Produção de Sergipe, Sergipe, Alagoas, Brasil, 10. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/10433/2/ImplantacaoProducaoEnxuta.pdf

Renó G. W. S., Diniz C. P., Yamaguti, H. K. B., & Silva, D. A. L. (2011, outubro). Jogo de negócio simulador dos efeitos positivos da aplicação da ferramenta 5s - organização do local de trabalho na produtividade de um processo de montagem. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Salvador, Bahia, Brasil, 29. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2011_TN_STO_135_860_18563.pdf

Rother, M., & Shook, J. (2003). Aprendendo a enxergar: mapeando o fluxo de valor para agregar valor e eliminar o desperdício. São Paulo: Lean Institute Brasil.

Santos, A. C. S. G., Ribeiro, I. M., Salve, A. S., JI, C. M., Ferreira, L. A. F., & Hora, H. R. M. (2019) Indicador OEE e ferramentas da qualidade: uma aplicação integrada no processo de destilação de uma indústria de biotecnologia. Exacta, 17(02), p. 165-184. https://doi.org/10.5585/exactaep.v17n2.8183. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/exacta/article/view/8183

Santos, L. C., Gohr, C. F., & Santos, E. J. (2011). Aplicação do mapeamento do fluxo de valor para a implantação da produção enxuta na fabricação de fios de cobre. Revista Gestão Industrial, 07(04), p.118-139. Disponivel em: https://revistas.utfpr.edu.br/revistagi/article/view/810/762

Silva, A. L. (2009). Desenvolvimento de um modelo de análise e projeto de layout industrial, em ambientes de alta variedade de peças, orientado para a Produção Enxuta. Tese de Doutorado, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, Brasil. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18140/tde-11122009-134838/en.php. Acesso em: 09/01/2022.

Silva, M. G., & Santos, A. R. (2010, outubro). Conceitos e práticas da autonomação em uma empresa eletrônica brasileira: um estudo de caso. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, São Carlos, São Paulo, Brasil, 35. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2010_TN_STO_113_745_14872.pdf

Slack, N., Chambers, S., & Johnston, R. (2009). Administração da produção (3a Ed.). São Paulo: Atlas.

Taylor, D., & Walsh, A. The Lean journey: have we got it wrong? (2020) Total quality management & business excellence, 31, p. 389-406. Disponível em: https://doi.org/10.1080/14783363.2018.1429258

Tondato, R. (2004). Manutenção Produtiva Total: Estudo de caso na indústria gráfica. Dissertação de Mestrado Profissionalizante, Escola de engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/5167. Acesso em: 09/01/2022.

Vecchia, F. A. D., Volquind, R., Fernandes, E. S., Silveira, F., Santos, B. M., & Amaral, F. G. (2020) Práticas Lean nos processos produtivos industriais: ações para a redução de custos e resíduos de matéria prima. Exacta, 18(01), p. 1-15. https://doi.org/10.5585/exactaep.v18n1.10281. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/exacta/article/view/10281

Venâncio, A. M., Silva, C. E. S., & Souza, D. G. B. (2018, outubro). Avaliação institucional de programas de pós-graduação por meio do net promoter score e da gestão à vista. Anais eletrônicos do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Maceió, Alagoas, Brasil, 38. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_WIC_259_491_36157.pdf

Womack, J. P., Jones, D. T., & Roos, (1992). D. A máquina que mudou o mundo (3a ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: Planejamento e Métodos. (5a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Yoshino, R. T. (2018). Proposta para integração de ferramentas na produção em médias empresas. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, USP, São Carlos, São Paulo, Brasil. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18140/tde-19082008-131711/pt-br.php




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.2021.16990

Direitos autorais 2021 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2022 Todos os direitos reservados.

Este obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional