Redução do tempo de resposta aos desabrigados com a utilização de Bases Logísticas Humanitárias (BLHs) compostas por contêineres marítimos adaptados como abrigos temporários

Ana Carolina Souza Ramos, Newton Narciso Pereira

Resumo


Objetivo do Estudo: Propor o uso de contêineres marítimos adaptados como abrigos temporários para pronta resposta aos desabrigados vítimas de desastres naturais no Brasil.

Metodologia/Abordagem: Neste estudo nós denominamos esta alternativa como Bases Logísticas Humanitárias (BLHs). Para realizar esta proposição, foi realizada uma coleta de dados junto as bases públicas no período de 2013 a 2018 sobre a ocorrência de desastres naturais no país. Os impactos e consequências destes desastres foram analisados e quantificados o total de desabrigados vitimados no período. Para localização das BLHs foi aplicado o método das p-Medianas em conjunto com Simple Multi-Attribute Rating Technique (SMART) para mensurar o peso de cada critério de decisão no processo de localização. A quantidade de BLHs foi definida pelo método de clusterização, considerando a distribuição de desabrigados por Estado.

Originalidade/Relevância: Considerando os aspectos relativos ao fim de vida dos contêineres, que tem gerado um novo mercado de casas contêineres, foi que esta pesquisa identificou uma lacuna em termos de adaptação destes contêineres para abrigos temporários. Assim, justifica-se um estudo que considere os impactos dos eventos climáticos sobre os estados brasileiros, bem como, a capacidade de utilizar instrumentos alternativos para aumentar pronta resposta do estado para atender os necessitados.

Resultados: No final, os resultados mostraram que o desenvolvimento de um processo metodológico para localização das BLHs, compostas por contêineres marítimos, é uma estratégia possível para melhorar a resposta às vítimas desabrigadas por desastres naturais. Foi observado uma maior incidência dos desastres na zona costeira do país, bem como nas regiões Sul, Sudeste e Norte e assim verificou-se a necessidade de 52 BLHs e um total de 90.775 casas contêineres em uma rede de apoio para atender as principais regiões afetadas por desastres naturais.

Contribuições teórico-metodológicas:  Esta pesquisa buscou suprir uma lacuna sobre um procedimento para a localização de abrigos temporários de contêineres marítimos reutilizados para logística humanitária, a fim de contribuir para que órgãos públicos possam oferecer um rápido combate aos desabrigados durante a fase de pós-desastre.

Conclusão: O uso de contêineres marítimos é uma alternativa sustentável para reduzir o tempo de resposta aos desabrigados. Essa abordagem pode permitir que entidades ligadas ao setor marítimo possam realizar parcerias com o setor público no intuito de atenderem uma demanda reprimida no país diante da recorrência de problemas de eventos climáticos. E também poderiam oferecer um alívio a outros eventos extraordinários, que carecessem de estruturas temporárias móveis, como por exemplo em ações de guerra e pandemia.


Palavras-chave


Desastres naturais; Base Logística Humanitária; Tomada de decisão; Contêineres marítimos; Abrigos temporários.

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


Abulnour, A. H. (2014). The post-disaster temporary dwelling: Fundamentals of provision, design and construction. Hbrc Journal, 10(1), 10-24.

Alçada‐Almeida, L., Tralhao, L., Santos, L., & Coutinho‐Rodrigues, J. (2009). A multiobjective approach tolocate emergency shelters and identify evacuation routes in urban areas. Geographical analysis, 41(1), 9-29.

Aleksic, J., Mihajlovic, V., & Jovanovic, T. (2014). Cost-benefit analysis of shipping container emergency shelters: the case study of the Republic of Serbia. Aktual'ni Problemy Ekonomiky= Actual Problems in Economics, (158), 56.

Barcellos, P. D. C. L., Da Costa, M. S., Cataldi, M., & Soares, C. A. P. (2017). Management of non-structural measures in the prevention of flash floods: a case study in the city of Duque de Caxias, state of Rio de Janeiro, Brazil. Natural Hazards, 89(1), 313-330.

Barcellos, P. D. C. L., Silva, F. P. D., Vissirini, F. S. B., Magalhães, C. D. A., Terra, J. M., Dutra, M. R. F., & Amaral, I. C. F. D. (2016). Diagnóstico meteorológico dos desastres naturais ocorridos nos últimos 20 anos na cidade de Duque de Caxias. Revista Brasileira de Meteorologia, 31(3), 319-329.

Barreto, S., Ferreira, C., Paixão, J., & Santos, B. S. (2007). Using clustering analysis in a capacitated location-routing problem. European Journal of Operational Research, 179(3), 968–977.

Baray, J., Cliquet, G. (2013). Optimizing locations through a maximum covering/p-median hierarchical model: Maternity hospitals in France. Journal of Business Research, 66(1), 127-132.

Bayram, V., Yaman, H. A stochastic programming approach for Shelter location and evacuation planning. RAIRO-Oper. Res. 52 (3) 779-805, 2018. Doi: 10.1051/ro/2017046.

Celik, E. (2017). A cause and effect relationship model for location of temporary shelters in disaster operations management. International journal of disaster risk reduction, 22, 257-268

CEPED (Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres). Relatório de danos materiais e prejuízos decorrentes de desastres naturais no Brasil: 1995 – 2014. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 230 p, 2016. Disponível em: http://www.ceped. ufsc.br/wp-content/uploads/2017/01/111703- WP-CEPEDRelatoriosdeDanoslayout-PUBLIC- PORTUGUESE-ABSTRACT-SENT.pdf

Costa, G. G. (2016). Identificação de Municípios Homogêneos Quanto A Ameaças Ambientais No Estado do Rio de Janeiro por Two Step Cluster. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, 10(1), 62-71.

Coutinho-Rodrigues, J., Tralhão, L., & Alçada-Almeida, L. (2012). Solving a location-routing problem with a multiobjective approach: the design of urban evacuation plans. Journal of Transport Geography, 22, 206-218.

Guimarães, D. F. S, dos Santos Belmiro, C., Alves de Vasconcelos, M., & dos Santos Pereira, H. (2019). Fluvial environmental disasters: risk perception and evaluation of government responses by riverine populations in Cacau Pirêra, Iranduba/AM. Sustainability in Debate/Sustentabilidade em Debate, 10(3).

Dalal, J., Mohapatra, P. K. J., & Mitra, G. C. (2007). Locating cyclone shelters: A case. Disaster Prevention and Management: An International Journal, 16(2), 235–244.

de Almeida, L. Q., Welle, T., & Birkmann, J. (2016). Disaster risk indicators in Brazil: a proposal based on he world risk index. International journal of disaster risk reduction, 17, 251-272.

de Mendonca, M. B., & da Silva, D. R. (2020). Integration of census data based vulnerability in landslide risk mapping-The case of Angra dos Reis, Rio de Janeiro, Brazil. International Journal of Disaster Risk Reduction, 50, 101884.

de Mendonca, M. B., & Gullo, F. T. (2020). Landslide risk perception survey in Angra dos Reis (Rio de Janeiro, southeastern Brazil): A contribution to support planning of non structural measures. Land Use Policy, 91, 104415.

Debortoli, N.S., Camarinha, P.I.M., Marengo, J.A. et al. An index of Brazil’s vulnerability to expected increases in natural flash flooding and landslide disasters in the context of climate change. Nat Hazards 86, 557–582 (2017). https://doi.org/10.1007/s11069-016-2705-2.

DEFESA CIVIL. Glossário de defesa civil estudos de riscos e medicina de desastres. Disponível em: . Acesso em: 03/04/2019.

Degrossi, L. C., de Albuquerque, J. P., Fava, M. C., Mendiondo, E. M. (2014, July). Flood Citizen Observatory: a crowdsourcing-based approach for flood risk management in Brazil. In SEKE (pp. 570-575).

Dolman, D. I., Brown, I. F., Anderson, L. O., Warner, J. F., Marchezini, V., & Santos, G. L. P. (2018). Re-thinking socio-economic impact assessments of disasters: The 2015 flood in Rio Branco, Brazilian Amazon. International journal of disaster risk reduction, 31, 212-219.

Hakimi, S. L. (1965). Optimum distribution of switching centers in a communication network and some related graph theoretic problems. Operations research, 13(3), 462-475.

Hong, Yan. A study on the condition of temporary housing following disasters: Focus on container housing, Frontiers of Architectural Research, 2017.

IBGE. Pesquisa de Informações Básicas Municipais. Perfil dos Municípios Brasileiros, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20/02/2018.

Islam, H., Zhang, G., Setunge, S., & Bhuiyan, M. A. (2016). Life cycle assessment of shipping container home: A sustainable construction. Energy and Buildings, 128, 673–685. https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2016.07.002.

Johnson, C., Lizarralde, G., Davidson, C. H. (2006). A system view of temporary housing projects in postdisaster reconstruction. Construction Management and Economics, n. 24, p. 367–378. doi:10.1080/01446190600567977.

Kunz, N., Reiner, G., & Gold, S. (2014). Investing in disaster management capabilities versus pre-positioning inventory: A new approach to disaster preparedness. International Journal of Production Economics, 157, 261-272.

Lall, S. V., Deichmann, U. Density and Disasters Economics of Urban Hazard Risk. The World Bank Research Observer, 2009.

Liao, K., Guo, D. (2008). A Clustering-based approach to the capacitated facility location problem. Transactions in GIS, 12(3), 323–339.

Ling, P. C. H., Tan, C. S., Saggaff, A. (2019, September). Feasibility of ISO shipping container as transitional shelter-a review. In IOP Conference Series: Materials Science and Engineering (Vol. 620, No. 1, p. 012056) IOP Publishing.

Marcelino, E. V. Desastres Naturais e Geotecnologias: Conceitos Básicos. Caderno Didático nº 1. INPE/CRS, Santa Maria, 2008.38p, 2008.

Mendes, R. L. D. C. (2019). Logística de ajuda humanitária na operação acolhida: a mobilização em apoio à população Venezuelana.

Menezes, J. A., Confalonieri, U., Madureira, A. P., Duval, I. D. B., Santos, R. B. D., & Margonari, C. (2018). Mapping human vulnerability to climate change in the Brazilian Amazon: the construction of a municipal vulnerability index. PloS one, 13(2), e0190808

Nappi, M. M. L., Souza, J. C. Conceitos e ferramentas na engenharia de transportes. Desastres naturais: seleção e localização espacial de abrigos para flagelados, Kanashiro. – Ponta Grossa, PR: Atena Editora, 2019.

Nappi, M. M. L., Souza, J. C. Disaster Management: Hierarchical Structuring Criteria for Selection and Location of Temporary Shelters. Natural Hazards, v. 75, n. 3, p. 2421-2436, 2014. Disponível em: . Acesso em: 22/05/2015.

Noji, E. K. (1991). Natural disasters. Critical care clinics, 7(2), 271-292.

Peña, J. A., Schuzer K. Design of Reusable Emergency Relief Housing Units Using General-Purpose (GP) Shipping Containers. Int. J. Eng. Res. Innov., vol. 4, no. 2, pp. 55–64, 2012.

Pizzolato, N. D., Raupp, F. M. P., Alzamora, G. S. Revisão de métodos aplicados em localização com base em modelos da p-mediana e suas variantes. Revista Eletrônica Pesquisa Operacional para o Desenvolvimento, 4, p, 13 42, 2012.

Ramos, A.C; Pereira, N.N. Contêineres marítimos como alternativa para mitigar impactos de desastres naturais. In: 27º CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRANSPORTE AQUAVIáRIO, CONSTRUçãO NAVAL E OFFSHORE, 2018, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Campinas, Galoá, 2020. Disponível em: https://proceedings.science/sobena-2018/papers/reutilizacao-de-conteineres-maritimos--uma-solucao-sustentavel?lang=pt-br. Acesso em: 18 jan. 2020.

Ramos, A.C; Pereira, N.N. Reutilização de contêineres marítimos: uma solução sustentável. In: 27º CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRANSPORTE AQUAVIáRIO, CONSTRUçãO NAVAL E OFFSHORE, 2018, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Campinas, Galoá, 2020. Disponível em: https://proceedings.science/sobena-2018/papers/reutilizacao-de-conteineres-maritimos--uma-solucao-sustentavel?lang=pt-br. Acesso em: 18 jan. 2020.

Revelle, C., Swain, R. Central facilities location. Geographical Analysis, 2, 30–40, 1970.

Soler, L. S., Gregorio, L. T., Leal, P., Gonçalves, D., Londe, L., Soriano, É., & Saito, S. (2013, October). Challenges and perspectives of innovative digital ecosystems designed to monitor and warn natural disasters in Brazil. In Proceedings of the Fifth International Conference on Management of Emergent Digital EcoSystems (pp. 254-261).

Tang, C. S., & Ling, P. C. (2018). Shipping Container as shelter provision solution for post-disaster reconstruction. In E3S web of conferences (Vol. 65, p. 08007). EDP Sciences.

Tzeng, G. H., Cheng, H. J., Huang, T. D. Multi-objective optimal planning for designing relief delivery systems. Transportation Research Part E, v. 43, p. 673–686, 2007.

UNHCR (United Nations High Commissioner for Refugees). Handbook for emergencies, 2nd Ed., Geneva, 2000.

Vergueiro, Waldomiro. Qualidade em serviços de informação. São Paulo: Arte & Ciência, 2002.

Valencio, N. F. L. S. Desastres, ordem social e planejamento em Defesa Civil: o contexto brasileiro. Saúde e Sociedade, v. 19, n. 4, p. 748-762, 2010. doi: http:// dx.doi.org/10.1590/S0104-12902010000400003.

Zabinski, K. B., brodaski, M. A., Campanelli, R. L. Shipping Container Emergency Shelters, 2010. Disponível em: https://digitalcommons.wpi.edu/mqp-all/639.

Zhang, S., setunge, G., Van elmpt, S. Using Shipping Containers to Provide Temporary Housing in Post-disaster Recovery: Social Case Studies. Procedia Econ. Financ., vol. 18, no. September, pp. 618–625, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v10i1.19494

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade

Journal of Environmental Management & Sustainability

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade ©2021 Todos os direitos reservados.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional