O papel dos aplicativos de carona na empregabilidade local: pesquisa com motoristas atuantes em município do interior de São Paulo

Mike Ceriani de Oliveira Gomes, Ana Júlia de Oliveira Ribeiro, Guilherme Henrique Ferraz Campos

Resumo


Este trabalho foi desenvolvido a partir do interesse dos autores por aplicativos de carona enquanto potenciais redutores de desemprego em âmbito local. Optou-se então pela realização de uma pesquisa de campo no município de Botucatu, interior de São Paulo, na busca por informações relevantes para a compreensão de como os aplicativos influenciam na dinâmica econômica local, considerando a diversidade de perfis e objetivos de motoristas que aderem a este meio de trabalho. Para obter dados dos motoristas relacionados aos interesses da pesquisa, foram distribuídos formulários através do Google, onde 58 motoristas, entre as faixas etárias de 22 e 64 anos responderam duas sessões de perguntas, primeiramente quatro sobre seus gêneros, faixas etárias, tempo de residência em Botucatu (aos que residem) e os aplicativos para os quais trabalham e posteriormente cinco perguntas que fazem relação ao trabalho em si, tendo a segunda sessão maior foco de análises. Em seguida, as respostas foram analisadas em sua totalidade, e com isso foi possível explicar algumas tendências locais de adesão ao aplicativo como empregabilidade, interesses em termos de modalidades de trabalho, objetivos e seguridade. Ao final das análises do questionário, os autores propõem alternativas socialmente sustentáveis de gerenciamento dos aplicativos por parte de suas respectivas empresas, bem como a necessidade de participação de outros órgãos administrativos.

 

 


Palavras-chave


Aplicativos de carona; Motoristas de aplicativos; Economia local.

Texto completo:

PDF

Referências


Bezerra, L. E. R. (jul./dez. 2019). O trabalho do motorista de Uber – uma alternativa ao desemprego? Visão, 2(8), 01-17.

Castells, M. (2003). A galáxia da internet: Reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar.

Ferreira, A. S., Freire, R., & Pavei, G. C. (2017). Uma Uber experiência? Elementos de valores e motivadores emocionais. VI SINGEP – Simpósio internacional de gestão de projetos, inovação e sustentabilidade, São Paulo – SP.

Ferreira, K. M., Méxas, M. P., Abreu, W. A., & Mello, P. L. (2016). Economia compartilhada e consumo colaborativo: uma revisão da literatura. XII congresso nacional de excelência em gestão, São Paulo – SP.

G1 Bauru e Marília. (2018). Depois de Bauru e Marília, Uber começa a operar em Botucatu a partir desta sexta. Recuperado de: https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/depois-de-bauru-e-marilia-uber-comeca-operar-em-botucatu-a-partir-desta-sexta.ghtml

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). São Paulo: Atlas.

IBGE. (2020). Cidades e Estados: Botucatu. Recuperado de: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/botucatu.html

Lemos, A. (2010). O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus.

Martins, I., Tinôco, D. S., Vieira, J. X., Rodrigues, T. L. (2015). Gestão de pessoas por competências: da construção epistemológica a sua referência como padrão de recursos humanos no setor público brasileiro, Rev. CCEI – URCAMP, 19(34), 63-74.

Medeiros, E. L., Vasconcelos, T. C., Vione, K. C., Santos, J., Ramos, D. R. P., & Gouveira, Y. B. (2018). Estresse e comportamentos de risco no trânsito, Temas em saúde, 18(1) 31-50.

Miller, C. (2019). O paradoxo do Uber: como o aplicativo libera e aprisiona seus motoristas na 'economia colaborativa'. Recuperado de https://www.bbc.com/portuguese/geral-50412910

Moura, A. L., & Rocha, C. L. C. (2017). Mulheres no volante. Recuperado de http://agemt.org/contraponto/2017/09/26/mulheres-no-volante/.

Prado, J. R. (1998). Iniciação à administração: Preceitos básicos. 5ª ed. São Paulo: Global.

Prefeitura de Botucatu. (2020). Apresentação. Recuperado de: http://www.botucatu.sp.gov.br/

Revista Exame. (2019). Apps como Uber e iFood se tornam “maior empregador” do Brasil. Recuperado de https://exame.abril.com.br/economia/apps-como-uber-e-ifood-sao-fonte-de-renda-de-quase-4-milhoes-de-pessoas/

Santos, F. A. N., Mayer, V. F., & Marques, O. R. B. (dez. 2019). Precificação dinâmica e percepção de justiça em preços: um estudo sobre o uso do aplicativo Uber em viagens. Tur., Visão e Ação, 21(3), 239-264.

Soares, S. S. D., & Câmara, G. C. V. (jul./dez. 2016). Tecnologia e subjetividade: impactos do uso do celular no cotidiano de adolescentes, Pretextos – Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, 1(2), 204-223.

Vieira, M. M. G. (2020). A Globalização e as Relações de Trabalho. Curitiba: Juruá.

Wisniewski, P. C., & Esposito, L. A. (jun. 2016). Mobilidade urbana e o caso Uber: aspectos jurídicos e sociais da startup. PERSPECTIVA, Erechim, 40(150), 63-74.




DOI: https://doi.org/10.5585/iptec.v9i1.18719

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Inovação, Projetos e Tecnologias – IPTEC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Inovação, Projetos e Tecnologias - IPTEC

e-ISSN: 2318-9851
www.revistaiptec.org

Revista Inovação, Projetos e Tecnologias - IPTEC ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional