Mapeamento tecnológico de softwares para gerenciamento da propriedade intelectual e análise SWOT para o desenvolvimento de uma nova tecnologia

Cátia Valéria dos Santos Passos Brito, Vivianni Marques Leite dos Santos

Resumo


Devido à grande quantidade de informações, necessidade de segurança, confiabilidade e celeridade nos trâmites internos dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) das Universidades e Institutos Federais, devem-se buscar alternativas para implantação de gestão automatizada e eficiente. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi realizar uma sondagem dos registros de programas de computador (PCs) referentes ao gerenciamento da propriedade intelectual (PI), com identificação da posição do Brasil no panorama patentário internacional e análise SWOT (strengths, weaknesses, opportunities, threats) para o desenvolvimento de uma nova tecnologia. Foi realizada busca por PCs na base de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e por patentes na plataforma ©Questel Orbit, no período de 2000 a 2020, usando os descritores “propriedade intelectual”, “gerenciamento da propriedade intelectual” e “gestão da propriedade intelectual” no campo “título” na base do INPI e os mesmos termos, em inglês, nos campos “título” e “resumo” do ©Questel Orbit. Foram encontrados 21 PCs concernentes à temática, que após exclusão de duplicidades e daqueles que não estão ligados diretamente à gestão da PI, resultaram em 08, cujas funcionalidades não atendem às reais necessidades dos NITs das Universidades e Institutos Federais. Quanto às patentes, apesar do elevado número de famílias, a maioria se refere ao gerenciamento dos direitos da PI, tal como licenciamentos e oposições, não estando relacionadas ao gerenciamento das atividades de rotina nos NITs. Finalmente, a análise SWOT permitiu concluir que há ambiente favorável para o desenvolvimento e implantação de um sistema de gerenciamento no NIT em estudo.


Palavras-chave


Gestão. Propriedade Intelectual. Registro de software. Inovação.

Texto completo:

PDF

Referências


Amparo, K. K. S., Ribeiro, M. C. O., & Guarieiro, L. L. N. (2012). Estudo de caso utilizando mapeamento de prospecção tecnológica como principal ferramenta de busca científica. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 17, n. 4, p. 195-209.

Borschiver, S., & Silva, A. L. R. (2016). Technology Roadmap: Planejamento Estratégico para alinhar Mercado-Produto-Tecnologia. Rio de Janeiro: Interciência.

Brasil. Lei 10.973, de 02 de dezembro de 2004. Diário Oficial, Brasília, DF, 2 dez. 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004- 2006/2004/Lei/L10.973.htm. Acesso em: 07 jun. 2020.

Brasil, Lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016. Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação. Diário Oficial, Brasília, DF, 2016a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13243.htm. Acesso em: 07 jun. 2020.

Brasil. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Regula os direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9279.htm . Acesso em: 07 jun. 2020.

Brito, C. V. dos S. P. TUC-M- Desenvolvimento, implantação e análise do Sistema “SGPI PRO” no gerenciamento da Propriedade Intelectual no NIT da Univasf. 2020. 125 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação) - Universidade Federal do Vale do Francisco, Petrolina, 2020. Disponível em: https://portais.univasf.edu.br/profnit/profnit/TCCCtiaValriaCompletoBiblioteca.pdf. Acesso em: 05 mai. 2022.

Cunha, R. (2012). Indicadores chineses de C&T crescem em ritmo mais acelerado que a economia. ComCiência, n. 137, p. 0-0.

Daychouw, M. (2007). 40 Ferramentas e Técnicas de Gerenciamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasport.

Global Innovation 1000 Study. (2019). Disponível em: https://www.pwc.com/gx/en/news-room/docs/2018-global-innovation-study-press-release.pdf. Acesso em: 04 jul. 2020.

Instituto Nacional de Propriedade Industrial. INPI. Classificação de Patentes. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/central-de-conteudo/ultimas-noticias/disponibilizada-versao-2020-da-classificacao-de-patentes-ipc. Acesso em: 16 jun 2020.

Instituto Nacional de Propriedade Industrial. INPI. Programa de Computador. Disponível em: https://gru.inpi.gov.br/pePI/jsp/programas/ProgramaSearchBasico.jsp. Acesso em: 02 jun 2020.

Orbit Inteligence [Ferramenta de busca de bases de dados-Internet]. ©Questel;2020. Disponível em: www.orbit.com. Acesso em: Jun. 2020.

Paranaguá, P., & Reis, R. (2009). Patentes e criações industriais. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Scielo. Base de dados – Internet. 2020. Disponível em: http://www.scielo.org/php/index.php. Acesso em: 10 jun. 2020.

Science Direct. Base de dados – Internet. 2020. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/. Acesso em: 11 jun. 2020.

Xinhua Português. (2019). Disponível em: http://portuguese.xinhuanet.com/2019- 07/18/c_138236581.htm. Acesso em: 18 jun. 2020.

WIPO. International Patents Classification (IPC). Disponível em: http://www.wipo.int/classifications/ipc/en/ Acesso em: 18 j un. 2020.




DOI: https://doi.org/10.5585/iptec.v10i1.20679

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Inovação, Projetos e Tecnologias

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Inovação, Projetos e Tecnologias - IPTEC

e-ISSN: 2318-9851
www.revistaiptec.org

Revista Inovação, Projetos e Tecnologias - IPTEC ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional