Da violência de gênero no contexto da pandemia da COVID-19: um diálogo à luz dos direitos humanos e da personalidade

Jamille Bernardes da Silveira Oliveira dos Santos, Valéria Silva Galdino Cardin

Resumo


Desde o fim de 2019 o mundo se encontra alarmado pela disseminação do vírus da COVID-19. Em virtude do alto grau de contágio da doença e visando evitar o colapso das redes públicas e privadas de saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a melhor forma de enfrentamento da doença seria por meio de isolamento social. Em que pese a inegável necessidade de observância da orientação repassada pela OMS, a questão do isolamento social, dentre os seus muitos desdobramentos, acentuou o número de casos de violência contra a mulher. Deste modo, o presente artigo, por meio de pesquisa teórica, possui por objetivo analisar a violência de gênero e os reflexos causados pela pandemia da COVID-19 neste contexto, sob a perspectiva dos direitos humanos e da personalidade.


Palavras-chave


COVID-19; direitos da personalidade; direitos humanos; violência contra a mulher; violência de gênero

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Anailde. A construção social do ser homem e ser mulher. Salvador: EDUNEB, 2010.

ARAÚJO, Maria de Fátima. Gênero e violência contra a mulher: o perigoso jogo de poder e dominação. Psicologia para América Latina, n. 14, out. 2008. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2008000300012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 3 jun. 2020.

BARONE, Isabelle. Coronavírus: denúncias de violência doméstica aumentam e expõem impacto social da quarentena. Gazeta do Povo, 28 mar. 2020. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/coronavirus-denuncias-de-violencia-domestica-aumentam-e-expoem-impacto-social-da-quarentena/. Acesso em: 15 jun. 2020.

BARRETO, Wanderlei de Paula; SANTOS, Luciany Michelli Pereira dos. O conceito aberto de desdobramento da personalidade e os seus elementos constitutivos nas situações de mobbing ou assédio moral. Revista Jurídica Cesumar - Mestrado, Maringá, v. 6, n. 1, p. 473-487, dez. 2006. Disponível em: https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/revjuridica/a rticle/view/322/181. Acesso em: 20 jan. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 21 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de 1916. Institui o Código Civil Brasileiro. Rio de Janeiro, DF: Presidência da República, [1916]. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1910-1919/lei-3071-1-janeiro-1916-397989-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 24 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Brasília, DF: Presidência da República, [2002]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm. Acesso em: 8 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2006]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 15 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. COVID-19. Painel Coronavírus. Brasília, DF: Ministério da Saúde, [2020]. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em: 1 jun. 2020.

CAVALCANTI, Vanessa Ribeiro Simon; REZENDE-CAMPOS, Pollyanna. Sexualidades e gêneros dissidentes no espaço escolar: dimensões possíveis da educação para e pelos direitos humanos. Revista Direito e Sexualidade, v. 1, n. 1, p. 1-19, maio 2020. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revdirsex/article/view/35853/21090. Acesso em: 7 jun. 2020.

DAHLBERG, Linda L.; KRUG, Etienne G. Violence: a global public health problem. In: WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Global consultation on violence and health. Genova: WHO, 2002. Disponível em: https://www.who.int/violence_injury_prevention/violence/world_report/en/FullWRVH.pdf. Acesso em: 14 jun. 2020.

GARCIA, Enéas Costa. Direito geral da personalidade no sistema jurídico brasileiro. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2007.

GOMES, Orlando. Introdução ao direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 1974.

GONÇALVES, Camila de Jesus Mello. Igualdade de gênero no Poder Judiciário: uma proposta de ação afirmativa. Revista Direito e Sexualidade, n. 1, p. 1-14, maio 2020. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revdirsex/article/view/36800/21091. Acesso em: 07 jun. 2020.

ÍNDICE de violência doméstica é maior para mulheres economicamente ativas. IPEA, 19 ago. 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34977. Acesso em: 4 fev. 2020.

KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Tradução: Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 1997.

LIMA, Flaviane Izidro Alves de et al. A influência da construção de papeis sociais de gênero na escolha profissional. Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 19, n. 1, p. 33-50, jan./jun. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/10818. Acesso em: 31 maio 2020.

LOURO, Guacira Lopes Louro. Um corpo estranho: ensaios sobre a sexualidade e a teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, gênero e sexualidade: o “normal”, o “diferente” e o “excêntrico”. In: LOURO, Guacira Lopes; NECKEL, Jane Felipe; GOELLNER, Silvana Vilodre (org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2012. p. 41-52.

MACHADO, Paula Sandrine. O sexo dos anjos: um olhar sobre a anatomia e a produção do sexo (como se fosse) natural. Cadernos Pagu, n. 24, p. 249-281, jan./jun. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-83332005000100012&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 31 maio 2020.

MAIS de 500 mulheres são agredidas a cada hora no Brasil, diz pesquisa. G1, 26 fev. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/02/26/mais-de-500-mulheres-sao-agredidas-a-cada-hora-no-brasil-diz-pesquisa.ghtml. Acesso em: 15 jun. 2020.

MARIANI, Daniel; YUKARI, Diana; AMÂNCIO, Thiago. Assassinatos de mulheres em casa dobram em SP durante a quarentena por coronavírus. Folha de São Paulo, São Paulo, 15 abr. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/04/assassinatos-de-mulheres-em-casa-dobram-em-sp-durante-quarentena-por-coronavirus.shtml. Acesso em: 15 jun. 2020.

MARQUES, Emanuele Souza et al. A violência contra mulheres, crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela COVID-19: panorama, motivações e formas de enfrentamento. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, n. 4, p. 1-6, 30 abr. 2020. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csp/2020.v36n4/e00074420/#. Acesso em: 15 jun. 2020.

MELO, Érica. Feminismo: velhos e novos dilemas uma contribuição de Joan Scott. Cadernos Pagu, Campinas, n. 31, p. 553-564, dez. 2008. Disponível em; http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332008000200024&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 6 jun. 2020.

NARVAZ, Martha. Submissão e resistência: explodindo o discurso patriarcal da dominação feminina. 2005. 197 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/5442. Acesso em: 7 jun. 2020.

NARVAZ, Martha Giude; KOLLER, Sílvia Helena. Famílias e patriarcado: da prescrição normativa à subversão criativa. Revista Psicologia & Sociedade, v. 18, n. 1, p. 49-55, jan./abr. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822006000100007. Acesso em: 7 jun. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). ONU Mulheres. Gênero e COVID-19 na América Latina e no Caribe. Brasília, DF: ONU, [2020]. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2020/03/ONU-MULHERES-COVID19_LAC.pdf. Acesso em: 4 jun. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Folha informativa sobre COVID-19. Histórico da pandemia de COVID-19. OPAS, 4 jun. 2020.Disponível: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875. Acesso em: 7 jun. 2020.

PATEMAN, Carole. O contrato sexual. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

PAULA, Ana Amélia Oliveira Reis de; VIEIRA, Márcia Maria Rosa. Intersexualidade: uma clínica da singularidade. Revista Bioética, v. 23, n. 1, p. 70-79, jan./abr. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-80422015000100070&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 31 maio 2020.

PRIMEIRO caso do novo coronavírus no mundo teria ocorrido em novembro. Gazeta do Povo, 13 mar. 2020. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/primeiro-caso-novo-coronavirus/. Acesso em: 15 maio 2020.

RAMPIN, Talita Tatiana Dias; FREITAS, José Carlos Garcia de. Gênero e direito: uma análise do princípio constitucional da igualdade. In: BRUNS, Maria Alves de Toledo; SOUZA-LEITE, Célia Regina Vieira de (orgs.). Gênero, diversidades e direitos sexuais nos laços da inclusão. Curitiba: CRV, 2012. p. 39-60.

REIS, Gabrielly Gomes dos. Implicações decorrentes das diferenças de gênero para a prática de professores do sexo masculino na educação infantil. 2019. 71 f. Monografia (Licenciatura em Pedagogia) – Faculdade de Pedagogia, Universidade Federal do Pará, Castanhal, 2019. Disponível em: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/bitstream/prefix/2124/1/TCC_ImplicacoesDecorrentesDiferencas.pdf. Acesso em: 31 maio 2020.

RIOS, Roger Raupp. Para um direito democrático da sexualidade. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 12, n. 26, p. 71-100, jul./dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832006000200004. Acesso em: 30 abril 2020.

SARLET, Ingo Wolgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1998. 7ª. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Traduzido por Guacira Lopes Louro. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721. Acesso em: 5 de jun. 2020.

SOUSA, Rabindranath Valentino Aleixo Capelo de. Direito geral de personalidade. Coimbra: Coimbra, 1995.

SOUZA, Patrícia Verônica Nunes Sobral de; FACHIN, Zulmar. O princípio da dignidade humana como fundamento para o Estado Contemporâneo: um olhar sob o viés dos direitos da personalidade. Revista de Direitos Sociais e Políticas Públicas (UNIFAFIBE), v. 7, n. 3, p. 311-340, 2019. Disponível em: www . unifafibe . com . br / revista / index . php / direitos - sociais - politicas - pub / index. Acesso em: 24 jan. 2020.

SPINOLA-CASTRO, Angela Maria. A importância dos aspectos éticos e psicológicos na abordagem do intersexo. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, São Paulo, v. 49, n. 1, p. 46-59, 2005. Disponível em: http://www.repositorio.unifesp.br/handle/11600/2427. Acesso em: 31 maio 2020.

SZANIAWSKI, Elimar. Direitos da personalidade e sua tutela. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

TEDESCHI, Losandro Antônio; COLLING, Ana Maria. Os direitos humanos e as questões de gênero. História Revista, v. 19, n. 3, p. 33-58, 2014. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/historia/article/view/32992. Acesso em: 16 jun. 2020.

TEPEDINO, Gustavo. Temas de Direito Civil. 3. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2004.

VALLADON, Simone Clapier. As teorias da personalidade. São Paulo: Martins Fontes, 1988.




DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v20n1.17975

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Prisma Juridico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Prísma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Prísma Jurídico ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional