Análise da mediação e conciliação na recuperação judicial da empresa à luz da teoria dos jogos

Manoel de Queiroz Pereira Calças, Felipe Guinsani

Resumo


O tema da presente pesquisa é a mediação e conciliação na recuperação judicial da empresa à luz da teoria dos jogos. A análise se dará a partir do conceito e evolução dos institutos da mediação e conciliação. Na sequência será examinada a eficácia da autocomposição. Desse ponto, a pesquisa segue para uma abordagem do acordo e mediação na recuperação judicial da empresa. Sendo que, neste contexto, serão destacadas algumas noções relativas à empresa e suas funções econômica e social. Objetiva-se, assim, proceder-se a uma análise da autocomposição na recuperação judicial, mormente diante da complexidade deste tipo de processo, que envolve uma quantidade enorme de credores, muitas vezes com interesses antagônicos. A técnica de pesquisa utilizada é a bibliográfica e documental, a partir de uma abordagem dedutiva sobre o tema.


Palavras-chave


recuperação judicial; mediação e conciliação; teoria dos jogos

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Fábio Portela Lopes de. A Teoria dos Jogos: Uma Fundamentação Teórica dos Métodos de Resolução de Disputa. In: AZEVEDO, André Gomma de (org.). Estudos em arbitragem, mediação e negociação. vol. 2. Brasília: Grupos de Pesquisa, 2003.

ALMEIDA, Gregório Assagra de. O Sistema Jurídico Nos Estados Unidos - Common Lawe Carreiras Jurídicas (Judges, Prosecutors E Lawyers): O Que Poderia Ser Útil Para A Reforma Do Sistemaprocessual Brasileiro? Revista de Processo, v. 251, p. 02-11, 03 mar. 2017.

AZEVEDO, André Gomma de (org.). Manual de mediação judicial. 6. ed. Conselho Nacional de Justiça. (Brasília/DF:CNJ), 2016.

BRASIL. Código Civil – Lei 10.406 de janeiro de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406compilada.htm. Acesso em: 20 de set. de 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei 6.404/1976, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre a intervenção e a liquidação extrajudicial de instituições financeiras e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6404compilada.htm. Acesso em: 13 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 14.112 de dezembro de 2020. Altera as Leis nº 11.101, de 9 de fevereiro de 2005, 10.522, de 19 de julho de 2002, e 8.929, de 22 de agosto de 1994, para atualizar a legislação referente à recuperação judicial, à recuperação extrajudicial e à falência do empresário e da sociedade empresária. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L14112.htm. Acesso em: 20 de set. de 2021.

COELHO, Fábio Ulhoa. Comentários à Lei de Falências e de Recuperação de Empresas. 14. ed. São Paulo: Thomson Reuters Brasil, 2020.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial, volume 1: direito de empresa. 16. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Justiça em números 2021. Conselho Nacional de Justiça. Brasília: CNJ, 2021. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2021/11/relatorio-justica-em-numeros2021-221121.pdf. Acesso em: 04 dez. 2021.

DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do processo. 14. ed. São Paulo: Malheiros: 2009.

FREEMAN, E. R.; HARRISON, J. S.; WICKS, A. C.; PARMAR, B. L. & COLLE, S.

Stakeholder theory: the state of the art. New York: Cambridge Press, 2010.

GICO JÚNIOR, Ivo Teixeira. A tragédia do judiciário: subinvestimento em capital jurídico e sobreutilização do Judiciário. 146 p. Tese (Doutorado em Economia). Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

TAN, Joyce A. WIPO Guide on Alternative Dispute Resolution (ADR) Options for Intellectual Property Offices and Courts. 2018. Disponível em: https://www.wipo.int/edocs/pubdocs/en/wipo_pub_guide_adr.pdf. Acesso em: 03 dez. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v21n2.21356

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Manoel de Queiroz Pereira Calças; Felipe Guinsani

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Prisma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional