Redução de Risco de Investimento no uso Bop um Estudo de Caso da Rede de Inovação da Fundação Pró-Vivienda Social (Fpvs)

Marìa Griselda Lassaga, Gabriel Lanfranchi

Resumo


Mais de 2 milhões de pessoas na periferia da área metropolitana de Buenos Aires moram em bairros com acesso limitado à educação, crédito, saúde e serviços básicos (Goytia e Lanfranchi, 2009). Com quase 4 bilhões de pessoas vivendo em pobreza no mundo de hoje, esta situação não é exclusiva para Buenos Aires. Tamanho do mercado econômico deste "Base da Pirâmide" (BOP) faz com que seja impossível de ignorar, no século 21 (Prahalad e Hart, 2002). Infelizmente, porém, a maioria das empresas privadas não tiveram em conta dessas populações e, portanto, negada a oportunidade de participar na economia global. Este artigo descreve como a Fundação de Habitação Social (FPVS) procura corrigir esta situação, fornecendo os laços econômicos com o BOP. Este estudo de caso, com base nos testemunhos e experiências dos participantes, detalhes do esforço para criar oportunidades de negócios financeiramente sustentável tanto para o setor privado para o BOP. Maneira específica, o estudo está relacionado com o papel de facilitador FPVS como empresários e comunidades pobres para realizar negócios com a Base da Pirâmide (BOP). O testemunho deste estudo de caso, além da experiência dos pesquisadores e da literatura de negócios, foi o caminho escolhido. Sendo um estudo longitudinal, neste caso, examina como as percepções e as relações mudam com o tempo. Com base na Rede de Desenvolvimento de Modelo de Negócios, o estudo centra-se na co-geração de valores para todas as partes, dentro de uma estrutura sustentável. Especificamente, o caso é FPVS relacionados equalização papel no desenvolvimento da infraestrutura mutuamente benéfico. Desde 1995 FPVS enfocou a melhoria da habitação e desenvolvimento de infra-estrutura. Através de seus projetos, o FPVS mostrou que o trabalho com comunidades de baixa renda envolve alto risco, mas um bom negócio. A fundação acredita que as comunidades organizam em torno de mobilização de eventos relacionados à melhoria dos padrões de vida, você pode criar o capital social necessário para quebrar o ciclo da pobreza (Lanfranchi, 2005). Em áreas onde atua, a FPVS desenvolveu uma estratégia para organizar as demandas da comunidade de bens e serviços e combiná-los com a sua disposição. Estes tipos de estratégias têm sido descritas por Granovotte (1983) como a "fechar os buracos estruturais". Um aspecto importante deste estudo é que ele ilustra a necessidade de transcender os modelos de negócio tradicionais no desenvolvimento de empresas de sucesso com o BOP. O estudo também destaca como a abordagem FPVS é consistente com os recentes avanços na literatura do BOP (Prahalad, 2006). Por exemplo, o relatório mostra como as estratégias de FPVS incorpora os conceitos de inovação em administração de empresas (Kandachar, 2008), redes de negócios (Hakansson e Snehota, 1995) e radical transactibilidad (Hart e Simanis, 2005; Simanis e Hart, 2008). Mais significativamente, este estudo mostra como criar um intercâmbio econômico sustentável e mutuamente benéfica entre empresas privadas e da BP.

DOI:10.5585/riae.v11i1.1835


Palavras-chave


Negócios; Base da Pirâmide; Inovação; Gerenciamento; Infraestrutura.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/ijsm.v11i1.1835

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM)
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE)
e-ISSN: 2176-0756
https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=riae

Copyright © 2020 Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM) All rights reserved.
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE) ©2020 Todos os direitos reservados.