Análise biográfica do processo de adaptação estratégica: o caso Brasil Free Shop

Jovani dos Santos da Silva, Gabriela Cappellari, Jeferson Luís Lopes Goularte, Mygre Machado Lopes

Resumo


Objetivo do estudo: O presente estudo objetiva analisar o processo de adaptação estratégica ocorrido no Brasil Free Shop, localizado na cidade de Rivera, Uruguai, na fronteira com a cidade de Santana do Livramento, Rio Grande do Sul, entre os anos de 2010 a 2018.

Metodologia: A análise foi realizada a partir da identificação dos períodos estratégicos e eventos críticos, relacionando-os com o modelo de adaptação estratégica de Hrebiniak e Joyce (1985) e com as escolas do pensamento estratégico de Mintzberg, Ahlstrand e Lampel (2000). O percurso metodológico utilizado baseou-se em uma abordagem qualitativa e descritiva. Os dados foram coletados mediante entrevistas semiestruturadas com gestores da organização. A técnica utilizada para análise e interpretação dos dados foi a análise longitudinal contextualista, conforme fundamentos da direct research e das escolas do pensamento estratégico.

Principais resultados: Os resultados revelaram três períodos de adaptação estratégica – de 2010 a 2013, marcado pela origem do negócio; de 2014 a 2017, definido pela expansão organizacional; e a partir de 2018, caracterizado pela recessão. Em todas as fases, a empresa realizou a gestão estratégica considerando a influência de elementos externos, especialmente a flutuação da taxa de câmbio. Dessa forma, as estratégias adotadas pela organização baseiam-se principalmente nas escolas do design, empreendedora e ambiental.

Contribuições teóricas/metodológicas: Este estudo evidencia a validade do modelo proposto por Hrebiniak e Joyce (1985), que prevê o voluntarismo e o determinismo ambiental como dimensões independentes.


Palavras-chave


Estratégia; Adaptação estratégica; Free shop; Região de fronteira.

Texto completo:

PDF

Referências


Abatecola, A. (2012). Organizational adaptation: an evolving debate. In 12th Annual Conference of the European Academy of Management. Rotterdam, Netherlands.Aldrich, H. E., & Pfeffer, J. (1976). Environments of organizations. Annual Review of Sociology, 2, 79-105.

Ansoff, I. (1965). Estratégia empresarial. São Paulo, SP: McGrawHill.

Banducci Júnior, A. (2011). Turismo e fronteira: integração cultural e tensões identitárias na divisa do Brasil com o Paraguai. Pasos: Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 9(3), 7-18.

Brasil. (2009). Lei n.º 12.095, de 19 de novembro de 2009. Declara Sant’Ana do Livramento, Estado do Rio Grande do Sul, cidade símbolo da integração brasileira com os países membros do Mercosul. Brasília, DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12095.htm

Brasil. (2012). Lei n.º 12.723, de 9 de outubro de 2012. Altera o Decreto-Lei nº 1.455, de 7 de abril de 1976, que dispõe sobre bagagem de passageiro procedente do exterior, disciplina o regime de entreposto aduaneiro, estabelece normas sobre mercadorias estrangeiras apreendidas e dá outras providências, para autorizar a instalação de lojas francas em Municípios da faixa de fronteira cujas sedes se caracterizam como cidades gêmeas de cidades estrangeiras e para aplicar penalidade aos responsáveis dos órgãos da administração direta ou indireta que dolosamente realizarem importação ao desamparo de guia de importação. Brasília, DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12723.htm#:~:text=Altera%20o%20Decreto%2DLei%20n%C2%BA,em%20Munic%C3%ADpios%20da%20faixa%20de.htm

Brasil. (2020). Ministério da Integração Nacional reconhece duas novas cidades-gêmeas. Recuperado dehttp://www.mi.gov.br/ultimas-noticias/7455-ministerio-da-integracao-nacional-reconhece-duas-novas-cidades-gemeas

Cappellari, G., Walter, J., & Sausen, J. (2017). Análise do processo de mudança estratégica sob a perspectiva da teoria das capacidades dinâmicas: o caso da metalúrgica inovação. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 2, 667-679.

Conant, J. S., Mokwa, M. P., & Varadarajan, P. R. (1990). Strategic types, distinctive marketing competencies and organizational performance: a multiple measures-based study. Strategic Management Journal, 11(5), 365-383.

Duncan, R. B. (1972). Characteristics of organizational environments and perceived environmental uncertainty. Administrative Science Quarterly, 17(3), 313-327.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa; tradução: Joice Eliias Costa (3a ed.). Porto Alegre, RS: Artmed.

Fogel, R. (2008). La región de la triple frontera: territorios de integración y desintegración. Sociologias, 20, 270-290.

Gil, A. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Gioia, D. A., Corley, K. G., & Hamilton, A. L. (2013). Seeking qualitative rigor in inductive research: Notes on the Gioia methodology. Organizational Research Methods, 16( 1), 15-31.

Hrebiniak, L., & Joyce, W. (1985). Organizational adaptation: strategic choice and environmental determinism. Administrative Science Quarterly, 30, 336-349.

Machado-Da-Silva, C. L., & Fonseca, V. S. da (1993). Homogeneização e diversidade organizacional: uma visão integrativa. In Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Salvador, Brasil.

Marconi, M., & Lakatos, E. (2012). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados (7a ed. 6a reimpr.), São Paulo, SP: Atlas.

Miles, R. H. (1980). Macro organizational behavior. Glenview, Illinois: Scot Foresman and Company, 1980.

Miles, R. E., & Snow, C. C. (1978). Organizational strategy, structure and process. New York, NY: McGraw-Hill.

Miles, R. E., & Snow, C. C. (2003). Organizational strategy, structure and process. Stanford, California: Business Classics.

Mintzberg, H. (1978). Patterns in strategy formation. Management Science, 9, 934-948.

Mintzberg, H., & Mchugh, A. (1985). Strategy formation in an adhocracy. Administrative Science Quarterly, 30, 160-197.

Mintzberg, H., & Quinn, J. B. (2001). O processo da estratégia (3a ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2000). Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre, RS: Bookman.

Pettigrew, A. (1987). Context and action in the transformation of the firm. Journal of Management Studies, 24(6), 649-670.

Pfeffer, J., & Salancik, G. R. (1978). The external control of organization: a new dependence perspective. New York, NY: Harper and Roll.

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico (2a ed.). Novo Hamburgo, RS: Feevale.

Receita Federal do Brasil. (2018). Instrução Normativa RBF nº 1799, de 16 de março de 2018. Estabelece normas complementares à Portaria MF nº 307, de 17 de julho de 2014, que dispõe sobre a aplicação do regime aduaneiro especial de loja franca em fronteira terrestre. Recuperado de http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=90852.htm

Receita Federal do Brasil. (2019). Instrução Normativa RBF nº 1908, de 19 de agosto de 2019. Altera o Anexo Único da Instrução Normativa RFB nº 1.799, de 16 de março de 2018, que relaciona mercadorias não admitidas no regime aduaneiro especial de loja franca em fronteira terrestre. Recuperado de http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=102991.htm.

Rossetto, C. R., & Rossetto, A. M. (2005). Teoria institucional e dependência de recursos na adaptação organizacional: uma visão complementar. Revista de Administração de Empresas, 4(1), 7.

Sacomano Neto, M., & Truzzi, O. M. S. (2002). Perspectivas contemporâneas em análise organizacional. Gestão e Produção, 9(1), 21-44.

Sausen, J. O. (2003). Adaptação estratégica organizacional: o caso da Kepler Weber S/A. Ijuí, RS: Editora Unijuí.

Sharfman, M. P., & Dean, J. W. (1991). Conceptualizing and measuring organizational environment: a multidimensional approach. Journal of Management, 17( 4), 681-700.

Whittington, R. (1988). Environmental structure and theories of strategic choice. Journal of Management Studies, 25(6), 521-536.

Xavier, T., Azevedo, J., Wittimann, M., Inácio, R., Treptow, I., & Cruz, A. (2013). A criação de free-shops como estratégia de atração de consumidores internacionais. In IV Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul, Brasil.

Yin, R. K. (2014). Case study research: design and methods (5a ed.). Thousand Oaks, CA: Sage.




DOI: https://doi.org/10.5585/riae.v19i3.16466

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM)
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE)
e-ISSN: 2176-0756
https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=riae

Copyright © 2020 Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM) All rights reserved.
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE) ©2020 Todos os direitos reservados.