Linguagem personalizante dos filtros-bolha:

instrumento para encarceramento no panóptico digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/rtj.v12i2.22284

Palavras-chave:

Filtro-bolha, poder, sociedade em rede

Resumo

A superação da ilusão de que as plataformas digitais seriam horizontais e livres apresenta problemas relacionados à atuação do chamado “filtro-bolha”. Utilizando o método hipotético-dedutivo, este artigo objetiva testar a hipótese de que o filtro-bolha é um instrumento de poder com características de vigilância similares ao panóptico de Bentham, mas que, ao contrário do panóptico, se utiliza do poder positivo, moldando o agir dos indivíduos de maneira sub-reptícia. Aborda-se o problema proposto em duas etapas: i) exposição do funcionamento do filtro-bolha e detalhamento do chamado “poder comunicativo”; e ii) diferenciação entre poder positivo e negativo e aproximações do tema com a teoria de Bentham. Ao final, constatou-se que o filtro-bolha delimita as informações acessadas pelos indivíduos, detendo a capacidade de modulação de ideologias. Essa pesquisa utilizou a técnica da revisão bibliográfica em uma abordagem qualitativa, notadamente das teorias de Jeremy Bentham, Eli Pariser e Byung Chul Han.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Sartori Hendges, Centro Universitário Curitiba - Unicuritiba / Curitiba (PR)

Graduando em Direito no Centro Universitário Curitiba (UNICURITIBA). Integrante do Grupo de Pesquisa Democracias e Novas Tecnologias, coordenado pela Prof. Drª. Edna Torres Felício.

Edna Torres Felício, Faculdade de Pinhais (Fapi) / Pinhais (PR)

Doutora em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Docente do Curso de Graduação em Direito da Faculdade de Pinhais (Fapi) e do Programa de Pós-Graduação em Direito da Escola Paranaense de Direito.

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1997. p. 113-156.

ANTOUN, Henrique. De uma teia à outra: a explosão do comum e o surgimento da vigilância participativa. In: ANTOUN, Henrique (org.). WEB 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 11-28.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Tradução: Carlos Alberto Medeiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BENTHAM, Jeremy. O Panóptico. Organização de Tomaz Tadeu. Tradução: Guacira Lopes Louro, M. D. Magno, Tomas Tadeu. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

BRUNO, Fernanda. Monitoramento, classificação e controle nos dispositivos de vigilância digital. In: ANTOUN, Henrique (org.). WEB 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 167-182.

BRUNS, Axel. Are filter bubbles real? Polity Press: Cambridge, 2019.

CASSINO, João Francisco. Modulação deleuzeana, modulação algorítmica e manipulação midiática. In: AVELINO, Rodolfo; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; SOUZA, Joyce (org.). A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais. São Paulo: Hedra, 2018. p. 13-30.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Tradução: Roneide Venâncio Majer, Klaus Brandini Gerhardt. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. Tradução: Vera Lúcia Mello Joscelyne, Isabela Machado de Oliveira Fraga. 3. ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.

COHN, Gabriel (org.) Adorno. Tradução: Flávio R. Kother, Aldo Honesti, Amélia Cohn. 2.ed. São Paulo: Ática, 1994. p. 92-99.

DESJARDINS, Jeff. What Happens in an Internet Minute in 2019?. Visual Capitalist. 13 mar. 2019. Disponível em: https://www.visualcapitalist.com/what-happens-in-an-internet-minute-in-2019/. Acesso em: 22 jul. 2020.

DUARTE, Fernando. Brasil é ‘vice’ em tempo gasto em redes em ranking dominado por ‘emergentes’. Folha de São Paulo. BBC NEWS. [S.l.], 6 set. 2019. Disponível em: https://f5.folha.uol.com.br/nerdices/2019/09/brasil-e-2o-em-ranking-de-paises-que-passam-mais-tempo-em-redes-sociais.shtml. Acesso em: 15 set. 2021.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução: Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2001.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução: Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

FRAGOSO, Suely. Quem procura, acha? O impacto dos buscadores sobre o modelo distributivo da World Wide Web. In: ANTOUN, Henrique (org.). WEB 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X. 2008. p. 183-207.

FREITAG, Barbara. A teoria crítica: ontem e hoje. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

GUILLORY, Jamie E.; HANCOCK, Jeffrey T.; KRAMER, Adam D. I. Experimental evidence of massive-scale emotional contagion through social networks. Proceedings of the National Academy of Sciences, Princeton, v. 111, n. 24, p. 8788-8790, jun. 2014. https://doi.org/10.1073/pnas.1320040111. Disponível em: https://www.pnas.org/content/111/ 24/8788. Acesso em: 03 out. 2021.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade (Vol. I). Tradução: Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997a.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade (Vol. II). Tradução: Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 1997b.

HAN, Byung Chul. O que é poder? Tradução: Gabriel Salvi Philipson. Rio de Janeiro: Vozes, 2019.

HAN, Byung Chul. Psicopolítica: o neoliberalismo e as novas técnicas de poder. Tradução: Maurício Liesen. Belo Horizonte: Âyine, 2018a.

HAN, Byung Chul. No enxame: perspectivas do digital. Tradução: Lucas Machado. Rio de Janeiro: Vozes, 2018b.

HAN, Byung Chul. Sociedade do cansaço. Tradução: Enio Paulo Giachini. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século 21. Tradução: Paulo Geiger. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

KEEN, Andrew. Vertigem digital: por que as redes sociais estão nos dividindo, diminuindo e desorientando. Tradução: Alexandre Martins. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

KEMP, Simon. Digital trends 2019: Every single stat you need to know about the internet. The Next Web. [S. l.], 30 jan. 2019. Disponível em: https://thenextweb.com/contributors/ 2019/01/30/digital-trends-2019-every-single-stat-you-need-to-know-about-the-internet/. Acesso em: 20 jul. 2020.

LEIGH, Alexander. Do Google's 'unprofessional hair' results show it is racist?. The Guardian. [S. l.], 8 abr. 2016. Disponível em: https://www.theguardian.com/technology/ 2016/apr/08/does-google-unprofessional-hair-results-prove-algorithms-racist-. Acesso em: 11 jun. 2020.

LESSIG, Lawrence. Code: and other laws of cyberspace, version 2.0. Nova Iorque: Basic Books, 2006.

MACHADO, Débora. A modulação de comportamento nas plataformas de mídias sociais. In: AVELINO, Rodolfo; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; SOUZA, Joyce (org.). A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais. São Paulo: Hedra, 2018. p. 47-69.

MAGRANI, Eduardo. Democracia conectada: a internet como ferramenta de engajamento político-democrático. 22. ed. Curitiba: Juruá Editora, 2014.

MARCUSE, Herbert. Cultura e sociedade. v. 1. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997. p. 89-136.

MONTEIRO, Cínthia. Da biopolítica à modulação: psicologia social e algoritmos como agentes de assimilação neoliberal. In: AVELINO, Rodolfo; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; SOUZA, Joyce (org.). A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais. São Paulo: Hedra, 2018. p. 105-123.

OLIVEIRA, Carla. Aprendizado de máquina e modulação do comportamento humano. In: AVELINO, Rodolfo; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; SOUZA, Joyce (org.). A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais. São Paulo: Hedra, 2018. p. 71-104.

PARISER, Eli. The filter bubble: how the new personalized web is changing what we read and how we think. United States of America: Penguin Books, 2012.

SHAFFER, Kris. Data versus democracy: How big data algorithms shape opinions and alter the course of history. Colorado: Apress, 2019.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. A noção de modulação e os sistemas algorítmicos. In: AVELINO, Rodolfo; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; SOUZA, Joyce (org.). A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais. São Paulo: Hedra, 2018. p. 31-46.

SUNSTEIN, Cass R. #Republic: divided democracy in the age of social media. Princeton: Princeton University Press, 2017.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

HENDGES, Guilherme Sartori; FELÍCIO, Edna Torres. Linguagem personalizante dos filtros-bolha: : instrumento para encarceramento no panóptico digital. Revista Thesis Juris, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 334–354, 2023. DOI: 10.5585/rtj.v12i2.22284. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/thesisjuris/article/view/22284. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos