Adolescente e ato infracional: análise histórica e subjetiva à luz da psicanálise e crítica do Direito Penal

Giovanna Botini Zortea, Felipe de Araújo Chersoni, Vinícius Romagnolli Rodrigues Gomes

Resumo


O adolescente que comete ato infracional, expõe problemáticas que devem ser analisadas a partir de um viés amplo e não reducionista. Este artigo objetiva fazer uma análise crítica do fenômeno de adolescentes criminalizados, examinando aspectos históricos, sociais e subjetivos. O percurso metodológico consiste em uma revisão bibliográfica crítica, consubstanciada em referenciais teóricos das Ciências Sociais, da crítica do Direito Penal e da Psicanálise, configurando uma abordagem interdisciplinar. Dentre os resultados, destaca-se que o adolescente autor de ato infracional ainda é massificado e estigmatizado, e observa-se um movimento punitivista que culmina na institucionalização em massa de jovens, sobretudo negros e periféricos. Para além, a psicanálise revela que há também implicação subjetiva do jovem em conflito com a lei. O conceito de privação, elaborado pelo psicanalista Donald Winnicott, propõe um olhar diferenciado para este fenômeno, e oferece uma compreensão singular a respeito da especificidade do desamparo psíquico de adolescentes criminalizados


Palavras-chave


juventude; ato infracional; criminologia crítica; psicanálise

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescen-te e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jul. 1990.

CIFALI, Ana Claudia; CHIES-SANTOS, Mariana; ALVAREZ, Marcos César. Justiça Juvenil no Brasil: continuidades e rupturas. Tempo Social, [s. l.], v. 32, n. 3, pp. 197-228, 2020. DOI: https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2020.176331

DEL PRIORE, Mary. A criança negra no Brasil. In: JACÓ-VILELA, Ana Maria; SATO, Leny. Diálogos em Psicologia Social. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012, pp. 232-253. ISBN 978-85-7982-060-1.

GOMES, Vinícius Romagnolli R. Adolescentes na contemporaneidade: desamparo e laços fragiliza-dos em meio aos “ideais” da sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Gramma Editora, 2018.

GUERRA, Andréa Maris Campos et al. Risco e Sinthome: A Psicanálise no Sistema Socioeduca-tivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa. [s. l.], v. 30, n. 2, pp. 171-177, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722014000200006

LEAL, Denise Maria; MACEDO, João Paulo. Os discursos protetivos e punitivos dos adoles-centes em medida de internação no Brasil. Rev.latinoam.cienc.soc.niñez juv., Manizales, v. 17, n. 1, pp. 207-221, junho de 2019. DOI: https://doi.org/https://dx.doi.org/10.11600/1692715x.17112

LIMA, Renata Mantovani de; POLI, Leonardo Macedo; JOSÉ, Fernanda São. A Evolução His-tórica dos Direitos da Criança e do Adolescente: da insignificância jurídica e social ao reconhe-cimento de direitos e garantias fundamentais. Revista Brasileira de Políticas Públicas, v. 7, n. 2, pp. 314-329, 2017. DOI: https://doi.org/10.5102/rbpp.v7i2.4796

MALACARNE, Emilia Klein. A justiça (penal) juvenil entre a teoria e a prática: um estudo compara-do das práticas judiciais carioca e gaúcha. 2019. Dissertação (Mestrado em Direito) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019. Disponível em: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8001. Acesso em: 19 jun. 2022.

MATHEUS, Tiago Corbisier. Ideais na adolescência: falta (d)e perspectivas na virada do século. Annablume: Fapesp, 2002.

SÁ, Alvino Augusto de. Delinqüência infanto-juvenil como uma das formas de solução da pri-vação emocional. Revista Psicologia - Teoria e Prática, v. 3 n. 1, pp.13-22, 2001. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/1096. Acesso em: 19 jun. 2022.

WINNICOTT, Donald. A delinquência como sinal de esperança. In: WINNICOTT, Donald. Tudo Começa em Casa. São Paulo: Martins Fontes, 1999. Obra original publicada em 1967.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v21n2.22387

Direitos autorais 2022 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional