Democratização psicossocial: aprendizado e desenvolvimento em ocupações escolares paulistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/cpg.v22n1.22421

Palavras-chave:

movimentos sociais, aprendizado, desenvolvimento humano, psicologia da educação, participação política

Resumo

Os anos de 2015 e 2016, no Brasil, foram marcados por ocupações estudantis cujas pautas gerais defendiam a educação pública e tinham a autogestão como premissa de organização. O presente artigo objetiva abordar, a partir de perspectivas histórico-culturais e freirianas, processos de aprendizado e desenvolvimento ocorridos durante ocupações estudantis paulistas nos referidos anos. O corpus de pesquisa foi construído por meio de grupos focais, entrevistas e observações participantes com estudantes de quatro cidades: São Paulo, Ribeirão Preto, Catanduva e Barretos. Em face da análise, evidenciam-se as especificidades dos aprendizados e desenvolvimentos suscitados pela participação nas ocupações. Destaca-se como a autogestão dos movimentos favoreceu o processo de educação autônoma, dialógico e libertadora. Vivências concretas vivenciadas na ocupação circunscreveram a produção de relações e subjetividades mais conscientes, ativas e potentes. Os relatos apontam para um processo de democratização psicossocial a partir das experiências em ocupações estudantis.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Amorim Rosa, Universidade Federal do Acre (UFAC)

Doutor em Psicologia Social

 

Salvador Antonio Mireles Sandoval, Universidade de Michigan

Doutor em Ciência Politica

 

Referências

CAMPOS, Antônia M.; MEDEIROS, Jonas; RIBEIRO, Márcio. M. Escolas de Luta. São Paulo: Veneta, 2016.

COSTA, Adriana F.; GROPPO, Luís. A. (Orgs.) Movimento de ocupações estudantis no Brasil. São Carlos: Pedro e João Editores, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 2016.

GONZÁLEZ REY, Fernando L. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Pioneira, 2005.

JASPER, James M. Emotions and Social Movements: Twenty Years of Theory and Research. Annual Review of Sociology, v. 37, n.1, p. 285-303, 2011.

LEWIN, Kurt. La teoria, la ricerca, l’intervento. Bologna: Mulino, 2005.

MINAYO, Maria C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2010.

MORGAN, David. Focus group as qualitative research. London: Sage Publications, 1997.

NEGRI, Antonio; HARDT, Michael. Declaração: isto não é um manifesto. São Paulo: n-1 Edi-ções, 2016.

NETTO, João. P. Introdução ao método da teoria social. In: Serviço social: Direitos sociais e competências profissionais. Brasília, DF: CFEES/ABEPSS, 2009.

ROSA, Leandro A. Ocupações estudantis: Um estudo psicopolítico sobre movimentos paulistas de 2015 e 2016. (Tese de doutorado). Repositório institucional da PUC, 2019.

ROSA, Leandro A.; SANDOVAL, Salvador A. M. Participação política e potência de agir: a produção de saúde ético-política em ocupações estudantis paulistas. Psicologia USP, [S. l.], v. 33, 2022. DOI: 10.1590/0103-6564e190139. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/202708. Acesso em: 15 out. 2022.

ROSA, Leandro A.; SANDOVAL, Salvador A. M. Campo de potência: pistas para a produção de uma arma conceitual. Psicologia & Sociedade [online], v. 33, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2021v33236043. Acesso em: 15 out. 2022.

SANDOVAL, Salvador A. M. Algumas Reflexões sobre Cidadania e Formação de Consciência Política no Brasil. In: SPINK, Mary J. (Org.). A Cidadania em construção, uma Reflexão Transdisci-plinar. São Paulo: Cortez, 1994.

SILVA, Conceição F. S.; CASTRO, Lucia R. O que é que a política tem a ver com a transfor-mação de si? Considerações sobre a ação política a partir da juventude. Análise Social, v. 44, n. 193, p.793-823, 2009.

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em edu-cação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIGOTSKI, Lev S. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, Lev S. Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, v. 21, p. 21-44, 2000.

VIGOTSKI, Lev S. Teoria e método em psicologia. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2004.

VIGOTSKII, Lev S. (2001). Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKII, Lev. S.; LURIA, Alexander R.; LEONTIEV, Alex, N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2001.

VYGOTSKI, Lev S. Obras Escogidas. v. 3. Madrid: Visor, 1997.

Downloads

Publicado

29.06.2023

Como Citar

ROSA, Leandro Amorim; SANDOVAL, Salvador Antonio Mireles. Democratização psicossocial: aprendizado e desenvolvimento em ocupações escolares paulistas. Cadernos de Pós-graduação, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 6–19, 2023. DOI: 10.5585/cpg.v22n1.22421. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/cadernosdepos/article/view/22421. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Juventudes e Ação Política

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.