Quando juventude não é apenas uma palavra: uma releitura sociológica acerca da categoria juventude

Vinicius Oliveira Seabra Guimarães, Luis Antonio Groppo

Resumo


O presente artigo propõe rediscutir a pergunta que foi feita a Pierre Bourdieu em 1978: “como aborda o sociólogo o problema dos jovens?” Nesse viés, dá-se destaque à categoria juventude como uma construção histórico-social, ao mesmo tempo que trata os jovens como atores e sujeitos sociais em destaque nas análises sociológicas, especialmente a partir da segunda metade do século XX. O percurso teórico-metodológico proposto na abordagem deste artigo visa também tensionar com o título do capítulo em que Pierre Bourdieu responde à referida pergunta, visando desta maneira demonstrar que a juventude não é apenas uma palavra, apesar de reconhecermos que os limites da categoria juventude são relativamente nebulosos e que, sendo assim, possuem uma relativa invertebralidade. Todavia, amparados em uma Sociologia da Juventude, especialmente a partir de Margulis e Urresti (1996), Calvo (2005) e Bittencourt (2013), é possível destacar dentro de uma perspectiva sociológica alguns atributos que trazem identidade, distinção e materialidade à categoria, tais como: condição de latência social, emancipação das relações coletivas e protagonismo político-histórico-social.


Palavras-chave


juventude; sociologia; Pierre Bourdieu; sociedade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMO, Helena Wendel. A tematização social da juventude. Revista Brasileira de Educação, n. 5-6. São Paulo, ANPED, 1997.

ABRAMO, Helena Wendel. Cenas juvenis: punks e darks no espetáculo urbano. São Paulo: Scrit-ta, 1994.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro, Zahar: 1981.

BEAUVOIR, Simone. A velhice. 2. ed. Rio de Janeiro/RJ: Nova Fronteira, 1990.

BITTENCOURT, João Batista de Menezes. Do jovem como problema ao jovem como problemática. In: SOUZA, Marcus José Alves de; DIAS, J.C.N.S.E.N; MATIAS, M.V. (Org.). Mora na Filosofia. Maceió: EDUFAL, v. 1, p. 105-124, 2013.

BOURDIEU, Pierre. Lições de aula. São Paulo/SP: Ática, 2001.

BOURDIEU, Pierre. Para uma Sociologia da Ciência. Lisboa/Portugal: Edições 70, 2005.

BOURDIEU, Pierre. Questões de Sociologia. Lisboa: Fim de Tempo, 2003.

CALVO, Enrique Gil. El envejecimiento de la juventud. Revista de Estudios de Juventud, Madrid: INJUVE, n. 71 (1), pp. 11-19, 2005.

CASSAB, Maria Aparecida Tardin. Jovens pobres e o futuro: a construção da subjetividade na ins-tabilidade e incerteza. Niterói: Intertexto, 2001.

CORROCHANO, Maria Carla et al. Jovens e trabalho no Brasil: desigualdades e desafios para as políticas públicas. São Paulo: Ação Educativa, 2008.

CORROCHANO, Maria. Carla. Jovens trabalhadores: expectativas de acesso ao ensino superi-or. Avaliação – Revista de Avaliação do Ensino Superior (Campinas), v. 18, n. 1, p. 23-44, 2015.

CORROCHANO, Maria. Carla. O trabalho e a sua ausência: narrativas juvenis na metrópole. An-nablume; Fapesp, 2012.

DAYRELL, Juarez. A Música entra em cena: o rap e o funk na socialização da juventude. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

DAYRELL, Juarez. Juventude, grupos de estilo e identidade. Educação em Revista, n. 30, p. 25-39, dez. 1999.

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, n° 24, p. 40-52. Set-Dez, 2003.

DEBERT, Guita Grin. A dissolução da vida adulta e a juventude como valor. Horizontes Antropoló-gicos. Porto Alegre, ano 16, n. 34, jul./dez, p. 49-70. 2010.

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do en-velhecimento. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Fapesp, 1999.

DUARTE, Aldimar Jacinto. Juventudes e universidade: os desafios da formação de jovens no tempo presente. Revista Caminhos. Goiânia: Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sen-su em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, v. 18, n. 1, pp. 220-233, jan./abr, 2020.

GARCIA, Dirce Maria Falcone. Juventude em tempo de incertezas: enfrentando desafios na educa-ção e no trabalho. São Paulo: Annablume, 2009.

GROPPO, Luís Antonio. Introdução à sociologia da juventude. Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

GROPPO, Luís Antonio. Teorias pós-críticas da juventude: juvenilização, tribalismo e sociali-zação ativa. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, 13 (2), pp. 567-579, 2015.

GROPPO, Luís Antonio; OLIVEIRA, Mara Aline. Ocupações secundaristas em Minas Gerais: subjetivação política e trajetórias. Educação & Sociedade. v. 42, pp. 1-18, 2021.

LIMA, Bruno Morais Avelar. As manifestações de junho de 2013 e a representação política. 2018. 182 f. Dissertação (Mestrado em Direito e Justiça) - Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Direito e Ciências do Estado da Universidade Federal de Minas Gerais, 2018.

MARGULIS, Mario; URRESTI, Marcelo. La juventud es más que una palabra. In: ARIOVICH, Laura (et al.); MARGULIS, Mario (ed). La juventud es más que una palabra. Buenos Aires: Bi-blos, 1996.

OLIVEIRA, Sandra Maria de. A melancolia na constituição político identitária da juven¬tude. 2015. 203 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, 2015.

PAIS, José Machado. Culturas juvenis. 2 ed. Lisboa: Imprensa Nacional, 1993.

QUEIROZ, Edna Mendonça Oliveira de. Mediação familiar em processo: formação de jovens es-tudantes do ensino superior. 2008. 165 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Fede-ral de Goiás, 2008.

SEABRA, Vinicius. Juventudes, pobreza e urbanidade: uma análise da construção histórico-social das juventudes no Centro-Oeste brasileiro. Goiânia/GO: Publicar, 2017.

SPOSITO, Marilia Pontes (coord.). Espaços públicos e tempos juvenis. São Paulo: Global, 2007.

SPOSITO, Marilia Pontes. A sociabilidade juvenil e a rua: novos conflitos e ação coletiva na cidade. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP. São Paulo, vol. 5, nº 1 e 2, 1994.

SPOSITO, Marilia Pontes. Algumas reflexões e muitas indagações sobre as relações entre juventude e esco-la no Brasil. In ABRAMO, H. e BRANCO, Pedro Paulo (orgs). Retratos da juventude brasileira. Análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto da Cidadania/Editora Fundação Per-seu Abramo, p. 129-148, 2005.

SPOSITO, Marilia Pontes. Juventude e educação. Educação em Revista. Belo Horizonte: FAE/UFMG, nº 29, junho, 1999.

TELLES, Vera da Silva. Pobreza e cidadania. São Paulo: USP, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v21n2.22787

Direitos autorais 2022 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional