A relação entre popularização da ciência e a abordagem cts

a importância para a educação científica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/cpg.v23n1.24375

Palavras-chave:

popularização da ciência; ciência-tecnologia-sociedade; educação científica

Resumo

Procurou-se neste artigo estabelecer uma aproximação teórica do conceito de Popularização da Ciência (PC) com os preceitos da abordagem educativa baseada em Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS), a fim de se destacar a importância para a educação científica ao se discutir questões referentes à Ciência e Tecnologia (C&T). Isto por se entender que a C&T exerce uma grande influência nas decisões políticas, que por sua vez acabam por impactar no cotidiano das pessoas. Para tanto, foi feita revisão conceitual ao que tange os aspectos da PC e CTS e de que forma estas estão interligadas por meio da educação científica. Também foi feito um exercício de busca de teses e dissertações sobre a temática, visando identificar a relação entre estes conceitos na educação brasileira. Entende-se que a congruência destas duas linhas de pensamento reforça cada vez mais o papel da educação científica nos debates sociais, levando-se em conta que as discussões sobre a C&T são de extrema relevância para a democratização do saber.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Barcellos Razuck, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES

Doutor em Educação pela Universidade de Brasília (UnB) Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN/Ministério da Ciência e Tecnologia – MCTI

Renata Cardoso de Sá Ribeiro Razuck , Faculdade de Educação / Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ

Doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB)

Referências

CAISE, D. (2009). Many Experts, Many Audiences Public Engagement with Science. A CAISE Inquire Group Report.

CAZELLI, S. (2005). Ciência, cultura, museus, jovens e escolas: quais as relações? Tese (Dou-torado), Rio de Janeiro: PUC-Rio, Departamento de Educação.

CAZELLI, S.; QUEIROZ, G.; ALVES, F.; FALCÃO, D.; VALENTE, M. E.; GOUVÊA, G.; COLINVAUX, D. (1999). Tendências pedagógicas das exposições de um museu de Ciência. In: II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - ENPEC, 1999, Valinhos - São Paulo. CD-ROM do II ENPEC.

DELORS, J. (org.). (2001). Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Co-missão Internacional sobre a Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: MEC, UNESCO.

DRIVER, R., ASOKO, H., LEACH, J.; MORTIMER, E.; SCOTT, P. (1999). Construindo conhecimento científico na sala de aula. Química Nova na Escola, n. 9, 31-40.

FOUREZ, G. (1995). A construção das Ciências: introdução à filosofia e à ética das Ciências. São Paulo, editora UNESP.

FREITAG, B. PREFÁCIO. IN: MOREL, R. L. M. ( 1978). Ciência e Estado: a política cientí-fica no Brasil. São Paulo: T.A.Queiroz.

GERMANO, M.G.; KULESZA, W.A. (2007). Popularização da Ciência: uma revisão concei-tual. Cad. Bras. Ens. Fís., v. 24, n. 1: p. 7-25, abr.

GIDDENS, A. (1991). As consequências da modernidade. São Paulo: Editora UNESP.

GOLDEMBERG, J. (2001). Os Cientistas e o Poder. OESP.

GOUVÊA, G.; LEAL, M.C. (2001). Uma Visão Comparada do Ensino de Ciência, Tecnologia e Sociedade na Escola e em um Museus de Ciência. Ciência & Educação, v.7, n.1, p.67-84.

HABERMAS, J. (1987). Técnica e Ciência como Ideologia. Barcelos: Companhia Editora do Minho.

HARTMANN, A. (2007). Desafios e Possibilidades da Interdisciplinaridade no Ensino Médio. Dissertação (Mestrado), UnB, FE.

HOPPER-GREENHILL, E. (2007). Museums and Education: Purpose, Pedagogy, Performan-ce. London.

IBICT. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. (2022). Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD).

ILLICH, I. (1985). Sociedade sem escolas. Petrópolis: Vozes.

JAPIASSU, H. (1977). As máscaras da ciência. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 6(1): 13-15.

JENKINS, E. (1999). Comprensión pública de la ciencia y enseñanza de la ciencia para la ac-ción. Revista de Estudios del Currículum, v. 2, n. 2, p. 7-22.

LIMA, N. T. (2004). Juventude e o ensino médio: de costas para o futuro? Ensino Médio: Ciên-cia, cultura e trabalho. Brasília, MEC, SEMTEC.

MARANDINO, M. (2007). Perspectivas da pesquisa educacional em museus de Ciência. In: Santos, F.M.T.; Greca, I. M. (ORG.). A pesquisa em ensino de Ciências no Brasil e suas meto-dologias. Ijuí: Ed. Unijuí.

MORAES, R. (2009). Incursões no discurso da Ciência: a popularização da Ciência nos espaços dos museus. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, v. 1, Ed.Esp. Março.

NÓBREGA, L. J. D. D. (2017). Popularização da ciência no contexto da educação ambiental: uma experiência no município de Curral Velho. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadu-al da Paraíba.

OECD. Organização para a cooperação e o desenvolvimento econômico. (2007). Os Princípios da OCDE sobre o Governo das Sociedades.

PORTO, F. S.; ZIMMERMANN, E.; HARTMANN, A. M. (2010). Exposições museológicas para aprendizagem de Física em espaços formais de educação: um estudo de caso. Caderno Bra-sileiro de Ensino de Física, v. 27, p. 26-62.

PORTO, F.S. (2008). O impacto de exposições Museológicas na Motivação para Aprender Ciências. Dissertação (mestrado) – UnB, IQ, IF, Brasília.

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. S. R. (2010). Movimento Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) Sob a perspectiva da mobilização popular. Eccos Revista Científica, v. 12, p. 207-217.

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. S. R. (2018). Conhecimentos produzidos acerca da comuni-cação científica em Bakhtin: uma incursão nas dissertações e teses brasileiras. Revista Práxis, v. 10, p. 103-115. DOI: https://doi.org/10.47385/praxis.v10.n19.778

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. S. R. (2020). Seriam as Exposições da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia Museológicas? Latin American Journal of Development, Curitiba, v.2, n.5, p. 177-185, sep./oct. DOI: https://doi.org/10.46814/lajdv2n5-005

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. S. R. (2021). As relações semânticas do processo de Comu-nicação científica e a importância da popularização da ciência para a educação não formal. ConCI: Conv. Ciênc. Inform., v.4, n. 1. DOI: https://doi.org/10.33467/conci.v4i.16477

RAZUCK, F. B.; SANTOS, W.L.P. (2017). A Popularização da Ciência na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia: um estudo de caso, sob o enfoque CTS, da participação de uma insti-tuição de pesquisa. Ensenanza de Las Ciencias , v. Extra, p. 1537-1542.

RAZUCK, F.B. (2012). Popularização da ciência na Semana Nacional de Ciência e tecnologia: análise crítica de um estudo de caso. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília.

SABBATINI, M. (2007). Museus e centros de Ciência virtuais: uma nova fronteira para a cultu-ra científica.

SAMPEDRO, J. (2002). La ética há perdido El monopólio de los valores. El País Babelia.

SANTOS, W.L.P. (2007). Educação Científica na perspectiva de letramento como prática soci-al: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, v.12, n. 36.

SANTOS, W.L.P.; MORTIMER, E.F. (2002). Uma análise de pressupostos teóricos da abor-dagem C-T-S (Ciência - Tecnologia – sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, vol. 2/ nº 2, dez..

SANTOS, W.L.P.; SCHNETZLER, R.P. (1998). Ciência e educação para a cidadania. In: CHASSOT, A.; OLIVEIRA, R.J. (Orgs.). Ciência, ética e cultura na educação. São Leopoldo: Editora Unisinos, p. 255-270.

SAVIANI, D. (1987). Sobre a Concepção de Politecnia. FIOCRUZ, Rio de Janeiro – RJ.

SHAMOS, M. (1995). The myth of scientific literacy. New Brunswick: Rutgers University Press.

SILVA, M.R. (2004). Popularização do Conhecimento Científico: estudo de Caso no Museu de Anatomia Humana da Universidade de Brasília. Dissertação (mestrado).Brasília, UnB, FE.

SOUZA, R. H. (2018). Inserção dos princípios da Química Verde em uma disciplina experi-mental sob o enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Amazonas.

ULHÔA, E; GONTIJO, F; MOURA, D. (2007). Alfabetização, Letramento, Letramento Cien-tífico. In: 1o Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica, 2007, Belo Horizon-te. Anais do 1o Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica. Belo Horizonte: CEFET-MG.

VALÉRIO, M; BAZZO, W.A. (2006). O papel da divulgação científica em nossa sociedade de risco: em prol de uma nova ordem de relações entre Ciência, tecnologia e sociedad. Revista Iberoamericana de Ciência, Tecnologia, Sociedad e Innovatción, número 7, setembro-dezembro.

VIEIRA, V.; BIANCONI, M. L.; DIAS, M. (2005). Espaços não-formais e o currículo de Ci-ências. Ciência e Cultura (SBPC), Brasil, v. 57, n. 4, p. 1-5.

WERTHEIN, J.; CUNHA, C. (Orgs.). (2005). Educação científica e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. Brasília: UNESCO, Instituto Sangari.

ZIMMERMANN, E.; MAMEDE, M. A. (2005). Novas direções para o Letramento Científico: Pensando o Museu de Ciência e Tecnologia da Universidade de Brasília. In: IX Reunión de la Red – Pop, 2005, Rio de Janeiro. Ix Reunião Bianual de la Red – Pop – Anais. v. 01. p. 23-38.

Downloads

Publicado

28.06.2024

Como Citar

RAZUCK, Fernando Barcellos; RAZUCK , Renata Cardoso de Sá Ribeiro. A relação entre popularização da ciência e a abordagem cts: a importância para a educação científica. Cadernos de Pós-graduação, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 56–69, 2024. DOI: 10.5585/cpg.v23n1.24375. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/cadernosdepos/article/view/24375. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos