A questão da ideologia de gênero nas escolas brasileiras: o (des)compasso entre os fundamentos elencados na ADPF 457/GO e no Projeto de Lei 246/2019

Mônia Clarissa Hennig Leal, Eliziane Fardin de Vargas

Resumo


Neste artigo pretende-se, através do método dedutivo, responder ao seguinte questionamento: há um (des)compasso entre o conteúdo do Projeto de Lei 246/2019 e os fundamentos utilizados pelo Supremo Tribunal Federal na decisão da ADPF 457/GO? Para isso analisar-se-á, num primeiro momento, a importância da abordagem sobre gênero e diversidade sexual no ambiente escolar para a proteção das minorias sexuais e de gênero, sob a respectiva do dever de proteção estatal (Schutzpflicht) decorrente da dimensão objetiva dos direitos fundamentais; na sequência, averiguar-se-ão os fundamentos utilizados pelo Supremo Tribunal Federal na ADPF 457/GO, bem como analisar-se-á a existência ou não de um descompasso entre os fundamentos da decisão do STF e o texto do Projeto de Lei, a partir de uma perspectiva de diálogo institucional. Concluiu-se, através da análise realizada, que há uma divergência no posicionamento adotado pelos dois Poderes, sendo que a mais alta Corte brasileira entende que tais temas podem ser trabalhados na formação pedagógica dos alunos, enquanto que o Projeto de Lei vai no sentido de vedação da alusão a essas temáticas no ambiente escolar.


Palavras-chave


ADPF 457/GO; educação de gênero em escolas; Projeto de Lei 246/2019; Supremo Tribunal Federal; proteção de minorias e de grupos vulneráveis

Texto completo:

PDF

Referências


ANTRA. Boletim n. 03/2020 sobre índice de assassinatos de pessoas transexuais no Brasil no 1° semestre de 2020. Disponível em: https://antrabrasil.files.wordpress.com/2020/06/boletim-3-2020-assassinatos-antra.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

BAHIA, Alexandre G. Melo Franco de Moraes; BOMFIM, Rainer. Análise dos precedentes que envolvem discriminação por orientação sexual no Sistema Interamericana de Direitos Humanos. In: DESLANDES, Keila (Coord.). Homotransfobia e direitos sexuais: debates e embates contemporâneos. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018. p. 31-51.

BARROSO, Luís Roberto. Curso de Direito Constitucional Contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. 3. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2011.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 103, de 2012. Aprova o Plano Nacional de Educação ‑ PNE e dá outras providências. Brasília, DF, de 2012. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/108259. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 246, de 04 de fevereiro de 2019. Institui o “Programa Escola sem Partido”. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2190752. Acesso em: 21 jul. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 12 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. Senado Federal. Parecer n. 1.567, de 2013. Redação final do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara n. 103, de 2012 (n. 8.035, de 2010, na Casa de origem). Brasília, DF, 17 dez. 2013. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/108259. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Tribunal Pleno). Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 457/GO. Relator: Min. Alexandre de Moraes, 27 de abril de 2020. Disponível em: http://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=519288. Acesso em: 12 jul. 2020.

CLÈVE, Clèmerson Merlin; LORENZETTO, Bruno Meneses. Diálogos institucionais: estrutura e legitimidade. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 2, n. 3, p. 183-206, set./dez. 2015. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/rinc/article/view/44534. Acesso em: 27 ago. 2020.

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Opinión Consultiva OC-24/2017 de 24 de noviembre de 2017, solicitada por la República de Costa Rica: identidad de género, e igualdad e no discriminación a parejas del mismo sexo. San José da Costa Rica, 2017. Disponível em: https://www.corteidh.or.cr/docs/opiniones/seriea_24_esp.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Caso Atala Riffo e crianças vs. Chile: sentença de 24 de fevereiro de 2012 (mérito, reparações e custas). San José da Costa Rica, 2012. Disponível em: https://www.corteidh.or.cr/docs/casos/articulos/seriec_239_por.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Caso Flor Freire vs. Ecuador: sentencia de 31 de agosto de 2016 (excepción preliminar, fondo, reparaciones y costas). San José da Costa Rica, 2016. Disponível em: http://www.corteidh.or.cr/docs/casos/articulos/seriec_315_esp.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Caso Duque vs. Colombia: sentencia de 26 de febrero de 2016 (excepciones preliminares, fondo, reparaciones y costas). San José da Costa Rica, 2016. Disponível em: http://www.corteidh.or.cr/docs/casos/articulos/seriec_310_esp.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

ESTEFAM, André. Homossexualidade, prostituição e estupro: um estudo à luz da dignidade humana. São Paulo: Saraiva, 2016.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário Brasileiro de Segurança Pública, 26 jun. 2019. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Anuario-2019-FINAL_21.10.19.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

HERNANDES, Margareth da Silva. O silenciamento sobre as questões de gênero na escola: A inconstitucionalidade de leis e normativas recentes na área da educação. In: BRASIL, Charles dos Santos. O direito à diferença: contribuições para uma análise crítica do Direito. Rio Branco: Edufac, 2020.

KALIL, Isabela Oliveira. Incursões da “ideologia de gênero” na educação. Revista Internacional de Direitos Humanos, v. 16, n. 29, p. 119-128, 2019. Disponível em: https://sur.conectas.org/incursoes-da-ideologia-de-genero-na-educacao/. Acesso em: 20 jul. 2020.

LEAL, Mônia Clarissa Hennig. Jurisdição Constitucional Aberta: Reflexões sobre a legitimidade e os limites da jurisdição constitucional democrática – uma abordagem a partir das teorias constitucionais alemã e norte americana. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2007.

LEAL, Mônia Clarissa Hennig. MORAES, Maria Valentina de. A margem de apreciação (nacional e do legislador) e o diálogo entre cortes e entre poderes: meios de compreensão dos mecanismos de proteção dos direitos humanos e fundamentais. Anuario de Derecho Constitucional Latinoamericano. Bogotá, 2018. p. 497-518. Disponível em: https://www.corteidh.or.cr/tablas/r39260.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

MATTOS, Amana et al. Educação e liberdade: apontamentos para um bom combate ao Projeto de Lei Escola sem Partido. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017. p. 87-104.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à" ideologia de gênero"- Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e Práxis, v. 7, n. 15, p. 590-621, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3509/350947688019.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 32. ed. São Paulo: Atlas, 2016.

NOVO GAMA. Lei 1.516, de 30 de junho de 2015. [Lei declarada inconstitucional conforme decisão DPF n°. 457, do Supremo Tribunal de Federal] proíbe material com informações de ideologia de gênero nas escolas municipais de Novo Gama - GO e dá outras providências. Disponível em: http://acessoainformacao.novogama.go.gov.br/legislacao/lei/id=49. Acesso em: 20 jul. 2020.

PEREIRA, A. C. A.; NORMANTON, A. C. M.; STEMPLIUK, P. de A. A inconstitucionalidade da proibição da educação sobre gênero. Cadernos da Defensoria do Estado de São Paulo, São Paulo, v. 3, n. 8, p. 8-19, fev. 2018. Disponível em: https://www.defensoria.sp.def.br/cadernos_defensoria/volume8.aspx. Acesos em: 13 jul. 2020.

REIS, Toni; EGGERT, Edla. Ideologia de gênero: uma falácia construída sobre os planos de educação brasileiros. Educação & Sociedade, Campinas, v. 38, n. 138, p. 9-26, jan. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302017000100009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 22 jul. 2020.

RODRIGUES NETO, A.; NOZU, W. C. S.; ROCHA, A. C. S. Direito à educação cidadã: reflexões sobre o programa escola sem partido. Educação em Revista, Marília, v. 20, p. 83-98, 2019. Disponível em: file:///C:/Users/ADMIN/Downloads/9374-Texto%20do%20artigo-30519-1-10-20191023%20(1).pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 10. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2010.

SARMENTO, Daniel. Dignidade da pessoa humana: conteúdo, trajetórias e metodologia. 2 ed. Belo Horizonte: Fórum, 2019.

SOUZA NETO, Cláudio Pereira de; SARMENTO, Daniel. Direito constitucional: teoria, história e métodos de trabalho. 2. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2016.

SUNSTEIN, Cass R. Backlash's Travels. Harvard Civil Rights-Civil Liberties Law Review, v. 42, p. 435-449, 2007.




DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v20n2.18070

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Prisma Juridico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Prisma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional