A justiça poética de Hesíodo

Bruno Amaro Lacerda

Resumo


Nesse artigo, pretende-se abordar uma das primeiras concepções humanas sobre a justiça. O poeta Hesíodo (século VII a.C.), considerado um dos maiores educadores da Grécia, procura mostrar em seu poema, Os trabalhos e os dias, que a justiça é uma qualidade que melhora o homem, distanciando-o da condição animal e ligando-o à divindade. A dignidade humana, nesse sentido, deriva da liberdade, da escolha da ação boa e do repúdio à iniquidade. O recurso aos mitos tradicionais tem para o poeta uma função pedagógica: exortar os homens a buscarem o seu bem maior, aquilo que os separa das bestas e os aproxima do divino, conferindo-lhes uma essência única nesse mundo: a posse da justiça.
Palavras-chave: Dignidade humana; Hesíodo; Justiça.

Palavras-chave


Dignidade humana; Hesíodo; Justiça.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v9i1.2075

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Prisma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional