Valores motivacionais nas organizações: um estudo com diferentes grupos de trabalho de servidores públicos da educação

Paulo Roberto Borghi Moreira, Aridelmo Teixeira, Octavio Locatelli

Resumo


Objetivo: Esta pesquisa teve como objetivo identificar os Valores Motivacionais que se destacam na percepção dos colaboradores de uma Instituição Pública de Ensino.

Metodologia: O instrumento aplicado foi o questionário eletrônico sobre as características demográficas e o modelo da estrutura de valores básicos utilizando a escala de Schwartz (1992), Portrait Value Questionnaire (PVQ). A coleta de dados foi realizada em todos os campi do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), com amostra de 549 servidores, os quais foram analisados por estatística descritiva e regressão múltipla.

Principais Resultados: Os resultados sugerem que há percepções distintas sobre os valores motivacionais percebidos na instituição. Quanto ao grupo de trabalho Docentes, pode-se considerar que dão mais importância à transmissão dos conhecimentos para gerações futuras, priorizando o cuidado com a preservação do planeta e das relações. Quanto ao grupo Técnicos Administrativos pode-se destacar que apreciam a segurança nas relações e a continuidade dos processos.


Palavras-chave


Valores motivacionais; Grupos de trabalho; Servidores da educação pública.

Texto completo:

PDF

Referências


Abessolo, M., Rossier, J., & Hirschi, A. (2017). Basic values, career orientations, and career anchors: Empirical investigation of relationships. Frontiers in psychology, 8, 1556.

Bilsky, W., Janik, M., & Schwartz, S. H. (2011). The structural organization of human values – Evidence from three rounds of the European Social Survey (ESS). Journal of Cross-Cultural Psychology, 42(5): 759-776. DOI: 10.1177/0022022110362757 jccp.sagepub.com.

Brown, A. et al. Strategic talent retention: using measurement to keep the best. Strategic HR Review, v. 2, n. 4, p. 22-27, 2003.

Calvosa, M. V. D., Serra, F. A. R., & Almeida, M. I. R. (2011). Quais são as prioridades axiológicas dos líderes empresariais? Análise dos seus valores pessoais a partir do inventário de valores SVS de Schwartz. Anais do Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho - EnGPR, João Pessoa, PB, Brasil, 3.

Carrara, Tânia M. P., Nunes, Simone C., & Sarsur, Amyra M. Fatores de retenção, permanência e desligamento de talentos e de performers. RACE, Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Joaçaba: Ed. Unoesc, v. 13, n. 3, p. 1119-1148, set./dez. 2014.

Davidov, E., Schmidt, P., & Schwartz, S. H. Bringing values back in: the adequacy of the European Social Survey to measure values in 20 countries. Public Opinion Quarterly, 72(3): 420-445, 2008. DOI: https://doi.org/10.1093/poq/nfn035

Dutra, J. S. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2011.

Ferreira, A., Fuerth, L. R., & Esteves, R. C. P. M. Fatores de motivação no trabalho: o que pensam os líderes. Anais do Encontro da ANPAD - EnANPAD, Salvador, BA, Brasil, 30.

Gorski, A. D., Tomazzoni, G. C., dos Santos, A. S., Tonin, S., & Costa, V. M. F. (2015). Participação dos técnico-administrativos em educação nas ações de educação formal e do impacto do treinamento no trabalho. Revista Pensamento e Realidade, PUCSP, 30(1).

Gouveia, V. V. (2003). A natureza motivacional dos valores humanos: evidências acerca de uma nova tipologia. Estudos de Psicologia, 8(3): 431-443. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2003000300010.

Hair Jr., J. F., Black, W.C., Babin, B.J., Anderson, R.E., & Tatham, R.L. (2005). Análise multivariada de dados. 5.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Hair Jr., J. F., Babin, B.J., Money, A.H., & Phillip, S. (2009). Fundamentos e métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Holtom, B. et al. Turnover and retention research: a glance at the past, a closer review of the present, and a venture into the future. The Academy of Management Annals, New York, v. 2, n. 1, p. 231-274, 2008.

Houston, D. J. (2000, out.). Public-service motivation: a multivariate test. Journal of Public Administration Research & Theory (Transaction), 10(4): 713-727.

Lombardi, M. F. S., Araujo, B. F. V. B. De, & Teixeira, M. L. M. (2010, nov./dez.). Implicações dos valores básicos de estudantes no ensino de administração: um estudo em dois cursos de graduação em administração na cidade de São Paulo. Administração: Ensino e Pesquisa. RAEP, Rio de Janeiro, 11(4): 527-550. DOI: 10.13058/raep.2010.v11n4.128.

Marras, J. P. (2011). Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. 14. ed. São Paulo: Saraiva.

Mitchell, T. R. et al. Why people stay: using job embeddedness to predict voluntary turnover. Academy of Management Journal, n. 44, p. 1102-1122, 2001.

Oliveira, R. R., Limongi-França, A. C., Nomelini, Q. S. S., Castro, D. S. P., Alves, L. R., & Zatta, F. N. (2015). A qualidade de vida no trabalho dos professores da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica: percepções com a metodologia BPSO alinhado à qualidade da educação. Anais do Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho - EnGPR, Salvador, BA, Brasil, 5.

Pacheco, E. (org). (2011). Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. São Paulo: Moderna, 2011.

Pogorzelski, S., Harriott, J., & Hardy, D. Finding keepers: novas estratégias para contratar e reter talentos. Porto Alegre: Bookman, 2011.

Relatório de Gestão. (2015). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo. Vitória: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo. Recuperado em 28 janeiro, 2016, de http://prodi.ifes.edu.br//prodi/relatorio_gestao/Relatorio_de_Gestao_2015.pdf.

Robbins, S.P., Judge, T. A., & Sobral, F. (2011). Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. 14. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Ros, M. (2006). Psicologia social dos valores: uma perspectiva histórica. In: Ros, M., & Gouveia, V. V. (Org.). Psicologia social dos valores humanos. São Paulo: Senac, 23-53.

Sagiv, L., & Schwartz, S. H. (2000). Value priorities and subjective well-being: Direct relations and congruity effects. European Journal of Social Psychology, 30: 177-198. DOI: 10.1002/(SICI)1099-0992(200003/04)30:2<177::AID-EJSP982>3.0.CO;2-Z.

Sambiase-Lombardi, M. F. S., Teixeira, M. L. M., Bilsky, W., Araujo, B. F. V. B., & Domenico, S. M. R. (2010). Confrontando Estruturas de Valores: Um Estudo Comparativo entre PVQ-40 e PVQ-21. Anais do Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD (EnEO), Florianópolis, SC, Brasil, 6.

Saraiva, L. A. S. (2002, jan./abr.). Cultura organizacional em ambiente burocrático. RAC, 6(1), 187-207. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552002000100011.

Schwartz, S. H. (1992). Universals in the content and structure of values: theoretical advances and empirical tests in 20 countries. In: ZANNA, M. (Ed.). Advances in experimental social psychology, New York: Academic Press, 25: 1-65.

Schwartz, S. H. (1994). Are there universal aspects in the structure and contents of human values? Journal of Social Issues, 50(4): 19-45. DOI: 10.1111/j.1540-4560.1994.tb01196.x.

Schwartz, S. H., & Ros, M. (1995). Values in the West: a theoretical and empirical challenge to the Individualism–Collectivism cultural dimension. World Psychology, 1: 99–122.

Schwartz, S. H, & Bardi, A. (1997). Influences of adaptation to communist rule on value priorities in Eastern Europe. Political Psychology, 18(2): 385-410. DOI: 10.1111/0162-895X.00062.

Schwartz, S. H., Verkasalo, M., Antonovsky, A., & Sagiv, L. (1997). Value priorities and social desirability: Much substance, some style. British Journal of Social Psychology, 36: 3-18, 1997. DOI: 10.1111/j.2044-8309.1997.tb01115.x

Schwartz, S. H. (1999). A theory of cultural values and some implications for work. Applied psychology: international review, 48(1): 23–47. DOI: 10.1111/j.1464-0597.1999.tb00047.x.

Schwartz, S. H. (2001). Value hierarchies across cultures: taking a similarities perspective. Journal of Cross-Cultural Psychology, 32: 268-290.

Schwartz, S. H., Melech, G., Lehmann, A., Burgess, S., Harris, M., & Owens, V. (2001). Extending the cross-cultural validity of the theory of basic human values with a different method of measurement. Journal of Cross-Cultural Psychology, 32(5): 519-542.

Schwartz, S. H., & Boehnke, K. (2004). Evaluating the structure of human values with confirmatory factor analysis. Journal of Research in Personality, 38: 230-255. DOI: https://doi.org/10.1016/S0092-6566(03)00069-2.

Schwartz, S. H. (2005). Valores humanos básicos: seu contexto e estrutura intercultural. In: Tamayo, A.; Porto, J. B. (Orgs). Valores e comportamentos nas organizações, Petrópolis, RJ: Vozes, 21-55.

Schwartz, S. H. (2006). Value orientations: Measurement, antecedents and consequences across nations. In Jowell, R., Roberts, C., Fitzgerald, R., & Eva, G. (Eds.) Measuring attitudes cross-nationally - lessons from the European Social Survey, 169-203.

Schwartz, S. H. (2012). An overview of the Schwartz theory of basic values. Online Readings in Psychology and Culture, 2(1): 1-20. DOI: http://dx.doi.org/10.9707/2307-0919.1116.

Schwartz, S. H., Cieciuch, J., Vecchione, M., Davidov, E., Fischer, R., Beierlein, C., ... & Dirilen-Gumus, O. (2012). Refining the theory of basic individual values. Journal of Personality and Social Psychology, 103(4): 663-688. DOI: http://dx.doi.org/10.1037/a0029393.

Smith, P. B., & Schwartz, S. H. (Eds.). (1997). Handbook of cross-cultural psychology, 77-118.

Tamayo, A. (1994). Hierarquia de valores transculturais e brasileiros. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, 10(2): 269-286.

Tamayo, A., & Paschoal, T. (2003, out./dez.). A relação da motivação para o trabalho com as metas do trabalhador. RAC, 7(4): 33-54. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552003000400003.

Tamayo, A., & Porto, J. B. (Orgs). (2005). Valores e comportamentos nas organizações. Petrópolis, RJ: Vozes.

Tamayo, A., & Paschoal, T. (2007). Contribuições ao estudo dos valores pessoais, laborais e organizacionais. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, 23(especial): 17-24.

Tamayo, A., & Porto, J. B. (2009, jul-set.). Validação do questionário de perfis de valores (QPV) no Brasil. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, 25(3): 369-376.

Tavares, M. G. (2012). Evolução da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica: as etapas históricas da educação profissional no Brasil. Anais do Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul – ANPED, Rio Grande do Sul, RS, Brasil, 6.




DOI: https://doi.org/10.5585/riae.v19i3.14745

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM)
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE)
e-ISSN: 2176-0756
https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=riae

Copyright © 2020 Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM) All rights reserved.
Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE) ©2020 Todos os direitos reservados.