Fisiopatologia do tromboembolismo pulmonar

Guilherme Boni, Manuel Lopes dos Santos

Resumo


O tromboembolismo pulmonar é uma desordem potencialmente fatal, sendo a mais grave conseqüência da trombose venosa profunda. A maioria desses êmbolos é originada no sistema venoso profundo dos membros inferiores, mas também pode ser de veias pélvicas, renais, membros superiores e coração direito. Depois de surgirem, esses êmbolos podem romper-se e impactar, dependendo de seu tamanho, na artéria pulmonar ou em ramos lobares, levando a um comprometimento hemodinâmico como hipoxemia, aumento do espaço morto e do trabalho ventilatório, redução do débito cardíaco e pneumoconstrição. Existem muitos fatores de risco, tais como idade, imobilização prolongada, cirurgias ortopédicas e traumatismos, que devem ser levados em conta para um diagnóstico correto e uma profilaxia eficaz, uma vez que predispõem a trombose venosa profunda e conseqüente tromboembolismo pulmonar. Apesar de sua incidência ter sofrido um pequeno decréscimo, a embolia pulmonar e a trombose venosa profunda constituem um importante problema de saúde pública.

Palavras-chave


Comprometimento hemodinâmico; Tromboembolismo pulmonar; Trombose venosa profunda.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v8i1.1324

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.