Análise quantitativa de microrganismos encontrados em chupetas

Sandra Regina Echeverria Pinho da Silva, Ana Paula Rocha C. B. de Andrade, Aline Giunco, Camila Orro Gonçalves, Elaine Pavin Pascutti, Mariana Simon Carvalho, Rafaela Pereti, Sérgio Luiz Pinheiro

Resumo


A chupeta, um achado arqueológico datado de 100 anos a.C, apresenta caráter cultural com função de substituir o mamilo do seio da mãe. O objetivo, neste trabalho, foi avaliar, quantitativamente, micro-organismos viáveis, presentes em 30 chupetas de crianças da clínica de Odontopediatria da PUC-Campinas. Coletou-se material das chupetas por meio de swabs umidecidos em soro fisiológico ao redor do bico e na emenda bico/base, que foram armazenados em BHI e estriados em meios Saboraud e Agar Sanguis. Após seis dias, realizou-se a contagem dos micro-organismos. Para análise estatística, utilizou-se teste de Mann-whitney. Os resultados mostraram diferença estatística significante (p=0,0007), quando se comparou o número de Unidades Formadoras de Colônias (UFC) para bactérias, com o de UFCs para fungos. Verificou-se maior contaminação do bico das chupetas por fungos. Concluiu-se que as 30 chupetas foram contaminadas tanto por fungos quanto por bactérias.

Palavras-chave


Contaminação; Chupetas; Microrganismos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v8i1.1414

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.