Avaliação e fatores associados à incapacidade funcional de idosos residentes em Instituições de longa permanência

Felipe Lima Rebêlo, Carina Vasconcelos Gama Peixoto, Joaquim Silva Lima, Clara Maria de Araujo Silva, Alynne Iasmin Batista Santos

Resumo


Introdução: O envelhecimento cursa com alterações funcionais que predispõe o idoso à perda funcional, que associada ao processo de institucionalização é potencializada.
Objetivo: Avaliar o nível de incapacidade funcional de idosos residentes em instituições de longa permanência em Maceió (AL).
Métodos: Estudo transversal realizado com os idosos residentes nas nove instituições da cidade de Maceió. Foram coletados dados socioeconômicos e demográficos e realizada a avaliação da capacidade funcional através do índice de Katz.
Resultados: A amostra final foi de 270 indivíduos. A média de idade foi de 78,9 anos, com predomínio do sexo feminino e baixo nível de escolaridade. A análise estatística evidenciou associação significativa entre uso de bengala/muleta (p <0,01), síndrome do imobilismo (p <0,01), menor frequência de visitas (p <0,01) e menor circunferência da panturrilha (p <0,01).
Conclusão: Este estudo permite concluir que há um alto déficit funcional, diminuição da circunferência da panturrilha, apresentar imobilismo, receber menos visitas e usar bengala/muleta mostraram associação direta com maiores déficits.

 

 


Palavras-chave


Idoso; Desempenho físico funcional; Instituição de longa permanência para idosos

Texto completo:

PDF

Referências


IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico: Características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro; 2011. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/93/cd_2010_caracteristicas_populacao_domicilios.pdf

Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2016;19(3):507-519. http://dx.doi.org/10.1590/1809-98232016019.150140.

Camarano AA, Kanso S. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. R Bras Est Pop. 2010;27(1):233-235. https://doi.org/10.1590/S0102-30982010000100014.

Romero DE, Pires DC, Marques A, Muzy J. Diretrizes e indicadores de acompanhamento das políticas de proteção à saúde da pessoa idosa no Brasil. Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2019;13(1):157-135. https://doi.org/10.29397/reciis.v13i1.1569.

Costa MCNS, Mercadante EF. O Idoso residente em ILPI (Instituição de Longa Permanência do Idoso) e o que isso representa para o sujeito idoso. Revista Kairós Gerontologia. 2013;16(2):209-222. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2013v16i1p209-222

Costa SDM, Soares LU, Fernandes AK, Braz EC, Costa SH, Freire APAC. Fragilidade e status funcional de idosos institucionalizados. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online. 2015;7(3):2688-2696. https://doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i3.2688-2696.

Tonatto FR. Idosos em instituições de longa permanência: Uma revisão de estudos nacionais. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2019. Trabalho de Conclusão de Curso em Psicologia. https://repositorio.ucs.br/11338/5023

Lisboa CR, Chianca TCM. Perfil epidemiológico, clínico e de independência funcional de uma população idosa institucionalizada. Rev. bras. enferm. 2012;65(3):482-488. https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000300013.

Soares RR, Salgado PO, Rocha KO, Lima LM. Functional capacity and risk of falls in the elderly with metabolic syndrome. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2020; 15(42):2228. https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2228

Duarte MCS, Lima US, Albuquerque KF, Evangelista CB, Souto HC, Patrício ACFA. Fragilidade e status funcional de idosos institucionalizados. J. res.: fundam. care. 2015;7(3):2688-2696. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i3.2688-2696.

Camarano AA, Barbosa P. Instituições de Longa Permanência para Idosos no Brasil: do que se está falando? In: Alcântara AO, Camarano A A, Giacomin KC, orgs. Política Nacional do Idoso: velhas e novas questões. Rio de Janeiro: Ipea; 2016. p. 479-514. http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/9146/1/Institui%C3%A7%C3%B5es%20de%20longa%20perman%C3%AAncia.pdf

Alcântara R, Cavalcante M, Fernandes B, Lopes V, Leite S, Borges C. Perfil Sociodemográfico de Saúde de Idosos Institucionalizados. Journal of Nursing, 2019;13(3): 674-679. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i03a237384p674-423-2019.

Botoluzzi EC, Doring M, Portella M, Cavalcanti G, Mascarelo A, Dellani M. Prevalência e fatores associados à dependência funcional em idosos longevos. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2017;22(1):85-94. https://doi.org/10.12820/rbafs.v.22n1p85-94

Berlezi EM, Farias AM, Dallazen F, Oliveira KR, Pillatt AP, Fortes CK. Analysis of the functional capacity of elderly residents of communities with a rapid population aging rate. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2016;19(4):643-652. https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150156

Matos FS, Jesus CS, Carneiro JAO, Coqueiro RS, Fernandes MH, Brito TA. Redução da capacidade funcional de idosos residentes em comunidade: estudo longitudinal. Ciência & Saúde Coletiva. 2018;23(10):3393-3401. https://doi.org/10.1590/1413-812320182310.23382016

Silva JKSD, Albuquerque MCDS, Souza EMSD, Monteiro FS, Esteves GGL. Sintomas depressivos e capacidade funcional em idosos institucionalizados. Cult Cuid. 2015;41:157-7. https://rua.ua.es/dspace/bitstream/10045/46623/1/Cultura-Cuidados_41_18.pdf.

Benavides-Rodríguez CL, García-García JA, Fernández JA. Condición física funcional en adultos mayores institucionalizados. Univ. Salud. 2020;22(3):238-245. https://doi.org/10.22267/rus.202203.196

Utida KAM, Budib MB, Batiston AP. Medo de cair associado a variáveis sociodemográficas, hábitos de vida e condições clínicas em idosos atendidos pela Estratégia de Saúde da Família em Campo Grande-MS. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2016;19(3):441-452. https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150069.

Lenardt MH, Setoguchi LS, Betiolli SE, Grden CRB, Sousa JAV, Lourenço TM. Gait speed and incidence of falls in the long-lived elderly. REME – Rev Min Enferm. 2019;23:e-1190. https://doi.org/10.5935/1415-2762.20190038

Certo AC, Sanchez K, Galvão A, Fernandes H. A síndrome da fragilidade nos idosos: revisão da literatura. Actas Gerontol. 2016;(1):1-11. http://hdl.handle.net/10198/12983

Silva JL, Filoni E, Suguimoto CM. Análise do incremento da força muscular para reaquisição de ortostatismo em idosos com síndrome do imobilismo temporário. Acta fisiátrica. 2017;24(3):113-119. https://doi.org/10.5935/0104-7795.20170021

Sperotto FM, Spinelli, RB. Avaliação nutricional em idosos independentes de uma Instituição de Longa permanência no município de Erechim-rs. PERSPECTIVA. 2010;34(125):105-116. http://www.uricer.edu.br/new/site/pdfs/perspectiva/125_78.pdf




DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v20n1.18967

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional