Uso de medicamentos sem prescrição médica em Teresina, PI

Maria do Carmo de Carvalho e Martins, Lívia Maria Moura Leal, Manoel Dias de Souza Filho, Emanuella Machado Costa, Lorena Guimarães Martins Holanda, Lorena Patrícia Leal Mesquita, Hugo Aparecido de Carvalho Filho, Giuliano da Paz Oliveira, Regina Célia de Assis

Resumo


Objetivo: Investigar a prevalência de uso de medicamentos sem prescrição na população de Teresina-PI, as motivações de uso e as classes de medicamentos mais utilizadas. Métodos: Estudo transversal com amostra probabilística constituída por 464 adultos, residentes na zona urbana de Teresina-PI. Foram observadas as variáveis sociodemográficas, prática da automedicação. Resultados: A prevalência de automedicação alcançou 92,7%. Os analgésicos foram os medicamentos mais consumidos (63,4%). A principal justificativa para a automedicação foi a experiência anterior com o medicamento. As cólicas abdominais (85,3%), diarreia (76,5%) e cólicas menstruais (74,0%) foram os principais motivos apontados para a prática de automedicação. Conclusão: Foi evidenciada elevada prevalência de automedicação entre os teresinenses. Em concordância ao encontrado em outros estudos populacionais, os analgésicos representam a classe de medicamentos mais utilizada, sendo a dor o principal motivo da automedicação, e a experiência anterior com o medicamento a principal justificativa para a automedicação.

Palavras-chave


Automedicação; Medicamentos sem prescrição; Prevalência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.