Análise da força muscular respiratória em pacientes com esclerose múltipla

Paula Trentin, Luisa Cerri Castellano, Rodrigo Costa Schuster

Resumo


Introdução: Esclerose Múltipla (EM) é uma doença do sistema nervoso central, acomete adultos jovens, e apresenta alterações motoras e respiratórias. Objetivo: Medir a força muscular respiratória (FMR) dos pacientes com EM, comparar valores de pressão inspiratória máxima (PImáx) e pressão expiratória máxima (PEmáx) e correlacionar esses valores com fadiga. Métodos: Realizaram-se avaliação da FMR pela manovacuometria, no início da manhã e no fim da tarde, e da fadiga pela Escala de Severidade da Fadiga (ESF). Resultados: Comparando os valores previstos de PI e PE, respectivamente, com PImáx manhã e tarde e com PEmáx em iguais períodos, não foi possível verificar diferença significativa. Já a relação entre PImáx tarde e PEmáx tarde com a ESF demonstrou uma forte correlação, r=-0,70 e r=-0,69, nessa ordem. Conclusão: As PRmáx se apresentaram de forma diferente nos dois períodos, embora sem diferença significativa, e quanto maior a pontuação da ESF, menor a FMR desses pacientes.

Palavras-chave


Esclerose múltipla; Fadiga; Músculos respiratórios.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i2.2670

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.