Contribuição da massa muscular na força de preensão manual em diferentes estágios maturacionais

Marcos Moura Santos, Alexandre Henrique Silva Ferreira, Manoel Cunha Costa, Fernando José Sá Guimarães, Raphael Mendes Ritti-Dias

Resumo


Objetivos: Neste estudo, analisou-se a relação entre a força de preensão manual e a massa muscular. Métodos: Foram avaliados 145 indivíduos (de 8 a 16 anos) divididos em três grupos: pré-púbere, púbere e pós-púbere. A área muscular de braço (AMBr) foi estimada por meio da antropometria e dobras cutâneas, e a força de preensão manual, pelo dinamômetro hidráulico. A comparação das variáveis nos diferentes estágios maturacionais foi realizada pelo teste de Kruskall-Wallis, seguido de U de Mann-Whitnney. A Correlação de Spearman foi adotada entre a força de preensão manual e a massa muscular (p<0,05). Resultados: A força de preensão manual e a AMBr foram maiores no estágio pós-púbere, seguido do púbere e pré-púbere (p<0,05). Houve correlação entre AMBr e a força de preensão palmar nos três estágios maturacionais (pré-púbere, rho=0,49; púbere, rho=0,74; pós-púbere, rho=0,70). Conclusão: Os resultados deste estudo indicaram que a força muscular está relacionada com a massa muscular; todavia, essa relação também ocorre nos estágios iniciais da maturação.

Palavras-chave


Antropometria; Força muscular; Puberdade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i3.2901

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.