Efeito agudo da espirometria de incentivo sobre os volumes pulmonares em indivíduos hemiparéticos

Íllia Nadinne Dantas Florentino Lima, Gardênia Maria Holanda Ferrreira, Tânia Fernandes Campos, Guilherme Augusto de Freitas Fregonezi

Resumo


Introdução: O acidente vascular cerebral (AVC) gera numerosas repercussões no sistema respiratório. Objetivos: Comparar as variações volumétricas da caixa torácica durante o uso da espirometria de incentivo (EI) volume-orientada e avaliar seu comportamento entre indivíduos hemiparéticos pós-AVC e sujeitos saudáveis. Foram estudados 14 indivíduos (7 hemiparéticos e 7 saudáveis) utilizando a Pletismografia Opto-eletrônica. Resultados: O grupo AVC em relação ao controle apresentou, em mediana, valores menores de CVF (L), CVF%, VEF1(L), PEmáx (cmH2O) e PEmáx (%), assim como mostrou volume corrente 32,3% menor (p = 0,031), durante a realização da EI. Conclusão: Houve participação 25% menor do compartimento caixa torácica pulmonar, no grupo AVC no volume corrente, comparada a do controle (p = 0, 0156), e para o compartimento abdominal, o grupo AVC apresentou 43% maior participação no volume corrente, comparada a do controle (p = 0,031), no período pré EI.

Palavras-chave


Acidente vascular cerebral; Exercícios respiratórios; Hemiparesia; Pletismografia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i4.3153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.