Normalização EMG: considerações da literatura para avaliação da função muscular

Rubens Alexandre da Silva Jr.

Resumo


Introdução: Diferentes fatores intrínsecos e extrínsecos influenciam a medida de atividade elétrica muscular por meio da eletromiografia (EMG). Para minimizar este efeito, a normalização da EMG é recomendada. Entretanto, pouco se sabe sobre as vantagens e desvantagens de cada método de normalização para uso em diferentes pacientes (sintomáticos e assintomáticos). Objetivos: Revisar e discutir os principais métodos de normalização do sinal da EMG para avaliação da função motora em diferentes sujeitos. Métodos: Incluíram-se artigos publicados, desde 1984, constantes na base de dados Medline. Dezessete estudos, sendo dois com pacientes sintomáticos, e dois, de revisão, foram selecionados para revisão crítica. Conclusão: A escolha de uma técnica de normalização da EMG é com base na variabilidade entre e intra-indivíduos. Um método recomendado para reduzir a variabilidade biológica é aquele com base numa contração voluntária submáxima como referência no processo de normalização. Entretanto, este não considera a capacidade máxima muscular do indivíduo para execução de uma atividade motora.

Palavras-chave


Avaliação; Biomecânica; Eletromiografia; Músculos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n3.4362

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.