Avaliação estática do ângulo Q não caracteriza sujeitos com síndrome da dor patelofemoral

Lisiane Piazza, Aline Crísthna Alves Lisboa, Marcelo Luza, Gisela Cristina da Silva Brinhosa, Thiele de Cássia Libardoni, Larissa Milani Brognoli Sinhorim, Gilmar Moraes Santos

Resumo


Introdução: A mensuração do ângulo Q é amplamente realizada em pacientes com SDPF. Objetivo: Comparar o ângulo Q e dor na articulação patelofemoral entre sujeitos com e sem SDPF. Métodos: Participaram do estudo 57 mulheres, 26 com SDPF (GSDPF), e 31clinicamente saudáveis (GC). Foram avaliados o ângulo Q nos dois membros inferiores das participantes com SDPF (membro comprometido – MC e membro não comprometido – MNC) e o membro dominante dos assintomáticos (MD). Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva e inferencial, com p≤0,05. Resultados: Foi evidenciada diferença na intensidade da dor no primeiro dia de avaliação e na última semana entre os três membros inferiores avaliados (p=0,01), e o MC apresentou maior intensidade em comparação com os demais membros. Conclusão: Não foram observadas diferenças no ângulo Q entre os membros MC, MNC e MD (p=0,09), indicando que a avaliação estática do ângulo Q não caracteriza sujeitos com SDPF.

Palavras-chave


Joelho; Patela; Síndrome da dor patelofemoral.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n2.4912

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.