Utilização do índice de massa corporal e equações preditivas para a estimativa do percentual de gordura corporal

Wesley de Oliveira Vieira, Alexandre Correia Rocha

Resumo


Introdução: Devido às limitações do IMC a estimativa do percentual de gordura pode ser uma alternativa. Objetivo: Comparar o IMC com a técnica de dobras cutâneas, para a estimativa do percentual de gordura em adultos praticantes de exercício físico. Métodos: Trinta e um sujeitos de 29,7 ± 4,4 anos com IMC de 24,4 ± 2,6kg/m² foram submetidos a avaliações para estimativa do percentual de gordura. Resultados: O IMC subestimou as classificações de saúde e as equações de Gallagher et al. para homens (18,0 ± 4,1 vs. 22,9 ± 4,4% de gordura), Deurenberg et al. e Lean et al. para mulheres (30,1 ± 3,2 vs. 36,1 ± 4,6% de gordura e 30,0 ± 3,3 vs. 36,1 ± 4,6% de gordura, respectivamente), apresentaram diferenças quando comparadas à técnica de dobras cutâneas. Conclusão: O uso do IMC pode subestimar as classificações de obesidade e gerar resultados divergentes para a estimativa do percentual de gordura.

Palavras-chave


Antropometria; Composição corporal; Índice de massa corporal.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n2.5428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.