Impacto das academias da terceira idade: comparação da capacidade motora e cognitiva entre praticantes e não praticantes

Susyane Dianin Gozzi, Sonia Maria Marques Gomes Bertolini, Tiago Franklin Rodrigues Lucena

Resumo


Introdução: As Academias da Terceira Idade foram criadas com o propósito de estimular a saúde e a inserção social do idoso. Objetivos: Este estudo transversal teve como objetivo analisar o equilíbrio, a agilidade e a capacidade cognitiva de idosos praticantes de exercícios físicos nas Academias da Terceira Idade (ATI). Métodos: Participaram do estudo 600 idosos de ambos os gêneros, sendo 300 praticantes de exercícios físicos nas Academias da Terceira Idade (grupo teste – GT), e 300 idosos não praticantes (grupo controle – GC). As variáveis equilíbrio, agilidade e capacidade cognitiva foram avaliadas respectivamente pela Escala de Equilíbrio de Berg, pelo teste Timed Up and Go e pelo Mini – Exame do Estado Mental. Para análise dos dados foram utilizados o teste t para amostras independentes, ANOVA e teste Z. Resultados: A média de idade dos participantes foi de 68,7 ± 5,9 anos. No GT verificou-se melhores resultados nos testes de equilíbrio (p=0,019), de agilidade (p=0,001) e cognição (p=0,007). Conclusão: O estudo mostrou que os idosos praticantes de exercícios físicos nas ATI possuem melhor equilíbrio, maior agilidade e capacidade cognitiva, quando comparados aos não praticantes.

Palavras-chave


Exercício físico; Promoção da saúde; Saúde do idoso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n1.5775

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.