Impacto da Prática de Atividade Física na Qualidade de Vida dos Acadêmicos de Medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove)

Autores

  • Mario Ivo Serinolli Universidade Nove de Julho
  • Elias El-Mafarjeh Universidade Nove de Julho

DOI:

https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n4.5958

Palavras-chave:

Qualidade de Vida, Estudantes de Medicina, Estresse Psicológico, Relações Interpessoais, Atividade Física.

Resumo

Introdução: A prática de atividade física é recomendada para a prevenção das doenças não transmissíveis e melhora da qualidade de vida. Objetivo: Este trabalho objetivou avaliar os impactos do exercício físico na vida dos estudantes de Medicina. Método: Foi realizado estudo transversal com aplicação do questionário da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-BREF) e perguntas relacionadas à atividade física em 405 alunos de medicina da cidade de São Paulo, Brasil. Resultados: Os alunos que praticam exercícios físicos em competições esportivas e os que o fazem regularmente por pelo menos trinta minutos igual ou mais que três vezes por semana obtiveram melhor índice de qualidade de vida demonstrado em quase todos os domínios (p<0,005). Conclusão: Na amostra analisada, acadêmicos de Medicina que praticam atividades físicas competitivas ou com alta frequência semanal têm melhor qualidade de vida quando comparados àqueles que o fazem infrequentemente e aos sedentários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mario Ivo Serinolli, Universidade Nove de Julho

Professor do Mestrado Profissional Gestão em Sistemas de Saúde da Uninove Professor de Medicina, Uninove Doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da USP Mestre em Administração pela Fundação Getúlio Vargas

Elias El-Mafarjeh, Universidade Nove de Julho

acadêmico de medicina da Universidade Nove de Julho

Downloads

Publicado

27.04.2016

Como Citar

1.
Serinolli MI, El-Mafarjeh E. Impacto da Prática de Atividade Física na Qualidade de Vida dos Acadêmicos de Medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove). Cons. Saúde [Internet]. 27º de abril de 2016 [citado 17º de julho de 2024];14(4):627-33. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/saude/article/view/5958

Edição

Seção

Artigos