Impacto da deambulação associada à mobilização precoce em pacientes críticos: revisão sistemática

Diego Pereira Fonseca, Vasco Junqueira Morgado Filho, Andersom Ricardo Fréz, João Afonso Ruaro, Marina Pegoraro Baroni, Christiane Riedi Daniel

Resumo


Objetivo: Verificar na literatura o impacto da deambulação associada à mobilização precoce em pacientes críticos internados em UTI. Métodos: Foram pesquisadas as bases de dados eletrônicas Cochrane, Pubmed, PEDro, Science Direct e SciELO, limitado aos últimos 10 anos incluindo ensaios clínicos randomizados, análises prospectivas e retrospectivas e estudos prospectivos controlados. A escala de Downs and Black e Downs and Black adaptada foi utilizada para avaliar a qualidade metodológica dos artigos. Resultados: Doze estudos foram revisados. Onze artigos utilizaram mobilização passiva e/ou ativa, exercícios ativos, sentar na cama e/ou poltrona, ortostatismo e deambular. Seis estudos avaliaram a morbimortalidade de um protocolo com enfoque em deambulação precoce, quatro avaliaram a segurança da mobilização precoce, dois o impacto na força muscular respiratória, e um investigou a relação da interrupção da sedação na mobilização precoce e outro artigo utilizou a prancha ortostática antes da deambulação. Conclusão: A deambulação impactou positivamente no tempo de internação hospitalar, de UTI e de ventilação mecânica em pacientes graves.

Palavras-chave


Mobilização precoce; Deambulação; Unidade de terapia intensiva; Mortalidade hospitalar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n2.6043

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.