Avaliação da força muscular extensora do tronco: influência do gênero e do estado de treinamento

Diogo Correia Cardozo, Hugo Alves, Roberto Simão, Marcos Doederlein Polito

Resumo


Introdução: O fortalecimento dos músculos extensores do tronco é importante para prevenção da lombalgia. Porém, não está estabelecido se um treinamento não específico para esta região é suficiente. Objetivo: comparar a força dos extensores do tronco de sujeitos sedentários e praticantes de treinamento resistido (TR) que não realizavam exercícios específicos para esta região. Métodos: Foram recrutados 105 indivíduos saudáveis, (61 homens e 44 mulheres), com média de idade entre 18 e 44 anos que foram divididos em grupos de treinados e sedentários. Os experientes em TR treinavam exercícios de agachamento ou de desenvolvimento. Os demais sujeitos não possuíam experiência no TR. Resultados: Foram observadas diferenças na força entre homens treinados e sedentários (p=0,002) e entre os gêneros (p=0,0003), não foi observado diferença entre mulheres treinadas e sedentárias (p≥0,05). Conclusão: o TR não específico é suficiente para aumentar a força da região lombar em homens. Entretanto, não é suficiente no público feminino.

Palavras-chave


Treinamento de Resistência; Força Muscular; Região Lombossacral; Dor Lombar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n3.6246

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.